Sarna negra: causas, sintomas e tratamento

· março 5, 2018

Você já ouviu falar de sarna negra, também conhecida como sarna demodécica? É uma doença que se caracteriza pela queda do pelo e inflamação da pele. Se não for tratada a tempo, pode provocar infecções e produzir coceira.

No entanto, não é uma doença contagiosa para outros cães nem para humanos. Só se desenvolve em animais predispostos a doenças.

Um ácaro provoca a sarna vermelha

O ácaro Demodex sp vive habitualmente nos cães, alojado dentro dos folículos da pele. Quando esse parasita se multiplica excessivamente, causa a perda de pele e uma inflamação cutânea visível.

Cachorro se coçando

Mas como a sarna negra se desenvolve? Quando o sistema de imunidade do cão é incapaz de controlar esse ácaro. Geralmente, trata-se de uma doença hereditária, e se recomenda que os animais com esse problema não se reproduzam, pois favorecem a aparição de algumas doenças, tanto inatas quanto adquiridas.

Ainda que, vale ressaltar, o estresse seja um dos principais motivos para que esse tipo de sarna vermelha se manifeste. Por isso, é preciso estar atento para perceber se se o surgimento dessa doença está relacionada a alguma mudança na situação do animal. Uma mudança de casa, um novo membro na família, uma morte, etc.

Diagnosticar esse problema nos cachorros é uma tarefa bem simples para o veterinário. E mesmo que alguns sinais clínicos permitam um alto grau de certeza, é feita uma raspagem da pele para que se confirme a situação.

A sarna vermelha produz perda de pelo, inflamação cutânea e, em casos mais graves, lesões na pele dos cães. A principal causa dessa doença pode ser encontrada em situações de estresse vividas pelo animal.

 Como a sarna vermelha se manifesta

A sarna vermelha se apresenta de três maneiras:

  • Localizada: São observadas manchas isoladas sem pelo, sobretudo no rosto e principalmente ao redor dos olhos do animal. Em geral, são os filhotes que sofrem com ela e, na maioria dos casos, desaparece sozinha, quando o sistema imunológico do cão acaba de se desenvolver.
  • Generalizada: as lesões sem pelo se distribuem por todo o corpo, mas afetam em especial a zona do rosto. No tato, nota-se a pele muito oleosa, com um cheio forte e desagradável e, além disso, aparecem crostas e pústulas que podem chegar a sangras. Alguns cães podem também ter febre, ficarem fracos e perderem o apetite.
  • Pododemodicose: a sarna só se manifesta nos pés e nas mãos do cão e é acompanhada de lesões secundárias que, em geral, custam a desaparecer. Trata-se da forma mais resistente desta doença, já que os ácaros se alojam em grande profundidade e não são facilmente eliminados.

Tratamento da sarna negra

Se você suspeita que seu animal sofre de sarna negra, leve-o imediatamente ao veterinário. Quanto mais rápido for diagnosticada e tratada, mais rápida será a recuperação. O procedimento médico busca diminuir a quantidade de ácaros na pele e controlar as infecções secundárias.

A primeira coisa que o profissional fará será depilar a zona afetada e, caso exista algum tipo de lesão, procederá com o tratamento adequado. Nessas circunstâncias, também será necessária a prescrição de antibióticos.

O mais provável é que o veterinário indique banhos com algum tipo de inseticida, como o amitraz. Depois de um tempo, deve ser realizada uma nova raspagem para comprovar a diminuição do número de Demodex sp.

Mastim se coçando

De toda maneira, é importante que, para evitar recaídas, sejam identificados os motivos que provocaram ou o estresse ou a baixa da imunidade do animal. Caso contrário, é muito provável que a sarna volte a se manifestar mais cedo ou mais tarde.

Alguns conselhos para evitar a sarna negra

Além de tratamentos pontuais, para que seu animal minimize o risco de sofrer com esta doença, tenha em conta que:

  • Você deve desparasitar o cão – tanto interna quanto externamente – e vaciná-lo periodicamente, seguindo as indicações do veterinário.
  • Você precisa lhe dar uma ração de qualidade e de acordo com suas características (tamanho, idade, raça, etc.).
  • Aconselha-se a esterilização tanto em machos como em fêmeas. Dessa forma, evita-se o estresse que os animais sofrem na época do cio.

Por último, mas não menos importante, voltamos a lembrá-lo que não é conveniente que esses animais se reproduzam, já que a sarna negra geralmente é hereditária. Também deve ser evitada a prescrição de corticoides e outros medicamentos que suprimam o sistema imune para o tratamento dessa doença.

Fonte da imagem principal: Andrew