Parasitas pulmonares em cães: características, tratamento e prevenção

Os parasitas estão praticamente em toda parte. Eles conseguiram se adaptar a diferentes condições, podendo chegar a lugares tão estranhos como o pulmão dos caninos, onde completam seu ciclo de vida.
Parasitas pulmonares em cães: características, tratamento e prevenção

Última atualização: 20 Setembro, 2021

Todos os animais estão sujeitos a doenças causadas por parasitas presentes no ambiente. No caso dos cães, especialmente os jovens e curiosos, existe um tipo de parasita pulmonar que pode causar graves sintomas respiratórios e pôr sua vida em risco.

Os pulmões do seu animal de estimação podem ser invadidos por esses parasitas sem que você perceba. Neste artigo, falaremos sobre a forma como esses microrganismos invadem o trato respiratório, juntamente com algumas recomendações para que você possa identificá-los a tempo. Além disso, iremos abordar algumas estratégias diagnósticas e terapêuticas.

O que são os parasitas pulmonares em cães?

Os parasitas são seres que vivem às custas de outro animal vivo (o hospedeiro) e são capazes de invadir diferentes áreas, órgãos e sistemas dos animais. No caso de parasitas pulmonares em cães, eles colonizam os pulmões e as regiões próximas das vias respiratórias.

Talvez em sua casa exista menos chance de contrair uma doença causada por parasitas. No entanto, quando seus animais de estimação saem de casa e entram em contato com o meio ambiente, o nível de exposição aumenta. Alguns parasitas pulmonares em cães têm preferência por certas condições ambientais e áreas geográficas específicas.

Às vezes, os sintomas de parasitas pulmonares em cães podem dificultar o diagnóstico definitivo, devido à semelhança com muitas outras doenças respiratórias. Portanto, é importante que desde o primeiro sinal ou comportamento estranho do seu animal você o leve ao veterinário.

 

O que é o verme pulmonar e como ele infecta meu cachorro?

Ao contrário da crença popular, nem todos os parasitas que infestam cães são transmitidos por vetores como artrópodes e insetos alados. Quando se trata de parasitas pulmonares, os seres envolvidos em sua transmissão são inesperados: caramujos e lesmas.

Um dos principais parasitas pulmonares que afetam os cães é o Angiostrongylus Vasorum, nematoide da família Metastrongylidae. Esses perigosos inquilinos, uma vez adultos, se localizam nas artérias pulmonares e no coração de alguns cães, onde causam várias alterações.

O ciclo de vida dos parasitas pulmonares em cães é muito interessante. Tudo começa quando seu animal de estimação bebe água de lagos ou reservatórios em que haja a presença de larvas suspensas, ou após a ingestão de um animal vetor. Uma vez dentro do corpo, os nematoides viajam pelo trato digestivo, onde conseguem cruzar a parede intestinal e chegar à corrente sanguínea.

Quando finalmente atingem os pulmões, após viajarem pelas artérias e capilares, os parasitas começam seu desenvolvimento para se tornarem larvas adultas. Esse processo pode levar até 2 meses, e ao final os parasitas medem 2 centímetros. As condições oferecidas pelos pulmões são ideais para que esses invasores se reproduzam e surjam mais larvas jovens.

Assim que seu animal espirra, tosse ou libera qualquer exsudação, os parasitas chegarão à cavidade oral, onde serão engolidos e novamente farão uma viagem para chegar ao reto. Eles serão evacuados nas fezes do cão para finalmente esperar no ambiente por um vetor para transportá-los e o ciclo se repetir.

Cães com maior predisposição

Parasitas pulmonares em cães não veem raça, sexo ou idade, e todos os cães estão expostos a contraí-los. No entanto, filhotes, cães inquietos ou cães que quando caminham não ficam sob a supervisão de seus tutores podem beber água estagnada ou brincar com um vetor e desencadear todo o ciclo que discutimos anteriormente.

Durante o período chuvoso costuma haver um maior número de pacientes afetados, devido ao aumento da população de caramujos e lesmas. Ressalta-se a importância de manter seu animal de estimação com um sistema imunológico forte e de boa saúde, pois isso diminuirá a possibilidade de que parasitas pulmonares em cães lhe causem danos.

Sintomas dos vermes pulmonares

Quando um cão está infestado por parasitas pulmonares, os sintomas que pode apresentar dependem de vários fatores, tais como: há quanto tempo está parasitado, o tipo de parasita que o aflige, o seu estado de saúde e a gravidade da infestação. Entre os sintomas leves, estão os seguintes:

  • Falta de apetite e perda de peso.
  • Tosse seca depois de fazer algum esforço.
  • Apatia e decadência física geral.
  • Intolerância ao exercício

Em alguns casos, os vermes pulmonares em cães podem tomar a frente e causar estragos em sua saúde. Preste atenção, pois seu animal de estimação pode apresentar os seguintes sinais em quadros graves:

  • Coagulopatias e consequentes hemorragias de diferentes tipos.
  • Problemas oftálmicos (uveítes e hemorragias conjuntivais, entre outros).
  • Paralisia, ataxia, tremores, distúrbios dos nervos cranianos e outros sinais nervosos.

Diagnóstico e tratamento de parasitas pulmonares em cães

Caso tenha notado algum dos sinais que acabamos de mencionar, o melhor é levar o seu animal a uma clínica veterinária para que, após uma avaliação, seja realizado um diagnóstico definitivo. O veterinário usará uma série de ferramentas e alguns exames para detectar parasitas pulmonares em cães. Os mais frequentes são os seguintes:

  • Ausculta pulmonar.
  • Radiografias do tórax.
  • Ressonância magnética.
  • Exames de sangue (possível anemia, diminuição da contagem de plaquetas).
  • Exame fecal (para verificar a presença de larvas do parasita).
  • Coleta de amostra das secreções respiratórias.

Confirmada a infestação por parasitas pulmonares em cães, a primeira recomendação é submeter o paciente a um tratamento antiparasitário. As opções de medicamentos a serem administrados são vastas e o veterinário lhe dirá qual medicamento usar, junto com a dosagem e a duração.

Também é importante administrar medicamentos que tenham um bom controle dos sinais clínicos e, assim, mantenham seu animal o mais calmo e confortável possível. Os parasitas pulmonares em cães podem se tornar tão agressivos que, ocasionalmente, é necessário internar o cão e fazer oxigenoterapia, administrar broncodilatadores, diuréticos e analgésicos.

Como prevenir parasitas?

Como você deve ter notado, a variedade de parasitas que podem afetar seu animal de estimação é enorme. Daí a importância de a vermifugação abarcar além dos parasitas externos (como pulgas e carrapatos), pois seu efeito também erradica os endoparasitas, inclusive todos aqueles que conseguem colonizar os pulmões.

Ao passear com seu animal de estimação, evite ir a locais onde existam poças de água estagnada. Se o cão está habituado a passear sem guia, não o perca de vista, pois ele pode encontrar um caracol ou uma lesma com que vai querer brincar e pode engoli-los.

 

Um cachorro em um cobertor.

Os parasitas pulmonares dos cães aguardam o momento certo para invadir suas vítimas. Recomendamos que você siga cada uma dessas indicações e consulte periodicamente com o veterinário do seu animal. Não deixe esses nematoides vencerem a batalha.

Pode interessar a você...
Parasitas intestinais: tênias e lombrigas
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Parasitas intestinais: tênias e lombrigas

As tênias e lombrigas podem causar sérios problemas para a saúde dos nossos animais de estimação. Estes parasitas intestinais devem ser removidos p...