Salvar os coalas através de seus genes

fevereiro 9, 2019
Uma série de cientistas australianos alertou que metade da população desse marsupial pode desaparecer nos próximos 20 anos.

Salvar os coalas tornou-se uma prioridade na Austrália há alguns anos. Um estudo recente sequenciou o genoma desse marsupial, o que permite enfrentar algumas de suas ameaças, especialmente doenças.

Salvar os coalas: cada dia mais necessário

Em 2012, veio a notícia: salvar os coalas tornou-se algo primordial para o governo australiano, declarando essa espécie como vulnerável em algumas áreas do país. Infelizmente, este animal símbolo da Oceania está cada vez mais ameaçado.

Segundo os pesquisadores, nos próximos 20 anos metade dos coalas podem desaparecer do país, algo assustador. 

Curiosamente, as populações de coalas aumentaram em algumas partes do sul da Austrália, enquanto no norte elas estão desaparecendo.

Salvar os coalas: a importância do seu genoma

Por isso, uma equipe de cientistas australianos sequenciou o genoma completo do coala, que fornece uma estrutura incomparável para a sua conservação, uma vez que é uma espécie única.

coala

Uma das descobertas mais marcantes é a composição do leite do coala. Descobriu-se que o coala ajusta a composição das proteínas do leite dependendo do estágio da lactação, algo que não ocorre entre outros animais.

Cientistas também descobriram genes relacionados ao sistema imunológico do coala, o que nos permitirá mergulhar no estudo da clamídia, uma doença que coloca em risco a conservação dessa espécie.

Essa doença causa cegueira e infertilidade em coalas, uma combinação que fez as populações despencarem.

Espera-se que este novo estudo ajude a desenvolver uma vacina contra a clamídia, já que, em algumas áreas da Austrália, ela afeta 90% dos animais.

Esta doença tem tratamento, mas os centros de resgate de animais selvagens estão em colapso no país, assim como as clínicas veterinárias especializadas. A medicação se baseia em antibióticos, que devem ser ministrados por semanas ou mesmo meses. Quando se trata de animais de estimação, é fácil medicá-los, mas, quando se trata de animais selvagens, é um verdadeiro problema e algo que ameaça sua liberdade após a cura.

coala dormindo

Outra das ameaças para o coala é um retrovírus específico de sua espécie, que apenas agora está sendo investigado. 

Espera-se que o estudo do genoma do coala revele dados importantes sobre este vírus, já que ele parece ter evoluído junto com a espécie, por isso estão intimamente relacionados.

Salvar os coalas, uma espécie única

Coalas são uma espécie única: são os últimos dos Phascolarctidae, uma família de marsupiais que se tornou extinta há milhares de anos na Austrália, da qual só restou o coala.

Entre suas curiosidades destaca-se sua dieta especial: comer folhas de eucalipto é algo especialmente tóxico para outros mamíferos, mas o coala foi capaz de adaptar seu sistema digestivo a esta difícil digestão.

Uma das descobertas deste estudo foi descobrir como os genes relacionados com as enzimas que desintoxicam se desenvolveram e se estabeleceram principalmente no fígado, indicando a sua importância para eliminar o efeito tóxico dos fenólicos de eucalipto.

Além disso, é importante ressaltar que, graças a isso, o coala tem acesso a um alimento que outros animais desprezam, por isso, não tem que competir nesse aspecto com outras espécies.

Porém, apesar deste cardápio exclusivo, a mudança climática também ameaça a espécie, que passou a se aproximar sedento das pessoas para poder beber água. Este novo estudo parece dar esperança a um dos animais mais simpáticos da fauna da Austrália.