7 aspectos a considerar ao resgatar um gato ou um cão

· maio 7, 2019
Ao decidir resgatar um gato ou um cão, é essencial estar preparado física e mentalmente para este momento e saber como agir para fornecer assistência eficaz e segura.

A presença de animais nas ruas é uma triste realidade em nossos tempos e, infelizmente, o número de bichinhos abandonados ainda está crescendo. Todos podemos encontrar um animal que precisa de ajuda imediata e, nesse momento, será essencial saber como agir ao resgatar um gato ou um cão.

7 dicas importantes para resgatar um gato ou um cão

A primeira coisa a ter em mente é que um resgate nunca será uma experiência 100% previsível. Cada animal tem sua própria personalidade e pode reagir de diferentes maneiras à tentativa de manipulação.

Além disso, devemos considerar que o cão ou gato pode estar sentindo dor ou ter tido experiências negativas com outras pessoas.

A seguir, resumiremos sete aspectos que toda pessoa deve considerar ao resgatar um gato ou cão.

1. Fique calmo e seja paciente

Como o resgate não é uma experiência previsível, será necessário manter a calma para não trazer uma dose extra de estresse à situação. Muito provavelmente, o gato ou o cão terá medo de se aproximar, então a paciência será fundamental durante o resgate.

O ideal é atrair o animal com comida ou guloseimas para estimulá-lo a ganhar confiança, pouco a pouco, para se aproximar. Se o animal estiver enfraquecido, devemos nos aproximar lentamente, sem fazer movimentos rápidos ou bruscos, e manter um tom de voz calmo.

2. Obter ou improvisar um transportador

Quando o cão ou gato ganhou alguma confiança, será hora de removê-lo do ambiente insalubre. Para isso, o ideal é ter uma caixa de transporte ou uma gaiola que permita transportá-lo com segurança.

Caixa de transporte para resgatar um gato ou um cão

Se no momento não temos como obter este acessório, podemos recorrer a uma caixa de papelão ou outro recipiente firme, que possa suportar o peso do animal. Em casos mais urgentes, você pode simplesmente envolver o animal com uma toalha, um cobertor ou uma peça de roupa para transportá-lo rapidamente para a clínica veterinária.

Lembre-se de que a vida do animal pode depender de uma ação imediata e nem sempre haverá tempo para procurar uma caixa de transporte. O importante é agir e removê-lo do ambiente que ameaça o seu bem-estar.

3. Leve-o ao veterinário o mais rápido possível

Nas ruas, os animais são expostos a uma infinidade de micro-organismos patogênicos, sujeira, brigas, alimentos contaminados e outros riscos à sua saúde. Portanto, ao resgatar um gato ou cão abandonado ou perdido, é essencial levá-lo ao veterinário o mais rápido possível.

O que fazer ao resgatar um gato ou um cão

Se a possibilidade existir, o ideal é transportar o animal diretamente para a clínica ou hospital após o resgate. Além de examiná-lo e solicitar alguns exames para verificar o seu estado de saúde, o veterinário também irá aconselhá-lo sobre vacinas e desparasitação.

4. Uma casa provisória

O animal resgatado estará fraco e exausto, então precisará descansar e se alimentar para recuperar a força e a energia. O mais prático e recomendável é que o próprio socorrista forneça um lar temporário para o animal, já que ele conhece perfeitamente a sua situação.

Cão abandonado e resgatado

Caso não seja possível ficar com o gato ou cão, será necessário encontrar um lar temporário. Para isso, você pode consultar seus amigos, postar em redes sociais (existem grupos dedicados exclusivamente ao resgate de animais) ou ir diretamente a um protetor.

5. Dê água e comida

Além de preparar uma cama ou berço onde ele possa descansar, também será necessário dar água e comida para o cão ou gato resgatado. Se, no momento em questão, você não tiver ração comercial, pode preparar uma receita caseira com arroz, frango ou carne, e legumes como a cenoura, por exemplo.

Gato de rua

É possível que o animal demore um pouco para começar a comer, porque está em um ambiente completamente desconhecido. Não devemos forçá-lo a se alimentar, mas sim esperar até que ele se adapte ao novo ambiente e se sinta seguro para comer.

6. Descobrir se o gato ou cão tem um dono

Ao resgatar um gato ou um cão, devemos considerar que ele pode ter se perdido, e não necessariamente sido abandonado. Eventualmente, os animais podem escapar de suas casas e não voltar, então eles acabam vagando pelas ruas.

Cão fugindo de casa

Antes de tomar a decisão de ficar com o gato ou cão resgatado ou colocá-lo para adoção, será essencial tentar encontrar seus donos. Se o animal foi perdido, certamente sua família sente falta dele e está procurando-o.

7. Encontre um dono responsável

Se o gato ou cão resgatado não tiver uma família esperando por ele, o último passo do seu resgate será encontrar um novo lar para ele. Caso sua decisão seja ficar com o animal, então será a hora de preparar sua casa para oferecer condições ideais para o seu desenvolvimento físico e mental.

Adoção de cães

Se você decidiu colocar o animal para adoção, lembre-se de escolher um dono responsável que tenha o compromisso de cuidar dele. Também é possível pedir ajuda aos centros de proteção e resgate para encontrar uma família que lhe dê o cuidado e a dedicação necessários.

  • CENDÓN PANADÉS, MARTA, HOLM, ANNA. 2011. Abandono de animales de compañía. Extraído de: https://ddd.uab.cat/pub/trerecpro/2011/85680/abaanicom.pdf
  • BOE. Legislación Comunidad de Madrid. 2016. Ley de Protección de animales de compañía. Extraído de: https://www.boe.es/buscar/pdf/2016/BOE-A-2016-11097-consolidado.pdf