10 raças de porcos e suas características

A herança de características físicas em suínos é complicada e nem sempre segue um padrão fixo. Isso fez com que a cada tentativa de modificá-los, novas raças fossem geradas.
10 raças de porcos e suas características
Cesar Paul Gonzalez Gonzalez

Escrito e verificado por o biólogo Cesar Paul Gonzalez Gonzalez.

Última atualização: 28 julho, 2023

O porco é um animal de fazenda que é utilizado como alimento em várias regiões do mundo. Após um longo processo de domesticação, hoje foi selecionado um grande número de raças de porcos que destacam certas características da espécie original (ou outras novas).

O nome científico deste organismo é Sus scrofa domestica e pertence à família Suidae, que também inclui exemplares como pecaris e javalis. Graças ao fato de essa subespécie possuir um corpo com grande quantidade de carne, a produção tem sido beneficiada por técnicas de melhoramento genético. Continue lendo e conheça algumas das raças suínas mais famosas que existem.

Origem da domesticação de porcos

Embora ainda não haja informações precisas, acredita-se que o início da domesticação do porco tenha ocorrido há 13 mil anos no Oriente Médio. No entanto, é provável que a China também a tenha realizado ao mesmo tempo. De acordo com alguns estudos de DNA, as espécies que chegaram à Europa não eram as mesmas que as asiáticas. Então, ao serem cruzadas, foram criadas as raças que hoje são conhecidas.

Como se não bastasse, a chegada dos porcos a novos continentes como a América levou ao reforço da seleção artificial das espécies. Dessa forma, houve uma grande distribuição desses organismos no mundo que foi utilizada para tentar melhorar algumas de suas características. O cruzamento seletivo dos exemplares foi a causa inicial do aparecimento de várias raças com características distintivas.

As raças de porcos

Do ponto de vista utilitário, as qualidades mais importantes dos suínos são o tamanho, a proporção de gordura e a quantidade de carne. A indústria busca aproveitar o metabolismo adaptativo desses animais, que transforma alimentos à base de plantas em carne de qualidade. Graças a isso, cada raça está focada em melhorar um ou mais aspectos que beneficiam seu cuidado e criação.

Ao falar de raças, na verdade, faz-se referência a um grupo de exemplares que possuem as mesmas características. Pensando nisso, apresentamos a seguir as raças de suínos mais conhecidas e algumas de suas particularidades.

1. Large white

Esta variante é originária do norte da Inglaterra e é o produto do cruzamento entre as raças chinesa, napolitana e yorkshire. As características mais reconhecíveis são sua cor branca, suas orelhas eretas e seu corpo grande, o que lhe confere uma constituição forte. Além disso, os espécimes tendem a criar bem seus filhos, adaptam-se a recursos limitados e têm alta fertilidade.

2.Landrace

A origem desta raça é dinamarquesa e caracteriza-se pela sua boa conversão alimentar. Isso significa que cada espécime aproveita os nutrientes que consome para crescer saudável e forte. O corpo destes porcos é branco e bastante alongado, razão pela qual têm mais costelas do que outros tipos de raças.

3. Pietrain

De origem belga, esses organismos se distinguem por seus corpos redondos com grande quantidade de músculos. Quanto às suas qualidades, este tipo de porco destaca-se por ter muito pouca gordura corporal. No entanto, a manutenção é difícil e seus cuidados são complicados, pois seus ossos não suportam bem o peso de toda a sua musculatura.

4. Tamworth

Esses organismos são de cor avermelhada, com corpo pequeno e focinho comprido, e se mantêm em excelente saúde durante toda a sua criação. Este último fator é importante, pois graças a isso eles são cruzados com outros porcos para melhorar diferentes raças. Na verdade, eles são conhecidos como uma das mais antigas linhagens de porcos domésticos.

5. Duroc Jersey

Esse tipo de porco é originário dos Estados Unidos e é caracterizado por uma cor de pele vermelha que varia entre forte e leve. É uma raça com poucos rendimentos notáveis na produção. Os exemplares adultos, embora sejam geralmente conhecidos por serem pouco dóceis, dependendo da criação podem ser muito tranquilos.

6. Berkshire

Esta raça é de origem inglesa e é reconhecida por sua aparência áspera com membros pequenos. Esses porcos exibem pelo e pele pretos que são distinguíveis e muito visíveis. Além disso, geralmente são animais com boa disposição para iscas, o que facilita sua alimentação. Como se isso não bastasse, eles são conhecidos por serem precoces, o que significa que se reproduzem muito jovens.

7. Hampshire

Essa raça americana tem sua origem nos Estados Unidos, de onde foi introduzida na Europa em 1960. A característica mais reconhecível é sua cor preta com uma faixa branca, que cobre seus ombros e membros anteriores. Por outro lado, entre as suas características em termos de manutenção destacam-se a sua baixa sensibilidade ao estresse e a sua fácil adaptação ao ambiente.

8. Yorkshire

Este tipo de porco é o mais comum nas fazendas norte-americanas. A raça Yorkshire destaca-se por possuir uma excelente capacidade materna e leiteira (por parte das fêmeas), o que facilita a criação de exemplares jovens.

9. Casertana

A raça casertana tem uma origem bastante remota, pois era representada nas esculturas dos romanos. Este tipo de porco é um dos mais pesados da lista, pois produz grandes quantidades de gordura. De fato, com um ano de idade, espécimes bem nutridos podem exceder 150 kg de peso. A cor desses animais varia entre cinza, preto e roxo.

10. Chato murciano

Este tipo de porco é originário de Múrcia (Espanha) e representa a última raça viva típica da região. O chato murciano tem cabeça e focinho pequenos e seu corpo é completamente preto e branco.

Uma variedade impressionante

Como você pode ver, os porcos são um dos animais mais afetados pela domesticação. Este processo sempre teve como objetivo melhorar a produção de alimentos através da modificação dos exemplares. Ao contrário do que se pensa, não é necessário alterar o DNA para mudar um organismo, pois basta selecionar os cruzamentos para favorecer o aparecimento de determinados traços.

Além de seu valor produtivo, todos os tipos de porcos se destacam por sua inteligência, personalidade, beleza e capacidade de socializar com colegas e tutores. É preciso valorizá-los além do prato, pois esses mamíferos são animais com sentimentos e fascinantes em termos de diversidade genética.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Giuffra, E. J. M. H., Kijas, J. M. H., Amarger, V., Carlborg, Ö., Jeon, J. T., & Andersson, L. (2000). The origin of the domestic pig: independent domestication and subsequent introgression. Genetics, 154(4), 1785-1791.
  • Larson, G., Albarella, U., Dobney, K., Rowley-Conwy, P., Schibler, J., Tresset, A., … & Cooper, A. (2007). Ancient DNA, pig domestication, and the spread of the Neolithic into Europe. Proceedings of the National Academy of Sciences, 104(39), 15276-15281.
  • Laval, G., Iannuccelli, N., Legault, C., Milan, D., Groenen, M. A., Giuffra, E., … & Ollivier, L. (2000). Genetic diversity of eleven European pig breeds. Genetics selection evolution, 32(2), 1-17.
  • Pugliese, C., & Sirtori, F. (2012). Quality of meat and meat products produced from southern European pig breeds. Meat science, 90(3), 511-518.
  • Muñoz, M., Bozzi, R., García, F., Núñez, Y., Geraci, C., Crovetti, A., … & Óvilo, C. (2018). Diversity across major and candidate genes in European local pig breeds. PLoS One, 13(11), e0207475.
  • Uimari, P., & Tapio, M. (2011). Extent of linkage disequilibrium and effective population size in Finnish Landrace and Finnish Yorkshire pig breeds. Journal of animal science, 89(3), 609-614.
  • Fortina, R., Barbera, S., Lussiana, C., Mimosi, A., Tassone, S., Rossi, A., & Zanardi, E. (2005). Performances and meat quality of two Italian pig breeds fed diets for commercial hybrids. Meat Science71(4), 713-718.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.