Terra de diatomáceas e cães: quais são seus efeitos?

A terra de diatomáceas é formada por restos fósseis de algas marinhas unicelulares e é um antiparasitário natural.
Terra de diatomáceas e cães: quais são seus efeitos?

Última atualização: 22 Dezembro, 2020

Pode parecer estranho usar terra de diatomáceas para cães, mas se você conhecesse suas propriedades, descubriria que a terra de diatomáceas é um antiparasitário natural para plantas e animais, bem como um suplemento alimentar rico em minerais como o cálcio.

O que é a terra de diatomáceas?

A terra de diatomáceas é um produto em pó formado pelos restos calcários de milhões de diatomáceas incrustadas e fossilizadas nas rochas. Agora, você pode estar se perguntando o que são as diatomáceas: elas são um grupo de algas unicelulares microscópicas que constituem o fitoplâncton marinho.

O aspecto mais característico dessas algas é o seu ‘esqueleto’ formado por um composto de sílica que as reveste, formando placas duras de formatos muito variados e pelas quais cada espécie é identificada.

Propriedades da terra de diatomáceas

A terra de diatomáceas é um antiparasitário natural contra ácaros, insetos, moluscos e até parasitas intestinais, como lombrigas.

É um inseticida físico-mecânico, ou seja, sua ação inseticida é produzida por rasgos ou perfurações no aparelho oral, no exoesqueleto e nos órgãos internos, ou pela absorção de cera cuticular, ações que levam à morte do inseto por desidratação.

Pode ser aplicada diretamente ou combinada com outro inseticida para aumentar sua eficácia. A terra de diatomáceas tem sido usada desde os anos 1950 para eliminar pragas como larvas de mosquitos.

A terra de diatomáceas é rica em micronutrientes como cálcio, potássio, magnésio, fósforo, enxofre, cobre, ferro e sódio. Na verdade, é usada como fertilizante natural para solos cultivados, mas seu uso em cães como suplemento alimentar também é conhecido.

Além disso, a ingestão de terra de diatomáceas também é uma forma de prevenir ovos e larvas de parasitas internos. Os cães podem ingeri-la com comida ou água.

Como usar a terra de diatomáceas para os cães?

Como um antiparasitário externo

Para usá-la como antiparasitário externo, deve-se borrifar a terra diatomácea na pele do animal, tomando cuidado para que o pó não entre nos olhos, no nariz, na boca ou nas orelhas do cão. Vamos nos concentrar bem nas áreas que os parasitas tendem a frequentar quando atacam nosso cão.

Como um antiparasitário externo

A terra de diatomáceas é segura para animais e pessoas. Basta ter cuidado para que não entre nos olhos ou no nariz para evitar irritações ao respirar o pó. Por isso, é aconselhável usar uma máscara de proteção.

Como um antiparasitário interno

Para isso, misture a terra de diatomáceas com a comida ou a água do cachorro por um período mínimo de 30 dias. Seu efeito inseticida é eficaz na prevenção da proliferação de lombrigas, nematoides, ancilostomídeos e ovos, ou até mesmo larvas de tênia, mas não de exemplares adultos.

No caso de suspeitar de uma infestação por tênias, é preciso consultar um veterinário para que o tratamento adequado seja prescrito.

Como suplemento alimentar

Aplicamos como se fosse um tratamento antiparasitário interno. A terra de diatomáceas fornece minerais e melhora a aparência da pele, cabelo, ossos e articulações.

Outros animais podem fazer uso?

Sim, seu uso também é adequado para gatos, coelhos, pássaros e outros animais de fazenda, como ovelhas, cabras, vacas, porcos ou cavalos. Sua administração e seus efeitos são iguais aos observados em cães e podemos ver os resultados em poucos dias.

Outros animais podem fazer uso?

O que você deve ter em mente é que se trata simplesmente de um antiparasitário natural, porém não tão eficaz a curto prazo quanto outros que podemos comprar em centros veterinários.

E, além disso, uma vez que a doença tenha se desenvolvido no animal, como uma tênia adulta ou a migração de ancilóstomos para os pulmões, devemos tratar nosso cão com a ajuda do veterinário.



  • Murúa, Fernando; Coria, Cristina; Acosta, Juan Carlos; Ratti, Daniel; Almirón, Walter. Evaluación del efecto larvicida de tierra de diatomeas sobre C ulex pipiens L. (Diptera , Culicidae). Multequina, núm. 14, 2005, pp. 53-56.
  • Luis Baglione. Usos de la tierra de diatomeas. Revista Tecnicaña No. 27, Septiembre de 2011.
  • Diatomea siberia