5 cobras mais venenosas do mundo

· janeiro 21, 2019

As cobras mais venenosas do mundo usam suas presas ocas para injetar o veneno. Dessa forma, elas podem imobilizar suas presas e se defender.

Para se defender dos predadores ou capturar suas presas, certos animais usam uma substância que impede que outros seres se movam ou ataquem. 

Neste artigo, vamos dizer quais são as cobras mais venenosas que existem. Acredite, você não gostaria de encontrar uma delas!

Quais são as cobras mais venenosas?

Por cobra venenosa nos referimos àquelas que injetam uma substância tóxica líquida por meio de suas presas ocas. 

O objetivo desse líquido é imobilizar sua presa ou defender-se. Ao contrário das constritoras, ela não mata suas vítimas “abraçando-as”.

As cobras mais venenosas do mundo estão agrupadas em cinco famílias. Na maioria dos casos, há curas para as substâncias que injetam: uma substância chamada de antídoto.

No entanto, quando o tratamento não é realizado a tempo ou o veneno é muito poderoso, elas podem causar até a morte de um ser humano. Algumas das cobras mais venenosas que existem são:

1. Cobra filipina

Não é apenas uma das cobras mais venenosas que existem, mas também uma das mais assustadoras! Na verdade, sua aparência e tamanho assustam, como acontece com toda sua família, conhecida como Naja naja, nativa da Ásia.

A cobra filipina (foto que abre este artigo) tem um comportamento bastante agressivo. Ela habita selvas e campos abertos e se alimenta de rãs, pássaros, lagartos e pequenos mamíferos.

Seu veneno é mortal e o injeta quando se sente ameaçada. Podemos ver que ela não está muito “confortável” quando levanta a cabeça e o pescoço do chão.

2. Mamba negra

Esse réptil escamoso é a serpente africana mais venenosa que existe. Ela habita o centro e o sudeste do continente. Pode medir cerca de quatro metros e seu corpo é cinza metálico ou verde amarelado. Entretanto, é conhecida como ‘negra’ por conta da cor do interior da sua boca.

cobras mais venenosas: mamba negra

Além disso, a mamba é muito rápida: pode correr em até 20 km/h. Quando ela se torna agressiva, levanta a cabeça e olha diretamente nos olhos de quem a incomodou.

Quanto ao veneno, uma mordida pode injetar 100 mg de dendrotoxina, no entanto, apenas 15 mg são fatais para um homem adulto.

3. Cobra de Taipan

Nesse caso, estamos diante de uma cobra nativa da Austrália, cujo nome científico é Oxyuranus. Sua família é composta de três espécies (conhecidas): a da costa, a do interior e a do centro, de acordo com sua localização no continente.

5 espécies de cobras mais venenosas: cobra de Taipan

A Taipan se alimenta de pequenos mamíferos e usa seu veneno para coagular o sangue e bloquear as artérias e veias de suas vítimas.

Seu veneno pode matar um rato em questão de minutos. Em pessoas, o tratamento urgente e vários dias de terapia intensiva são necessários.

4. Víbora de Russell

É uma das serpentes mais venenosas e, ao mesmo tempo, mais marcantes que existe. Originária da Ásia, especificamente da China, Índia e Taiwan, é uma das principais causas de mortes por mordidas de animais em todo o mundo.

cobras mais venenosas: víbora de Russell

Os sintomas de envenenamento após ser picado por essa espécie incluem inflamação, hemorragia (sangue na urina), queda da pressão sanguínea, bolhas, necrose, vômitos, insuficiência renal e queda da frequência cardíaca.

víbora de Russell – seu nome é uma homenagem ao herpetologista escocês a investigou – tem um pouco mais de um metro e é mais magra que outras víboras. Além disso, suas escamas são irregulares e de cores contrastantes, em tons marrom, laranja e cinza.

5. Cobra real

Essa serpente, que vive no sudeste da Ásia, é a mais venenosa da região. Alguns exemplares medem mais de cinco metros e seu corpo é de cor parda ou oliva, com olhos em tons bronze.

Cobra real

Alimenta-se de outros ofídios, possui hábitos diurnos e seu veneno é muito tóxico, já que é composto de neurotoxinas muito poderosas. 

Quando picada, a vítima apresenta danos no sistema nervoso central, seguidos de visão embaçada, tontura, sonolência, paralisia e colapso cardiovascular. Além disso, a morte é causada por insuficiência respiratória.