Razões para não castigar seu cão

Os castigos físicos e psicológicos não só não ajudam o seu cão a aprender e se comportar melhor, como também impedem seu processo de aprendizagem. Conheça algumas razões para não castigar seu amigo peludo.

Todas as famílias que têm um cão se preocupam com sua educação. Estamos constantemente ensinando coisas a eles. E mesmo que aprendam muito apenas nos imitando, eles nunca deixam de aprender.

Sabemos que quando nosso cão faz algo que gostamos, devemos recompensá-lo. Portanto, quando ele faz algo que não gostamos, nós o castigamos. Mas devemos nos perguntar: os castigos são apropriados? Eles ajudam os cães a aprender?

Reforço positivo

O melhor método para ensinar qualquer coisa a um cão (ou a qualquer outro animal, já que é uma técnica usada no treinamento de golfinhos, por exemplo) é o reforço positivo. Com o reforço positivo, o cão recebe o prêmio após fazer algo que gostaríamos que se repetisse. Dessa forma, a experiência agradável o incita a repeti-la. O cão pode ser recompensado de várias maneiras: com comida, atenção, um brinquedo, etc.

Razões para não castigar seu cão

Um castigo pode ser definido como a adição de uma experiência desagradável a um comportamento que não queremos que se repita. Por exemplo, dar um puxão na coleira é um castigo para que o cão não corra atrás de uma bicicleta na rua.

Em geral, podemos citar duas formas de castigar seu cão: castigos físicos e psicológicos. Como castigos físicos, podemos citar toques, tapas, golpes etc. Também são exemplos os puxões de coleira e imobilizações.

Menos conhecidos, porém também muito prejudiciais, são as formas psicológicas de castigar seu cão. Apesar de não causarem dano físico, ameaçam o bem-estar mental do animal. São exemplos: ameaças, gritos, correções, o famoso e firme “não!”, isolamento, etc.

Cachorro de castigo

Ambas as formas de castigar seu cão vão machucá-lo. As penas físicas e psicológicas não só não ajudam o seu cão a aprender a se comportar melhor, como também impedem seu processo de aprendizagem. Ou seja, ao castigar seu cão, ele vai aprender menos e mais devagar.

1. Não sabemos como aplicar os castigos

De acordo com a teoria das leis da aprendizagem, os castigos servem para aprender coisas novas. Eles devem ser aplicados com a intensidade certa e no momento certo. Porém, os seres humanos não são tão precisos sobre como o castigo deve ser.

Não sabemos como aplicar castigos. Fazemos isso de forma muito atrasada, muito intensa ou muito suave. Não sabemos transmitir com um castigo ao cão o que queremos dele. Para eles, os castigos parecem aleatórios, inúteis dentro de sua aprendizagem.

2. Castigos interrompem a aprendizagem

Uma das maneiras mais confiáveis de aprender é a técnica de “tentativa e erro”. Quando damos ao cão a oportunidade de aprender algo, o que ele fará é tentar coisas diferentes até alcançar o que queremos. Se quando ele acerta o premiamos, estaremos ensinando claramente que é isso que queremos.

Cachorro deitado na cama

Por outro lado, se o castigamos quando ele errar, estaremos interrompendo esse processo. Dessa forma, estaremos tirando a oportunidade dele chegar ao comportamento que queremos que se repita. Nós castigamos muito cedo e inibimos sua liberdade de continuar tentando.

3. Castigos dão medo

Castigar seu cão provoca medo nele, assim como em crianças pequenas. Claro, os castigos físicos também provocam dor.

Com castigos psicológicos, o cão entende que você está proibindo ações que ele não compreende e dando ordens que ele não sabe como obedecer. Isso causa instabilidade e ansiedade no animal.

Qualquer ser com medo não pode ser feliz. Castigar seu cão o assusta, machuca e afeta severamente seu bem-estar.

4. Castigos diminuem a confiança

Os castigos que aplicamos são aleatórios, não fazem bem e possuem um grande componente emocional. Aos olhos do cão, os castigos são erráticos. O que você consegue ao castigá-lo é parecer uma pessoa imprevisível.

Não podemos querer que nosso cão confie em nós e queira estar o nosso lado se o castigamos. Estamos fazendo com que ele passe por experiências ruins sem que ele entenda o porquê. Nos tornamos pessoas nas quais não se pode confiar.

5. Castigos não fornecem informações

De todas as razões, talvez uma das mais importantes para não punir o seu cão: uma punição não fornece informações sobre o que é um bom comportamento. Ao castigar, informamos o que não queremos, mas não o que queremos. Se não permitirmos que o cão tente até acertar, ele nunca saberá como acertar.

Dona abraçada com seu cachorro durante o pôr do sol

Com o castigo, nós o impedimos de chegar à conclusão que desejamos. Não estamos permitindo que ele aprenda, estamos apenas inibindo-o. Se ele nunca souber como se portar bem, obviamente nunca poderá fazer isso.

6. Nos sentimos mal

Poucas pessoas gostam de ter que punir ou repreender seu cachorro. No entanto, nos sentimos muito bem quando os premiamos. As pessoas que constantemente castigam seu cão sentem-se menos felizes e mais frustradas. Por outro lado, recompensar um cão por ele ter aprendido a fazer algo é muito gratificante.

Se as outras razões para não punir o seu cão não o convencem, guie-se por esta: ao castigar, você também se sente mal. Você será muito mais feliz e terá um melhor relacionamento com o seu cão ao se concentrar no que ele faz de bom. Assim como aprendendo a premiá-lo quando ele merecer.

Como conclusão, podemos garantir que castigar faz tão mal ao cão quanto ao humano. Alterar o método de educação por um baseado em prêmios fará com que nos sintamos melhor conosco mesmos.

Ao usar castigos na educação dos nossos cães, estaremos impedindo que eles aprendam. Porém, estaremos fazendo mal também a nós mesmos. Se banirmos punições e nos concentrarmos em premiar as boas ações, nosso cão aprenderá mais rápido e seremos mais felizes.

Recomendados para você