Você gostaria de apadrinhar um pinguim?

· março 22, 2018
Os pinguins estão ameaçados pelas mudanças climáticas e pela poluição. Por isso, criou-se uma campanha para arrecadar fundos para proteger as populações dessa espécie em risco de extinção. Apadrinhar um pinguim é a melhor forma de ajudar nesta causa.

Algumas organizações militares trabalham na Antártida para conscientizar as pessoas a respeito da preservação do meio ambiente.

Apadrinhar um pinguim

Um dos lugares mais remotos da Antártida é a Ilha da Decepção. O trabalho dos militares nesse local se baseia em vigiar o cumprimento da legislação ambiental internacional. Além disso, eles dão assistência aos cientistas que desenvolvem diferentes tipos de estudos.

Nesta ilha, junto a cientistas e militares, vivem aproximadamente 20 mil casais de pinguins em fase reprodutiva. Ou seja, mais de 40 mil pinguins de três espécies diferentes.

Para conscientizar sobre a importância do cuidado com o meio ambiente, todo ano é aberta uma campanha em que as pessoas podem apadrinhar um pinguim. Como diz a campanha, em troca de colocar um nome no pinguim, o padrinho se compromete a cuidar do meio ambiente. Dessa forma, os pinguins e seus filhotes podem seguir vivendo no local.

Como recompensa, o padrinho recebe um diploma digital e uma foto de seu “afilhado”. Para participar, é apenas necessário preencher esse formulário. Obviamente, espera-se que os padrinhos e madrinhas cumpram com sua promessa ecológica.

Adotar um pinguim: você conhece essa prática?

É gratuito e aberto a padrinhos de todo o mundo. No entanto, neste ano, também foi feita uma colaboração com a Associação Espanhola Contra o Câncer (AECC) a fim de receber donativos para a causa.

Os pinguins da Ilha da Decepção

Os cientistas da Ilha da Decepção estão estudando atualmente três espécies de pinguins. Ao apadrinhar um pinguim, a pessoa receberá um certificado que pode conter uma dessas espécies:

  • Pinguim-de-barbicha. Esses animais são fáceis de reconhecer, já que têm uma linha preta embaixo de seus rostos. Medem aproximadamente 70 centímetros de altura e pesam entre 3 e 5 kg, dependendo da época do ano. Além da Antártida, podem ser vistos em territórios próximos, como em ilhas da Argentina e até no Chile.
  • Pinguim-de-adélia. Têm a altura similar a do pinguim-de-barbicha. Caracterizam-se por possuir a borda dos olhos na cor branca. Possuem uma cauda maior que as de outras espécies de pinguins e seu habitat é reduzido, vivendo apenas no continente antártico.
  • Pinguim-gentoo. É o maior dos três, já que os adultos podem chegar a medir 90 centímetros. É a espécie de pinguins mais rápida embaixo d’água. Caracterizam-se por terem as patas e o bico na cor laranja.

O aquecimento global

Na Ilha da Decepção, está sendo feito um estudo sobre os efeitos das mudanças climáticas. Considera-se que os pinguins são grandes indicadores da saúde do seu ecossistema. Por serem um elo fraco, são os primeiros a demonstrarem sintomas da existência de problemas.

Pinguins e suas dificuldades

Os pinguins não são os únicos animais ameaçados pelas mudanças climáticas ou pela poluição. Do outro lado do planeta, no Ártico, é possível ver imagens desoladoras de ursos polares famintos devido à escassez de presas.

Os animais dos polos não são os únicos ameaçados pelo aquecimento global. Animais em todo o planeta estão ameaçados pelas mudanças em seus ecossistemas. Desde peixes até aves e grandes mamíferos, como elefantes e leões.

Esta campanha busca o comprometimento dos padrinhos e madrinhas com o cuidado do meio ambiente, já que procura gerar consciência social sobre o problema. Todas as pessoas podem ajudar e, sendo um problema global, os atos em nossas casas podem ser sentidos em todo o planeta.

A luta contra o câncer

Neste ano, a campanha também se une à Associação Espanhola Contra o Câncer. Ao apadrinhar um pinguim, a pessoa não estará apenas adquirindo o compromisso de ajudar o animal e suas crias a sobreviver, mas também envolvendo-se no desafio de conseguir 5 mil participantes da campanha.

Associação para tratamento do câncer em pinguins

Se esse número for alcançado, uma empresa colaboradora se comprometeu a fazer uma doação à AECC. O formulário incentiva que o padrinho faça uma pequena doação pessoal à causa. E, mesmo ela não sendo obrigatória, a organização agradece o gesto.

É muito simples apadrinhar um pinguim e, com isto, estaremos colaborando em duas grandes causas. Por um lado, estaremos ajudando a cuidar do meio ambiente. Por outro, ajudaremos na manutenção de uma das mais importantes associações contra o câncer do mundo.