Psicologia canina: tudo que você precisa saber

Graças à psicologia canina, você pode entender melhor o porquê do comportamento dos cães, o que facilitará sua educação e beneficiará o animal de estimação, que será mais equilibrado. 
Psicologia canina: tudo que você precisa saber

Última atualização: 10 Fevereiro, 2019

Não se trata de levar o seu cão para a terapia ou qualquer coisa assim, mas sim de entender como o seu animal de estimação pensa. A psicologia canina é muito útil quando queremos treiná-los ou educá-los corretamente. Saiba mais sobre ela neste artigo.

O que é psicologia canina?

Para educar seu animal de estimação, é muito importante saber o que é a psicologia canina. Este conceito se baseia em prestar atenção ao pensamento e comportamento dos cães para ensiná-los adequadamente e evitar problemas típicos de comportamento.

Como primeiro passo, devemos nos lembrar de que os cães são descendentes de lobos e que, como eles, precisam viver em um grupo com uma certa forma hierárquica. 

Nesse caso, o dono seria o alfa – ou beta, se fêmea – dominante e o animal pertenceria a um posto inferior, que deve obedecer às ordens impostas por seu líder.

Quando isso não acontece, ou seja, o cão “excede” os limites impostos pelo mestre, seu comportamento se torna desequilibrado, e é aí que aparecem muitos problemas comportamentais ou mesmo agressões.

Se você considerar a psicologia canina, então entenderá por que é necessário dar ao animal certas diretrizes que não podem ser modificadas ou alteradas.

Para alcançar seu objetivo, é muito importante não transferir a forma de pensar ou a psicologia humana para seu pet. Portanto, não é recomendado tratá-lo como se ele fosse uma criança ou um bebê.

A psicologia canina deve ser aplicada a partir de quando o animal é um filhote ou a partir do momento em que ele chega em casa. Em ambos os casos ele buscará a proteção do dono, como se ele fosse sua mãe ou o líder da matilha.

filhote de Husky

Este estágio é crucial na vida do animal, porque se não for ensinado com base na premissa da vida em grupo ou do macho alfa/fêmea beta, no futuro estará mais propenso a problemas comportamentais.

Você terá que equilibrar o afeto com a disciplina para que ele cumpra perfeitamente suas ordens. Não se preocupe se ele não obedecer 100% do tempo, mas procure ajuda se ele nunca prestar atenção.

É provável que quem esteja falhando como ‘coach’ é você, por não entender as necessidades ou a psicologia do animal.

Técnicas para aplicação da psicologia canina

Se um cão é educado de acordo com certas regras, é provável que ele se comporte bem durante toda a sua vida. Mas, atenção, porque você está prestes a “transformá-lo” em um animal que reconhece sua autoridade.

Para que a convivência com o seu pet seja perfeita, daremos algumas dicas:

  1. Não deixe que ele seja dominante

Quando o filhote chega à casa e está brincando, ele provavelmente irá querer pular em você. Não deixe que isso aconteça, pois é um sinal de dominação da parte dele.

Se isso acontecer, tire-o de cima de você, coloque-o no chão e de barriga para cima. Desta forma, ele entenderá “quem é o chefe”.

  1. Brincar apenas com seus brinquedos

Cães podem pegar objetos de seus donos quando estão entediados ou como uma ‘brincadeira’, mas também como uma outra tentativa de dominá-los.

Não deixe que isso aconteça: ofereça seus próprios brinquedos para ele usar quando quiser e castigue-o quando ele usar o que não é dele.

  1. Prêmios e mimos quando merecer

Não se trata de ser ‘de pedra’ e de não demonstrar afeto ao animal, mas de não os estragarmos com excesso de mimos, beijos e presentes.

O cão deve entender que as recompensas devem ser conquistadas. Portanto, quando ele responder positivamente a uma ordem, terá o “direito” a um prêmio.

prêmios para cães

  1. Permita que ele socialize

Outra das “fórmulas” da psicologia canina indica que um cão sociável é um cão saudável. Estar em contato com outros animais – em casa ou fora dela – é bom para sua saúde emocional, e isso ocorre porque os cães precisam se sentir acompanhados.

Tenha em mente que uma das razões para a desobediência e os distúrbios de comportamento é, precisamente, a falta de sociabilidade.

Finalmente, a psicologia canina recomenda que passemos tempo de qualidade com nossos animais de estimação. 

Passe alguns minutos por dia brincando com seu pet, alimente-o de acordo e fortaleça seu vínculo de amor com ele cada vez mais. Desta forma, o animal se comportará mais do que bem.

Pode interessar a você...
Terapia psicológica com cães e gatos
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Terapia psicológica com cães e gatos

Embora seja sempre benéfico ter a companhia de um cão ou um gato em casa, eles podem também ser muito eficazes para terapias psicológicas. Inúmeros estudiosos recomendam sua utilização para, por exemplo, crianças com problemas de autismo. Saiba mais...



  • González Ramírez, M. T., & Hernández, R. L. (2011). Diferencias en Estrés Percibido, Salud Mental y Física de acuerdo al Tipo de Relación Humano-Perro. Revista Colombiana de Psicología.