A incrível fauna brasileira: venha conhecê-la!

· janeiro 31, 2019

A fauna brasileira se destaca por sua grande biodiversidade, pois aqui existem várias espécies endêmicas, que apenas vivem de maneira selvagem no Brasil. Além disso, há animais de todas as famílias do reino animal.

O maior país da América do Sul e um dos maiores do planeta está no ranking de nações com maior biodiversidade.

Com a Amazônia como principal ecossistema, a seguir falaremos em detalhes como é a fauna brasileira.

Como é a fauna brasileira?

A diversidade de animais e plantas na fauna brasileira é assombrosa. Muitas das espécies que vivem aqui são endêmicas, já que não são encontradas em nenhum outro lugar.

Além disso, há representantes de todas as famílias do reino animal. A fauna brasileira conta com a maior quantidade de espécies de mamíferos e peixes de água doce do mundo, a segunda de anfíbios, a terceira de aves e a quarta de répteis. Alguns dos muitos animais típicos de nossa fauna são:

1. Tatu-bola

É um dos animais endêmicos do Brasil. Ele possui a capacidade de virar uma bola quando se sente ameaçado.

O tatu-bola (imagem que abre este artigo) é tão famoso a nível nacional que foi escolhido como mascote da Copa do Mundo de 2016.

Ele vive principalmente em matagais e áreas secas com arbustos, no noroeste e centro do Brasil. Pesa em torno de 1,5 kg e mede algo em torno de 45 centímetros (além dos seus 7 centímetros de cauda). 

Seu corpo é coberto por uma ‘armadura’ de escamas queratinizadas que, além de protegê-lo, permite-lhe regular sua temperatura. Além disso, sua alimentação consiste em formigas, cupins, vermes e moluscos.

2. Arara-canindé

Não podemos deixar de lado as aves ao falar da fauna brasileira. É muito difícil escolher apenas uma das tantas espécies que vivem no país, mas a arara é uma das mais famosas. 

Pode ser encontrada em toda a Amazônia, formando grupos de até 30 indivíduos. Inclusive, quando se juntam com um parceiro, não se separam mais.

Essas araras constroem seus ninhos todos os anos. Entretanto, a fêmea coloca apenas três ovos, que são incubados por quase um mês.

Arara brasileira

A arara tem plumagem azul na sua parte superior e amarela no peito e no interior das asas e cauda. O bico e as patas são escuras, porém, seu rosto é branco, com linhas negras. Sua alimentação é principalmente de frutos e sementes.

3. Onça-pintada

O maior felino do mundo faz parte da fauna brasileira. Vive numa área que vai do sul dos Estados Unidos até o norte da Argentina, mas atualmente as populações estão reduzidas à America Central e ao norte da América do Sul. 

A caça por sua bela pele, a destruição da selva em que vive e a agricultura são as principais causas da diminuição da população da onça-pintada.

Onça-pintada

A subespécie brasileira vive em torno dos rios Amazonas e Orinoco. Seu corpo é robusto, com uma longa cauda, cabeça volumosa e mandíbula proeminente. 

Sua pelagem é amarela, com manchas escuras irregulares, cujo padrão não se repete entre os indivíduos.

Ela se alimenta de todo tipo de presas, já que é um carnívoro estrito. Além disso, para caçar, aproveita qualquer oportunidade que se apresente.

4. Boto-cor-de-rosa

Envolvido em mitos e lendas, o boto-cor-de-rosa é um cetáceo de rio que habita na bacia do Amazonas. Ele pode medir até 2,5 metros e pesar 185 kg.

Inclusive, os machos têm até duas vezes o tamanho das fêmeas e, como o nome já diz, seu corpo é rosado. Uma curiosidade é que, quando nascem, são cinzas, mas mudam de cor à medida que vão crescendo. Além disso, os machos ficam mais claros quando adultos.

Boto-cor-de-rosa

Diferentemente dos golfinhos oceânicos, o boto-cor-de-rosa é solitário e não forma grupos. Ele come todo tipo de peixes, inclusive piranhas, tartarugas de rio e caranguejos. Por causa de seus fortes dentes, o boto consegue romper carapaças e couraças sem problemas.

5. Jacaré-de-papo-amarelo

Outro representante da fauna brasileira é um jacaré que pode passar dos três metros de comprimento. Seu nome se deve às manchas em seu corpo. 

Os mais jovens possuem um desenho ‘listrado’ que nem sempre se conserva quando crescem. Além disso, eles usam essa pigmentação para se camuflar entre a vegetação alta.

Jacaré-de-papo-amarelo

O jacaré-de-papo-amarelo vive em regiões pantanosas. Sua dieta é composta por caracóis, moluscos, crustáceos, répteis e mamíferos pequenos.