Saúde do nariz dos cães de acordo com os veterinários

O nariz dos cães é a porta de entrada para muitas das informações que o animal recebe, bem como a principal via para muitas doenças.
Saúde do nariz dos cães de acordo com os veterinários

Última atualização: 30 Janeiro, 2021

O nariz dos cães é um super-órgão capaz de cheirar 100 000 vezes melhor que o dos humanos. Através dele, o animal conhece e entende o mundo ao seu redor. Ele é capaz de detectar centenas de substâncias diferentes, mas, além disso, também desvenda as emoções dos seus familiares. Portanto, a saúde do nariz dos cães é fundamental para que o seu estado geral, tanto físico como psicológico, mantenha-se em boa forma e estável.

Neste artigo, iremos descobrir algumas das doenças que podem agravar a saúde do nariz dos cães, entre outras curiosidades. Lembre-se de que, diante de qualquer alteração no estado de saúde do animal, você deve procurar um profissional para que o avalie e aplique o melhor tratamento.

A microbiota que vive no nariz dos cães

Assim como o intestino abriga uma grande variedade de bactérias cujo equilíbrio torna nosso animal de estimação saudável, parece que a mesma coisa acontece no trato respiratório.

Não há muitos estudos veterinários focados nesse assunto, mas alguns descobriram que em cães saudáveis ​​existem alguns tipos de bactérias alojadas no trato respiratório superior e inferior. Essas bactérias vivem ali porque não precisam de muitos nutrientes para sobreviver.

A microbiota que vive no nariz do cão

Neoplasia nasal canina

A neoplasia nasal canina é uma doença rara que geralmente ocorre em cães com focinhos longos. São tumores, principalmente malignos, que afetam a saúde do nariz dos cães. O tutor do cão pode começar a perceber essa condição médica em seu animal de estimação devido ao aparecimento de epistaxe – sangramento nasal – em apenas um dos orifícios. Outros sintomas da doença são:

  • Dificuldade respiratória.
  • Espirros.
  • Secreção nasal.
  • Aparição de massas ou protuberâncias de diferentes formas e tamanhos.

Por outro lado, aparecem alterações na microbiota nasal em cães doentes e infecções secundárias que melhoram com a aplicação de antibióticos.

Rinite crônica canina

A rinite crônica é uma doença imunomediada que causa secreção excessiva e inflamação generalizada da cavidade nasal, levando a sintomas como epistaxe, tosse, coriza e estertores ou sibilos provocados pela passagem do ar por dutos bloqueados.

O quadro clínico da rinite crônica não parece melhorar com o uso de antibióticos, corticosteroides ou anti-inflamatórios. Portanto, essa doença continua a ser estudada.

Rinite crônica canina

Outras doenças que deterioram a saúde do nariz dos cães

O nariz dos cães termina em um órgão chamado trufa, que é a área externa. Possui milhares de terminações nervosas, além de outros elementos que lhe permitem cumprir sua função.

Quando a pele da trufa é alterada, pode ser um sinal de que algo está errado com o cão. Esse órgão deve estar sempre macio e úmido, pois o cão é responsável por umedecê-lo com a língua.

No momento em que aparecem rachaduras ou feridas no nariz, esses sintomas podem ser consequência de doenças diferentes das mencionadas acima, como o parvovírus, a leishmaniose ou infecções fúngicas.

Por outro lado, por ser constituída por pele e estar exposta a intempéries, a trufa pode ser danificada. O sol pode causar queimaduras graves se o animal ficar muito tempo exposto, além de poder desenvolver um carcinoma.

Se você deseja manter a saúde do nariz do seu cão, é importante mantê-lo afastado de certos produtos:

  • Cigarro.
  • Produtos químicos de limpeza.
  • Veneno.
  • Enxofre.
  • Temperaturas extremas.
  • Ambientes sujos.
Pode interessar a você...
O nariz do cachorro: 6 curiosidades
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
O nariz do cachorro: 6 curiosidades

O nariz do cachorro, juntamente com o sistema olfativo, fornece um sistema de alerta precoce para a detecção de alimentos e possíveis perigos.



  • Clapper, W. E., & Meade, G. H. (1963). Normal flora of the nose, throat, and lower intestine of dogs. Journal of bacteriology, 85(3), 643-648.
  • Codner, E. C., Lurus, A. G., Miller, J. B., Gavin, P. R., Gallina, A., & Barbee, D. D. (1993). Comparison of computed tomography with radiography as a noninvasive diagnostic technique for chronic nasal disease in dogs. Journal of the American Veterinary Medical Association, 202(7), 1106-1110.
  • Gerde, P., & Dahl, A. R. (1991). A model for the uptake of inhaled vapors in the nose of the dog during cyclic breathing. Toxicology and applied pharmacology, 109(2), 276-288. 
  • Lefebvre, J., Kuehn, N. F., & Wortinger, A. (2005). Computed tomography as an aid in the diagnosis of chronic nasal disease in dogs. Journal of small animal practice, 46(6), 280-285.
  • Torres, G., & Rodríguez, S. (2008). Neoplasias de cavidad nasal y senos paranasales en caninos. Cultura Científica, (6), 56-61.
  • Tress, B., Dorn, E. S., Suchodolski, J. S., Nisar, T., Ravindran, P., Weber, K., … & Schulz, B. S. (2017). Bacterial microbiome of the nose of healthy dogs and dogs with nasal disease. PloS one, 12(5), e0176736.
  • Windsor, R. C., & Johnson, L. R. (2006). Canine chronic inflammatory rhinitis. Clinical techniques in small animal practice21(2), 76-81.