Sintomas e causas de resfriados em gatos

Embora existam diversos agentes infecciosos, há vacinas contra os principais responsáveis ​​por essa patologia.
Sintomas e causas de resfriados em gatos

Última atualização: 14 Fevereiro, 2021

Semelhante aos resfriados humanos típicos, os resfriados em gatos são uma doença muito comum. Conhecer os distúrbios que geram e as suas causas pode ajudar a limitar sua alta incidência.

O termo resfriado se refere a uma infecção do trato respiratório superior, de forma que o nariz, a laringe e a faringe são afetados. Sua origem pode estar na presença de dois vírus, o calicivírus felino e o herpesvírus felino. Além disso, bactérias do gênero mycoplasma, chlamydia e bordetella também podem causá-lo.

Normalmente, essas classes de agentes infecciosos, junto com outros tipos de partículas, transferem-se de um gato para outro por meio de um processo denominado aerossolização. Aerossóis são conjuntos de partículas microscópicas, sólidas e líquidas, que ficam suspensas em um gás. Quando contêm micro-organismos patogênicos, são os principais responsáveis ​​pela gripe, asma e outros tipos de condições.

Apesar da grande diversidade de agentes infecciosos que podem aumentar o contágio, os sintomas de resfriados em gatos geralmente são coincidentes.

Sintomas e tratamentos de resfriados em gatos

Quando você pega um resfriado, uma série de incômodos aparecem imediatamente, incluindo espirros, secreção nasal e ocular. Se a infecção não for grave, esses sinais desaparecerão espontaneamente em alguns dias.

No entanto, resfriados em gatos podem se complicar, seja porque o próprio animal tem um sistema imunológico fraco ou porque o patógeno é mais prejudicial. Filhotes, idosos ou gatos com alguma doença prévia são os felinos que correm um risco mais elevado.

Sintomas e tratamentos

Os sintomas mais graves incluem febre, letargia, perda de apetite e desidratação.

Dependendo de como a doença se desenvolver, os tutores terão que realizar um ou outro tipo de tratamento. Assim, nos casos mais leves, o gato deve ser estimulado a se alimentar à base de dietas úmidas ou refeições caseiras adequadas, além de ser necessário monitorar a boa hidratação do animal. Para aliviar o desconforto, você também pode tentar remover as secreções com a ajuda de um pano macio previamente umedecido.

Se a infecção do trato respiratório se complicar, você deve levar o gato ao veterinário. Dessa forma, após o correspondente diagnóstico do animal, o profissional determinará a pertinência de antibióticos orais, anti-histamínicos, reidratação intravenosa ou até mesmo hospitalização.

Medidas preventivas

Embora evitar a contração de resfriados em gatos possa ser complexo, principalmente em grupos de risco, existem certas medidas que devem ser levadas em consideração:

  • No caso de gatos que estão acostumados a sair de casa, suas escapas devem ser evitadas quando as condições climáticas forem adversas.
Medidas preventivas

  • Se o ambiente doméstico abrigar vários felinos, deve-se observar se algum deles apresenta os sintomas descritos. Nesse caso, o isolamento e o tratamento individualizado do animal são fundamentais para que o agente infeccioso não se espalhe.

Em geral, os resfriados em gatos não representam um distúrbio maior do que um leve mal-estar temporário. No entanto, estar ciente dos fatores de risco e saber como evitá-los pode ajudar a prevenir ou mitigar o potencial desconforto do animal.

Pode interessar a você...
Causas de vômito agudo em gatos
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Causas de vômito agudo em gatos

Os felinos têm um sistema digestivo sensível, no entanto, há casos em que o vômito agudo em gatos pode corresponder a uma doença mais séria.