Quando um filhote pode sair de casa?

Antes de apresentar o mundo ao seu cachorro pela primeira vez, tenha em mente estas recomendações para preservar a sua saúde.
Quando um filhote pode sair de casa?
Sara González Juárez

Revisado e aprovado por a psicóloga Sara González Juárez.

Última atualização: 05 outubro, 2022

Possivelmente, a parte mais desafiadora (mas emocionante) de adotar um filhote são os primeiros passeios. Permitir que o animal entre em contato com cheiros e ruídos, conheça outros cães e comece a socializar com as pessoas: tudo isso formará sua personalidade adulta e gastará toda a sua energia.

No entanto, é importante lembrar que a imunidade dos filhotes não está totalmente desenvolvida até que eles completem o calendário de vacinação. Antes desse período, eles estão muito mais expostos a vírus, bactérias e parasitas do que um adulto. O que você precisa, então, antes de permitir o primeiro passeio de sua vida? Aqui contamos mais detalhes.

A importância das vacinas

Como você pôde ler com antecedência, é necessário que o filhote tome todas as vacinas antes de sair pela primeira vez. Este requisito não se impõe apenas para proteger o seu cão, mas todos os outros, uma vez que o cumprimento desta medida é uma barreira para a propagação de doenças e a criação de pandemias.

Uma vacina consiste na inoculação de um patógeno atenuado e morto ou de uma fração de um vírus com o objetivo de que o organismo crie defesas contra ele sem desenvolver a doença.

As doenças que devem ser protegidas com esta medida são a cinomose, a parvovirose, a hepatite, a leptospirose, a parainfluenza e a raiva. Algumas delas, no entanto, podem não ser necessárias na região em que você mora (ou pode ser necessário adicionar alguma que não esteja nesta lista). Portanto, será o seu veterinário quem definirá o plano de vacinação.

Alguns filhotes de cachorro.

Calendário de vacinação dos filhotes

Embora o plano possa mudar de acordo com a região e as doenças com alta incidência nela, existe um calendário básico que serve para dar uma ideia do que o filhote precisa antes de dar seu primeiro passeio. É o seguinte:

  • 6 semanas: vacina contra parvovirose e cinomose.
  • 8 semanas: polivalente, uma picada que reforçará as 2 anteriores e adicionará imunidade à hepatite, parainfluenza e leptospirose.
  • 12 semanas: vacina antirrábica e possível chip de identificação.
  • 12 meses ou mais: reforço de polivalente e antirrábica.

Posso levar o meu cachorro para passear logo após a última vacinação?

Como a última vacinação do estágio de filhote é dada na 12ª semana de vida, você pode pensar (não sem razão) que ele está pronto para sair na rua. No entanto, o pequeno não estará totalmente protegido até os 5 meses de idade, quando atinge 99% de imunidade.

No entanto, se tiver acesso a um local exterior com um estado de higiene aceitável, pavimentado e, se possível, sem cães ou outros animais, é possível abrir uma exceção a partir de 7 dias após a última vacinação. Se ele se aproximar de outros cães, você precisa saber se eles estão vacinados ou não.

Da mesma forma, não é aconselhável andar por áreas ajardinadas ou vegetação selvagem. Nesses locais, a presença de fezes e urina infectadas, contato com animais de outras espécies e cães desconhecidos, além de parasitas que vivem na área, são muito mais prováveis.

Na dúvida, sempre recorra ao veterinário

Um cachorrinho em um campo de flores.

Como você pode ver, correr o risco de sair na rua com um filhote antes dos 5 meses de idade é alto. É verdade que tanto você quanto o pequeno vão querer explorar o mundo juntos, mas respeitar esse período é o que vai poupar grandes sustos em sua fase de desenvolvimento.

Contrair uma doença como cinomose ou parvovirose ameaçará seriamente a vida do filhote, além de causar consequências em sua vida adulta.

Portanto, para ter um calendário atualizado de acordo com a região em que você mora, você terá que contar com um profissional veterinário acompanhando o processo. Cada cão é um mundo e a atenção personalizada é o que, em muitos casos, garante uma vida saudável e feliz.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Comunidad de Madrid. (2016, 22 julio). Ley 4/2016, de 22 de julio, de Protección de los Animales de Compañía de la Comunidad de Madrid. Boletín Oficial del Estado. Recuperado 22 de agosto de 2022, de https://www.boe.es/buscar/pdf/2016/BOE-A-2016-11097-consolidado.pdf
  • DE, D., & DE, V. (2016). Directrices para la vacunación de perros y gatos. Journal of Small Animal Practice57.
  • Cardona Pérez, M. A. (2022). Algunos aspectos inmunológicos básicos de la vacunación en perros.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.