6 espécies de lebres, animais semelhantes aos coelhos

janeiro 22, 2019
Há muitas subespécies deste animal, porém apenas algumas poucas são as mais representativas, devido a sua morfologia e comportamento. Algumas sobrevivem ao frio polar, e outras são capazes de se camuflar depois de mudar a cor dos pelos.

Diferentes dos coelhos quanto à velocidade e tamanho das orelhas –entre outras questões– há mais de 40 espécies de lebres em todo mundo. Seus principais habitats são as planícies, estepes, bosques e montanhas. Contaremos mais a você sobre algumas delas neste artigo.

Quantas espécies de lebres existem?

Dentro da família dos Leporidae –onde também se encontram os coelhos– existem quase 50 espécies de lebres. Algumas delas, mais ‘conhecidas’ ou das quais se tem maior informação, são:

  1. Lebre europeia

Também conhecida como lebre comum (foto que abre este artigo) é um mamífero que vive em toda Europa, menos na Escandinávia e em certas áreas da Ásia.

Tem sido introduzida na América do Sul, Austrália, Nova Zelândia e Estados Unidos e prefere as áreas desocupadas, como planícies e mesetas.

Lebre europeia

Os pelos da lebre europeia são de cor castanho-amarelado, seu ventre é ligeiramente branco e possui orelhas longas com extremidades pretas.

Esconde-se em tocas pouco profundas e costuma se misturar ao ambiente para evitar ser caçada por lobos, raposas, gatos selvagens e aves de rapina.

  1. Lebre da Califórnia

Também chamada de ‘lebre de cauda negra’ e, como seu nome indica, seu principal habitat é a Califórnia, nos Estados Unidos. Ainda que também se encontre no México, prefere os altiplanos desérticos.

Lebre da Califórnia

Esta lebre tem corpo acinzentado com manchas brancas ao redor dos olhos, suas orelhas são muito desenvolvidas e, além disso, a ponta de sua cauda é preta.

Pesa em torno de dois quilos e mede menos de meio metro de altura. Alimenta-se de vegetais.

  1. Lebre ártica

Também conhecida como lebre polar, é uma das únicas da família que se adaptou aos climas montanhosos e polares.

Vive no Canadá, Alasca, Groenlândia e Escandinávia, em tundras. Sua pelagem é de cor branca, à medida que se aproxima do polo, no verão, pode ter tons azulados.

Lebre ártica

Pesa uns cinco quilos quando chega a idade adulta; mede no máximo 70 centímetros e se alimenta de pequenas plantas, brotos, folhas e bagas, que detecta com seu grande sentido do olfato… inclusive pode encontrar comida sob uma grossa camada de neve!

  1. Lebre da montanha

Seu nome científico é Lepus timidus e habita em ecossistemas montanhosos e polares, que incluem Sibéria, os Alpes, Polônia, Irlanda e Reino Unido.

Muda de pelagem no verão: passa do branco, para camuflar-se com a neve, ao marrom para, então, camuflar-se com árvores e plantas.

Lebre da montanha

Segundo o lugar onde habita, a lebre da montanha pode se alimentar de forma diferente; ramos caídos de árvores, pastos, folhas ou frutas.

  1. Lebre americana

Com suas grandes patas posteriores, pode se deslocar sem problemas na neve (não chega a afundar por completo).

Além disso, por estar coberta por uma grossa camada de pelos, não congela, mesmo nos invernos mais cruéis.

Lebre americana

Seus pelos tornam-se brancos para que ela possa se camuflar e, quando chega o verão, passa a ser marrom acinzentado,enquanto suas orelhas apresentam manchas pretas. Alimenta-se de folhas, ervas, plantas e cascas de árvores.

É um animal de hábitos noturnos, não hiberna e pode se reproduzir quatro vezes ao ano: cada ninhada é composta por entre dois e quatro filhotes.

  1. Lebre de Tolai

É outra das espécies de lebres que habita a Ásia, sendo menor que a europeia: pesa dois quilos e mede 55 centímetros de comprimento.

Vive em ecossistemas ‘hostis’ a até 3.000 metros de altura, e com pouca vegetação e comida, na Rússia, sul da Índia, nordeste da África e desertos da Arábia.

Além disso, tem a capacidade de sobreviver vários dias sem beber água, como os camelos.

Lebre de Tolai

Vale a pena destacar que há duas espécies de roedores classificados entre as espécies de lebres; mas que não pertencem a essa família: lebre patagônica (Mara) e lebre saltadora do Cabo. Não devemos confundi-las!