Seis sinais de medo nos cães: dicas para empatizar com eles

O medo é uma emoção necessária e imprescindível para a sobrevivência. Todos os mamíferos, e muitos outros animais, têm a capacidade de sentir medo. Cada animal demonstra o medo da sua forma, e é importante saber identificar os sinais do medo nos cães para entender como os nossos amigos peludos percebem o mundo.

Como funciona o medo

O medo é uma emoção, assim como a alegria, a tristeza e o nervosismo. As emoções são involuntárias e não podemos escolher senti-las. Como é uma emoção involuntária, segundo as leis do comportamento, não podemos reforçá-la, nem castigá-la. No entanto, podemos, sim, aumentar ou diminuir a intensidade do medo.

Quando o cão está assustado, dependendo do que façamos, estaremos consolando ou transmitindo mais medo ao animal. No entanto, ao contrário do que muitos acreditam, não estamos reforçando essa emoção, pois só podemos reforçar comportamentos voluntários. Os sinais de medo nos cães não são voluntários: ele não pode evitar senti-los e expressá-los.

filhote assustado

Por exemplo, se um cão tem medo de tempestades, você não deve dar uma bronca nele, porque ele não escolhe entrar em pânico. Podemos consolá-lo e ajudá-lo a passar por esse momento ruim ou podemos prejudicá-lo, sem querer. Independentemente do que façamos, quando tiver uma tempestade novamente, ele sentirá a mesma angústia, mas não para conseguir consolo. Ele não pode controlar como se sente. 

O medo nos cães

Os cães, assim como o resto dos animais, podem sentir medo de muitas coisas diferentes. Estatisticamente, mais ou menos a metade dos cães têm medo de barulhos altos. Desses barulhos, quase todos os cães sentem medo de tempestades, de fogos de artifício, de bombinhas e de tiros.

Um cão não precisa ter passado por maus-tratos ou por abandono para sentir medo. Existem cães abandonados que se recuperam muito rápido, e há aqueles cães mais sensíveis do que os que nunca passaram por nada e que têm medo de muitas coisas.

De fato, os humanos, os cães e o resto dos mamíferos possuem um sistema nervoso central, que é o encarregado de conectar em nosso corpo o cérebro com o resto do organismo. Os cães sentem medo do mesmo modo que os humanos. Através das nossas experiências com o medo, podemos entender como os cães ou outros animais se sentem.

Sinais de medo nos cães

Cada cão encara o pânico como pode. Na lista a seguir, iremos expor alguns sinais genéricos de medo nos cães, mas lembre-se de que cada animal é único e reage de uma forma diferente. Para saber se um cão tem medo, devemos reconhecer vários desses sinais, embora não seja necessário que apareçam todos eles.

Os sinais mais comuns de medo são:

  • Respiração ofegante e salivação. Muitas vezes, os cães ofegam quando sentem medo e, como consequência, salivam mais do que o normal.
  • Pupilas dilatadas. Raramente podemos vê-las, mas quando um cão sente medo, as suas pupilas se dilatam.
  • Tremores. É comum os cães começarem a tremer quando estão com medo. Alguns começam a tremer diante de qualquer ruído, já outros só tremem quando o medo é muito intenso.
  • Movimento ou paralisação. Quando alguma coisa assusta o cachorro, ele não consegue ficar quieto, mas existem outros, que assim como os humanos, ficam paralisados. Embora pareçam contraditórios, são sinais de medo nos cães.
  • Rabo para baixo. Talvez seja o sinal de medo mais conhecido de todos: quando os cães sentem medo, eles abaixam o rabo. No entanto, existem raças com o rabo todo enrolado em cima das costas e não podem abaixá-lo, como é o caso do Shi Inu e do Pug.
  • Micção e defecação, tanto em excesso como a falta. É comum que aqueles cães que sofrem pânico não consigam controlar as suas necessidades fisiológicas e que façam cocô e xixi por toda a casa.

Como foi dito no começo deste artigo: o medo não é voluntário e eles não podem escolher como se comportar enquanto o sentem. No entanto, existem outros cães que às vezes, quando estão assustados, não conseguem fazer as suas necessidades.

Cão assustado

Consolar o cão que sente medo

Não podemos reforçar nem castigar o medo. No entanto, podemos consolar o nosso animal de estimação e ajudá-lo a passar por esse momento ruim. Para saber do que o nosso cão precisa, primeiro devemos conhecê-lo bem. Existem cães que preferem a solidão e não gostam de ser abraçados, já outros buscam o carinho de seus donos e não querem que ser privados disso.

Existem muitos cães que, quando começam a sentir medo, precisam da presença de seus donos, mas que dispensam o carinho deles. Eles só buscam estar perto dos humanos, mas o contato físico os deixa ainda mais agoniados.

De qualquer forma, todos os cães deveriam ver a sua casinha como um lugar seguro onde possam recorrer quando precisarem. Ou seja, um local tranquilo e arrumado para onde possam sempre ir. 

Por último, o dono do cão é que deve ser a sua referência de calma. Demonstrar pena ou preocupação por um cão que está passando por um momento ruim não ajuda o bichinho. Um olhar sereno e um tom de voz relaxado e confiante ajudará qualquer cão que tenha medo a superar esse momento.

Fonte da imagem principal: Canon_Shooter

Recomendados para você