Tipos de baleias

As baleias têm dois orifícios nasais nas costas que são usados para respirar, e é por isso que "esguicham água" quando emergem.
Tipos de baleias

Última atualização: 09 março, 2022

As baleias são enormes animais aquáticos que habitam os mares do planeta. Esses seres vivos não são peixes. Portanto, não podem respirar debaixo d’água. Por isso, possuem opérculos no dorso que permitem a entrada de ar da superfície. O grupo contém diversos representantes que são considerados os maiores seres vivos do planeta.

Esses espécimes gigantes pertencem à ordem dos cetáceos, que se subdividem em 2 grupos: Mysticeti e Odontoceti. Os animais que nos interessam encontram-se no primeiro grupo, enquanto o segundo agrupa espécimes como golfinhos, narvais e belugas. Se você quiser saber quais tipos de baleias existem, continue a leitura.

Quem são as baleias?

O termo baleia pode se referir a qualquer espécime dentro do grupo dos cetáceos. No entanto, mastozoologia marinha considera que esse nome só deve ser relacionado a organismos misticetos (Mysticeti). Isso permite ter menos ambiguidade nos conceitos e separá-los de outros animais como os golfinhos.

Uma característica particular dos misticetos são as “barbas” que possuem na boca, as quais os ajudam a filtrar a água para se alimentarem. Graças a isso, tudo o que eles precisam fazer para comer é abrir seu enorme aparelho bucal e esperar que a comida fique presa nessas estruturas.

A maioria dos vários tipos de baleias que existem exibe uma coloração cinza em seu dorso e branca em sua barriga. Esse padrão é um traço adaptativo que lhes permite caçar sem chamar atenção. Por um lado, as presas que estão abaixo do animal veem a cor branca de sua barriga (semelhante à luz do sol), enquanto as que estão acima observam seu dorso cinza camuflado com o fundo.

Por que as baleias não são consideradas peixes?

As baleias são mamíferos aquáticos que respiram pelos pulmões, o que é muito diferente dos peixes (que usam as guelras). Durante seus mergulhos na água, esses organismos precisam prender a respiração e usar o oxigênio de maneira eficiente. Do contrário, seria impossível ficarem submersos por tanto tempo.

Outra diferença essencial é a estrutura de seus músculos, que faz com que a cauda das baleias se mova para cima e para baixo. Pelo contrário, os peixes usam movimentos laterais (da esquerda para a direita). Embora possa não parecer uma grande diferença, internamente existe uma grande complexidade que permite aos cetáceos moverem seus enormes corpos com facilidade.

Quantos tipos de baleia existem?

Os tipos de baleias que existem no mundo são relativamente poucos, pois abrangem apenas 15 espécies no total. No entanto, cada um deles possui características únicas e grandes que os tornam animais fascinantes. As 4 famílias que compõem esse grupo são as seguintes.

Família Balaenopteridae

Esse tipo de baleia se caracteriza pelas dobras na garganta, que servem para expandir ainda mais a boca e pegar mais alimento. O excesso de água que entra é expulso pela língua, enquanto o alimento fica preso entre as barbas.

As baleias dessa família também são conhecidas como rorquais e são as mais diversas do grupo. Algumas representantes são as seguintes:

  • Baleia-comum (Balaenoptera physalus): essa espécie é considerada cosmopolita porque viaja por todos os oceanos do mundo. É o segundo maior mamífero do planeta, com tamanhos máximos de 26 metros de comprimento.
  • Baleia-sei (Balaenoptera borealis): seu corpo tem entre 13 e 16 metros de comprimento. Ela tem uma crista em sua cabeça que a diferencia da baleia-de-bryde.
  • Baleia-de-bryde (Balaenoptera brydei): é caracterizada por ter 3 cristas paralelas na cabeça e barbatanas ligeiramente menores. O comprimento de seu corpo costuma ser de 12 a 15 metros.
  • Baleia-de-bryde-anã (Balaenoptera edeni): seu tamanho médio varia entre 12 e 14 metros. Possui de 40 a 50 dobras na garganta.
  • Baleia-azul (Balaenoptera musculus): é considerada o maior animal do planeta, pois mede entre 24 e 27 metros de comprimento.
  • Baleia-de-minke (Balaenoptera acutorostrata): atinge 7 a 10 metros de comprimento. É caracterizada por apresentar uma mancha branca nas barbatanas peitorais.
  • Baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae): tem um comprimento de 12 a 16 metros e é frequentemente considerada um animal acrobático por pular da água com frequência.
  • Baleia-de-omura (Balaenoptera omurai): o tamanho dessa espécie não ultrapassa os 12 metros de comprimento. Ela foi descrita pela primeira vez em 2003 e é o exemplar do qual menos se sabe hoje.
  • Baleia-minke-antártica (Balaenoptera bonaerensis): seu tamanho médio varia entre 8 e 9 metros de comprimento. Apresenta entre 30 e 70 dobras curtas na garganta.
Uma baleia-comum na superfície do mar.

Família Eschrichtiidae

As baleias dessa família abrem a boca e sugam o fundo do oceano em busca de presas. A única espécie que ainda é viva é a baleia-cinzenta (Eschrichtius robustus), que se caracteriza por viajar mais de 9 mil quilômetros durante sua migração. Sua jornada abrange desde os mares de Bering, no Alasca, até os criadouros na costa mexicana.

Esse enorme cetáceo tem cerca de 15 metros de comprimento.

Uma baleia-cinzenta saindo da água.

Família Balaenidae

Os tipos de baleias que compõem esse grupo se caracterizam por se alimentarem perto da superfície do mar, onde nadam com a boca aberta para apanhar presas. Além disso, possuem barbas longas de até 4 metros de comprimento que as ajudam a tornar o processo mais eficiente. Essa família é composta pelas seguintes espécies:

  • Baleia-da-groenlândia (Balaena mysticetus): seu tamanho varia entre 14 e 18 metros de comprimento. Durante sua migração nada em grupos que formam um “V”.
  • Baleia-franca-do-pacífico (Eubalaena japonica): é capaz de atingir facilmente 18 metros de comprimento. Acredita-se que restem apenas 2 populações, a do Mar de Okhotsk e a do Mar de Bering.
  • Baleia-franca-austral (Eubalaena australis): pode ser reconhecida pelo grande número de calosidades na pele, que servem como impressão digital para a identificação de cada espécime. A maioria dos exemplares tem cerca de 13 ou 18 metros de comprimento.
  • Baleia-franca-do-atlântico-norte (Eubalaena glacialis): está em perigo de extinção devido à caça contínua de seus espécimes. Seu tamanho médio geralmente varia entre 14 e 18 metros de comprimento.
Uma baleia austral.

Família Cetotheriidae

O único membro desse grupo é a baleia-franca-pigmeia (Caperea marginata), que mede entre 5 e 6 metros de comprimento. É caracterizada por ter uma pequena barbatana dorsal localizada perto da cauda e dois sulcos distintas no pescoço. Considera-se que essa família existia desde o início do período Pleistoceno (2,59 milhões de anos antes de nossa era), mas que desapareceu quase completamente durante a extinção em massa da megafauna.

A baleia-franca-pigmeia é considerada um fóssil vivo devido à sua relação com esse grupo. Na verdade, de acordo com um artigo publicado pela revista Proceedings of the Royal Society, os ancestrais dessa espécie podem ter sobrevivido a extinções em massa graças ao seu pequeno tamanho.

Baleias em perigo de extinção

Durante o século XI, diversos pescadores se dedicaram à caça e comercialização de produtos derivados da baleia-franca. Esse trabalho se tornou famoso graças à utilidade da gordura dos misticetos, já que era usada como combustível para lâmpadas, como lubrificantes e para fazer margarinas.

A Segunda Guerra Mundial levou ainda à caça aos misticetos, uma vez que a glicerina (um derivado da gordura) passou a ser utilizada para a fabricação de explosivos. Consequentemente, diferentes tipos de baleias sofreram as consequências e foram levadas à beira da extinção.

Em 1948 foi criada a Convenção Internacional para a Regulamentação da Caça Baleeira, cuja função se concentrava em regulamentar a caça desses animais. No entanto, o dano já havia sido feito e várias populações de misticetos foram reduzidas. Essa é a razão pela qual 9 das 15 espécies existentes estão ameaçadas. Os referidos espécimes são os seguintes:

  • Baleia-cinzenta (ameaçada).
  • Baleia-da-groenlândia (ameaçada).
  • Baleia franca do Pacífico (ameaçada).
  • Baleia-sei (ameaçada).
  • Baleia-azul (ameaçada).
  • Baleia-jubarte (ameaçada).
  • Baleia-franca-do-atlântico-norte (em perigo crítico).
  • Baleia-franca-austral (em perigo crítico).
  • Baleia-de-bryde-anã (em perigo crítico).
Um exemplo da poluição nas praias do Sri Lanka.

Em geral, diferentes tipos de baleias estão em risco crítico devido à poluição dos mares, às mudanças climáticas e à pesca ilegal. Isso não é um bom presságio para essas espécies, pois em breve todas elas podem estar em perigo crítico se algo não for feito.

This might interest you...
O comportamento das baleias
Meus Animais
Leia em Meus Animais
O comportamento das baleias

O comportamento das baleias é gregário. Elas fazem grandes migrações para se reproduzir e sua comunicação é altamente complexa. Confira!



  • Fordyce, R. E. & Marx, F. G. (2012). The pygmy right whale Caperea marginata: the last of the cetotheres. Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences, 280(1753), 20122645–20122645. doi:10.1098/rspb.2012.2645
  • International Union for Conservation of Nature and Natural Resources. (2021). Red list. Recuperado el 04 de diciembre de 2021, disponible en: https://www.iucnredlist.org/search?query=whale&searchType=species
  • Sasaki, T., Nikaido, M., Wada, S., Yamada, T. K., Cao, Y., Hasegawa, M., & Okada, N. (2006). Balaenoptera omurai is a newly discovered baleen whale that represents an ancient evolutionary lineage. Molecular Phylogenetics and Evolution, 41(1), 40-52.
  • Medrano, L. & Urbán, J. (2019). Mamiferos marinos: identidad, diversidad y conservación. Revista Ciencia, 70(3), 8-19.
  • Busquets, G., Guerrero, F. & Gendron, D. (2019). Las ballenas. Revista Ciencia, 70(3), 56-63.
  • Ruiz, M. G. (2006). Las ballenas del Golfo de California. Instituto Nacional de Ecología: México.