Curiosidades sobre os peixes

Quem disse que eles são animais “chatos” porque passam o dia todo nadando? No artigo a seguir vamos lhe contar várias curiosidades sobre os peixes que lhe farão mudar de opinião sobre eles.

Algumas curiosidades sobre os peixes… muito interessantes

Não sabemos muitas coisas sobre as criaturas que habitam os mares, rios e lagos. Não conhecemos todos seus hábitos, como se relacionam ou como se alimentam. Por isso, seria bom que você lesse as seguintes curiosidades sobre os peixes para aprender algo sobre eles:

  1. Nadar e nadar

Ainda que muitos peixes tenham bexigas nadadoras que se inflam com ar para poder se manter na água sem ficar no fundo do mar nem ser levado pela correnteza, há algumas espécies que não têm essa sorte. É o caso por exemplo da arraia e do tubarão. Eles precisam nadar até quando dormem. Caso contrário, afundariam.

aquário

  1. Têm memória a curto prazo

Não sabemos porque se difundiu a informação de que os peixes não tem memória maior do que três segundos. No entanto, isso não é verdade. Segundo diversos estudos, esses animais têm a capacidade para reter informação por até cinco meses. Como chegaram a essa conclusão? Treinaram um grupo de peixes em cativeiro para que pudessem responder a certos sons. Depois, os liberaram e, depois de alguns meses, lhes fizeram ouvir as mesmas melodias. E eles sabiam o que deveriam fazer!

  1. Não têm orelhas nem pálpebras

Você já parou para pensar como eles ouvem se não têm orelhas? Bom, na verdade, eles têm um órgão considerado ouvido interno que, mesmo que não seja visível, lhes permite perceber os sons e vibrações produzidas na água. Vale a pena saber também que o barulho causado pelas pessoas lhes afeta bastante, estressa-os e pode interferir em seus hábitos cotidianos (comer, crescer ou se reproduzir).

Outra das curiosidades sobre os peixes é que eles não têm pálpebras. Mas isso não significa que não dormem por não conseguirem fechar os olhos. A maioria deles param de se mexer quando estão cansados, após encontrar um refúgio seguro, podendo ser uma rocha ou uma cova. Mesmo com os olhos sempre abertos, não quer dizer que não descansam.

  1. Existem peixes venenosos

No Mar do Caribe, o Oceano Pacífico e as Costas da Flórida, nos Estados Unidos, vive o peixe pedra… O mais venenoso de toda sua família. Sua picada pode matar uma pessoa adulta. Seu nome vem de sua capacidade de se camuflar entre as rochas do fundo do mar. Ele não ataca sem se sentir ameaçado… Mas o problema é que ele se sente em perigo sempre que alguém passa caminhando por perto. Para neutralizar o veneno, devemos introduzir a picada em água fervendo.

Outros venenosos são os do gênero Pterois, que vivem no Oceano Índico Pacífico. Eles têm barbatanas peitorais e uma barbatana dorsal que usam para picar. Podem camuflar-se entre as algas e as rochas, e a boa notícia é que não é letal às pessoas… mas sua picada pode ser dolorosa.

  1. Como se conta sua idade?

Essa informação pode ser requerida pelos pescadores, mas também pelos cientistas. Como se determina a idade dos peixes? A técnica empregada se chama “leitura dos otólitos”, e é parecida à dos anéis nas árvores. O pequeno osso do ouvido interior dos peixinhos é composto por capas concêntricas que marcam os anos vividos. Igualmente, vem se trabalhando outro método, porque esse parece não ser totalmente certeiro.

peixe

  1. Hábitos de defesa e reprodução

O chamado “peixe-balão” (baiacu) tem a capacidade de se inflar e ficar como um balão com escamas sobressalientes. Ele faz isso para poder parecer maior e mais perigoso do que realmente é. Para fazer seu truque, chupa água e a armazena em seu estômago. Fora do mar, se incha com ar.

O cavalinho-do-mar é o único animal cujo macho é quem dá à luz. Depois do acasalamento, a fêmea passa os ovos a seu parceiro, e ele carrega-os durante 45 dias no ventre. Depois desse tempo, eles podem acasalar novamente.

Recomendados para você