Algumas doenças das cobras

fevereiro 10, 2019
Além das patologias, há uma série de doenças que podem ser sintomas de outras. Estas são a presença de parasitas, queimaduras ou troca incompleta de pele.

Nos últimos anos, aumentou o interesse de muitas pessoas em ter uma cobra como animal de estimação. É importante reconhecer que esses répteis precisam de cuidados específicos para se desenvolverem de forma saudável e aprender a identificar algumas doenças das cobras.

Parasitas: uma ameaça ao bem-estar das cobras

Assim como com cães e gatos, as cobras também podem ser afetadas por parasitas externos, principalmente por ácaros e carrapatos.

Estes últimos não costumam representar um perigo em si mesmos, se a sua presença for rapidamente combatida.

No caso dos ácaros, eles podem trazer sérios problemas de saúde para as cobras. Permanecendo em sua pele e sugando seu sangue, corre-se o risco de déficits nutricionais, anemia e enfraquecimento, reações alérgicas e até de problemas respiratórios. Em infecções mais graves, os ácaros também podem levar à cegueira parcial ou total.

Situações de maior risco

O risco de desenvolver condições associadas a ectoparasitas é maior em animais jovens ou com o sistema imunológico comprometido.

Os primeiros dias de uma cobra em casa tendem a ser particularmente críticos, o que requer vigilância especial. É necessário lembrar-se da importância de realizar a desparasitação periódica em cobras domésticas.

Além disso, visitas a um veterinário especializado são importantes para monitorar seu estado de saúde e evitar qualquer patologia.

Cuidado com as queimaduras!

A pele característica das cobras, além de sua beleza incomparável, apresenta uma certa sensibilidade aos raios de sol.

Embora gostem do calor, a exposição excessiva à luz solar ou luz artificial é prejudicial à saúde desses répteis.

Como as cobras têm alguma dificuldade em perceber quando a pele delas está queimando, são os donos que devem evitar as queimaduras.

Portanto, devemos prestar muita atenção ao local em que colocamos o terrário de uma cobra doméstica e controlar a intensidade da iluminação artificial.

Doenças das cobras: as 3 mais comuns

Assim com acontece com outras espécies, as cobras estão mais predispostas a desenvolver certas patologias ou distúrbios. Para ajudá-lo a acompanhar a saúde do seu animal de estimação, resumimos as três principais doenças das cobras, suas possíveis causas e sintomas.

Troca incompleta de pele (disecdise)

A troca incompleta de pele não é exatamente uma doença em si. No entanto, aparece como um sinal de algum desequilíbrio no organismo da cobra. 

Além disso, se não tratada rapidamente, a disecdise pode ser um fator de risco para o desenvolvimento de problemas de pele e algumas infecções.

troca de pele em répteis

Em geral, a troca incompleta é causada por algum déficit nutricional causado por uma dieta desequilibrada.

Portanto, é importante ter a orientação de um veterinário especialista para desenvolver uma dieta que atenda a todas as necessidades nutricionais das cobras.

Em outras ocasiões, a disecdise pode revelar uma infecção subaguda, que deve ser tratada para preservar a saúde da cobra. E outra causa possível para a troca incompleta é uma infestação por ectoparasitas.

Doenças respiratórias

Como vimos, a presença de ácaros é uma das possíveis causas das afecções respiratórias nas cobras. Mas não é a única.

O sistema respiratório desses répteis pode ser afetado principalmente pelo excesso de umidade em seu ambiente.

Geralmente, o sintoma mais óbvio de uma doença respiratória ocorre quando a cobra começa a respirar com a boca aberta.

E, consequentemente, emite um assovio ao respirar que não deveria estar presente em animais saudáveis. Se a sua cobra fizer tal som de assovio ao respirar, é essencial consultar um veterinário especializado.

Estomatite infecciosa

A estomatite em cobras, é um processo infeccioso causado por bactérias. Começa com a inflamação do revestimento da boca, que leva ao acúmulo de pus entre os dentes.

Pouco a pouco, a infecção se alastra, afeta o osso subjacente e a cobra pode sofrer a perda dos dentes.

estomatite em cobras

Seus primeiros sintomas são geralmente a salivação excessiva e espumante. Pequenos sangramentos pontuais também podem ser observados na região ao redor da boca. E, com o avanço da doença, os sinais de putrefação aparecem.

O diagnóstico precoce é determinante para o sucesso do tratamento da estomatite infecciosa. Portanto, ao reconhecer esses sintomas em sua cobra, será vital levá-la imediatamente ao veterinário.

Blister

Outra das doenças das cobras é o blister; uma patologia infecciosa pouco conhecida, mas relativamente comum em répteis criados em cativeiro.

Seu sintoma mais característico é o avermelhamento da parte inferior do corpo da cobra. As principais causas de Blister são a falta de higiene do meio ambiente e os problemas de umidade.