Acasalamento dos canários: conheça os detalhes

maio 6, 2018

A criação de canários em cativeiro possui suas próprias diretrizes. Ela precisa ser devidamente orientada para respeitar o organismo das aves e não colocar sua saúde em risco. Por isso, é necessário aprender mais sobre o acasalamento dos canários e sobre a espécie em si.

Termo e origem

O termo “canário” denomina popularmente as diferentes raças da espécie Serinus canaria. Seu corpo é pequeno e alongado e suas penas têm cores vivas. Seus olhos são pequenos e arredondados e possuem um pequeno bico em forma de cone. Sua alimentação é basicamente granívora e seu canto é suave.

Entre as muitas práticas de criação e acasalamento de aves domésticas, a canaricultura é com certeza a mais popular. Ela se espalhou nos países europeus e americanos devido à sua facilidade de manipulação, boa economia e sua pouca necessidade de espaço.

Canário

A criação e o acasalamento dos canários podem ser realizados em ambientes pequenos se forem preparados corretamente. Se seus canários já estiverem na fase reprodutiva, as dicas a seguir serão muito úteis.

Ciclo reprodutivo dos canários

O primeiro passo para realizar o acasalamento é selecionar os machos e as fêmeas mais adequados. Por isso é tão importante conhecer bem seu ciclo reprodutivo.

O ciclo reprodutivo da maioria das aves é sazonal. Ou seja, elas acasalam durante uma determinada época do ano de acordo com seu habitat.

Na natureza, os canários acasalam no período do ano em que os dias são mais longos e há maior disponibilidade de luz. Isto é, desde o início da primavera até o final do verão.

Portanto, recomenda-se escolher os machos e as fêmeas melhor preparados para o acasalamento nos últimos dias do inverno. O ideal é observar o comportamento das aves, bem como peso, idade e estado de saúde, para escolher bem os casais.

Qual é o melhor momento para o acasalamento dos canários?

As fêmeas atingem sua maturidade sexual aos 7 meses, enquanto os machos atingem a sua aos 9 meses. Nessa idade, eles já são férteis, mas é recomendado que se espere o primeiro ano de vida para garantir uma melhor reprodução.

Os canários devem estar bem alimentados e saudáveis ​​para se reproduzirem. Sua personalidade deve estar alegre e bem disposta com a chegada da primavera. Além disso, o ideal é que tenham trocado corretamente suas penas 3 meses antes do ciclo reprodutivo.

Caso contrário, o acasalamento pode colocar em risco a vida do macho, da fêmea e dos futuros filhotes.

Atualmente, muitos criadores optam por estimular artificialmente o cio dos canários e adiantar a época reprodutiva.

Juntando os casais

É bastante simples reconhecer a chegada do cio e distinguir o sexo dos canários nessa época.

Primeiro, deve-se examinar adequadamente um canário por vez. Ao soprar as penas da cauda, basta observar cuidadosamente o buraco da cloaca. Os machos no cio apresentam uma protuberância nesta região. Enquanto que as fêmeas apresentam a região anal torcida e achatada.

Ao notar a chegada do cio nos casais escolhidos, você pode juntá-los já durante as primeiras horas da manhã. O acasalamento dos canários pode acontecer apenas durante o dia, quando há luz solar em abundância.

Normalmente, machos e fêmeas começam a acasalar durante os primeiros 3 dias juntos. Quando isso não ocorre, os criadores usam o “truque” de deixar uma luz acesa durante a noite, aumentando o tempo de acasalamento. A intenção do truque é iluminar suavemente o ambiente, simulando o nascer do sol.

Saiba os principais cuidados sobre canários

Ninho e incubação de ovos

Quando o acasalamento é bem sucedido, a fêmea deve começar a construir o ninho para a colocação dos ovos.

Nesse momento, deve ser escolhido um bom ninho artificial para os filhotes. São vendidos ninhos de diferentes materiais, tamanhos e preços. A escolha deve ser orientada pelo tamanho da gaiola e pelo espaço disponível.

Também é essencial oferecer material para o ninho, como palha limpa. A própria fêmea irá acomodá-la para construir um berço para seus ovos.

As fêmeas costumam colocar um ovo por dia. Em geral, são postos entre 4 a 6 ovos por acasalamento.

Ao final da desova, é recomendável realizar a incubação assistida dos ovos.

Cuidados com os ovos

Cada ovo deve ser retirado cuidadosamente do ninho ao final da tarde e ser substituído por uma pequena pedra. O ovo deve ser colocado em uma pequena caixa forrada com algodão limpo. Quando a fêmea terminar a desova, os ovos devem ser devolvidos ao ninho.

Tal procedimento permite que os pássaros nasçam ao mesmo tempo e não sejam prejudicados pela prioridade de alimentação em relação aos mais velhos.

Fonte da imagem principal: E.m.