Propriedades do leite de cabra para cães

21 Dezembro, 2020
Os benefícios do leite de cabra para cães são verdadeiros? Descubra quais elementos contam ao escolher um leite substituto para o seu filhote.

Recentemente, o leite de cabra para cães se tornou um dos suplementos mais populares no mundo dos animais de estimação. O leite de cabra tem sido elogiado por melhorar a digestão, ajudar com as alergias e até mesmo curar o câncer.

Ele se encontra amplamente disponível em pet shops físicos e online, mas as afirmações feitas pelos anúncios são realmente verdadeiras?

Entendendo por que o leite é tão importante

O leite é um fluido fisiológico secretado pela glândula mamária que constitui o alimento e a proteção para o recém-nascido. A natureza faz com que esse alimento seja produzido na medida exata das necessidades específicas dos filhotes, portanto, dificilmente pode ser substituído.

A origem dos componentes de um leite é dupla: uma série deles é sintetizada na própria glândula mamária, enquanto outros componentes são retirados já formados de uma filtração seletiva do sangue. O leite não apenas nutre, mas também promove o amadurecimento dos sistemas intestinal e imunológico.

Entendendo por que o leite é tão importante

Substitutos do leite para cães recém-nascidos

Os filhotes podem precisar ser alimentados com substitutos do leite para que suas vidas sejam salvas. As circunstâncias em que isso ocorre podem ser morte materna, rejeição por parte da mãe ou prematuridade.

Também contam os distúrbios que reduzem o suprimento de leite da cadela, como mastite ou anomalias congênitas, como macroglossia (língua dilatada).

Como pesar a adequação do leite de cabra para cães?

Os nutricionistas valorizam a qualidade de qualquer leite pelo conteúdo de quatro elementos: proteínas, lipídios, vitaminas e minerais. Claro, é fácil entender que existe uma grande variabilidade na composição do leite entre uma espécie e outra.

Porém, mesmo dentro da mesma espécie, há variabilidade no leite materno associada a fatores genéticos e não genéticos. Entre os genéticos, contam a raça e a variedade, enquanto nos não genéticos contam a idade da mãe, o tempo após o nascimento, a dieta e a exposição a ambientes desfavoráveis ​​como o estresse.

A seguir, apresentaremos o conteúdo médio da principal proteína do leite, a caseína, e o conteúdo de lactose, expressos em gramas por quilograma de água.

Caseína (proteína) Lactose (açúcar)
Cães 69,6 37,3
Cabra 28,8 (depende da raça) 47,2
Vaca 32,1 55.0
Como pesar a adequação do leite de cabra para cães?

Por que o conteúdo de lactose é importante quando se considera a alimentação com leite de cabra para cães?

A lactose é digerida pela ação de uma enzima chamada lactase. Naturalmente, o leite da cadela tem um teor de lactose muito menor do que o leite de cabra e vaca.

Se o seu cachorro não tiver enzima suficiente, ele pode ter mais dificuldade para digeri-lo. Assim, a lactose encontrada no leite chegará ao intestino sem ser digerida.

Esse açúcar não digerido puxa água para o cólon e causa diarreia. Além disso, a alta presença de lactose desencadeia um processo de fermentação pelas bactérias do cólon, que causa flatulência e desconforto. O cachorro pode acabar desenvolvendo intolerância à lactose.

Por que o conteúdo de caseína é importante?

É comum que o leite e seus derivados desencadeiem alergias alimentares nos cães. As proteínas do leite que podem atuar como indutoras de uma reação alérgica parecem ser principalmente as alfa-S1-caseínas e betalactoglobulina.

É importante observar que, nas cabras, há variabilidade genética associada a uma maior ou menor quantidade de caseína no leite. Esse aspecto tem despertado particular interesse, uma vez que o teor de caseína determina o uso industrial e de consumo desse leite. Nas raças de cabra francesa, Alpina e Saanen, foi determinada a variabilidade do gene da alfa-S1-caseína.

Assim, em relação ao teor de alfa-S1-caseína, distinguem-se quatro classes diferentes de leite de cabra: nível zero, ausência total de alfa-S1-caseína (mais digerível, ideal para evitar alergias alimentares), níveis baixos e níveis elevados e intermediários (adequado para fazer queijo).

Uma alergia alimentar ao leite ou aos laticínios pode aparecer como irritação da pele, vermelhidão, coceira e distúrbios gastrointestinais, como vômitos e diarreia.

Pelo acima exposto, conclui-se que o leite de cabra de certas raças pode ser considerado hipoalergênico em comparação com o da vaca. Portanto, escolher o tipo de leite de cabra de acordo com o genótipo do animal produtor pode ser a solução ideal quando se trata de fornecer leite de cabra para cães. Por fim, certifique-se de falar com o o veterinário se o seu cachorro precisar de um substituto do leite.

  • BAINES, F. M. (1981). Milk substitutes and the hand rearing of orphan puppies and kittens. Journal of Small Animal Practice, 22(9), 555–578. doi:10.1111/j.1748-5827.1981.tb01413.x
  • Heinze, C. R., Freeman, L. M., Martin, C. R., Power, M. L., & Fascetti, A. J. (2014). Comparison of the nutrient composition of commercial dog milk replacers with that of dog milk. Journal of the American Veterinary Medical Association, 244(12), 1413-1422.
  • Oftedal, O. T. (1984). Lactation in the dog: milk composition and intake by puppies. The Journal of nutrition, 114(5), 803-812.
  • Restani P, Gaiaschi A, Plebani A, Beretta B, Cavagni G, Fiocchi A, et al.(1999) Cross-reactivity between milk proteins from different animal species. Clin Exper Allergy 29:997-1004.
  •  Jenness, R. (1979). Comparative aspects of milk proteins. Journal of Dairy Research, 46(2), 197-210.