Alimentação para prevenir a diabetes em gatos

abril 14, 2020
O controle da alimentação é muito importante para a prevenção e o tratamento da diabetes em gatos.

Saiba como prevenir a diabetes, comum em gatos obesos de todas as idades, embora seja mais frequente em machos castrados com mais de seis anos. Essa doença requer um tratamento e um controle dietético. Além disso, é igualmente importante manter uma boa alimentação e um controle do peso.

O que é a diabetes?

A diabetes é uma doença que afeta o pâncreas, que secreta pouca ou nenhuma insulina, causando uma hiperglicemia severa. Essa hiperglicemia só pode ser tratada com injeções de insulina e uma dieta estrita.

A obesidade predispõe o animal a sofrer de diabetes, tanto em cachorros quanto em gatos. Outros fatores são a idade do gato, a genética e o tratamento com corticosteroides.

Os sintomas mais comuns são:

  • Polidipsia – poliúria. O animal bebe muita água e urina muito mais do que o normal.
  • Polifagia. O gato demonstra muita fome e é capaz de comer uma grande quantidade de comida.
  • Fraqueza ou depressão.
  • Perda de apetite.
  • Catarata.
Gato descansando

Um pico muito elevado de glicose no sangue pode causar sintomas graves que representam uma urgência veterinária.

A nutrição para prevenir e tratar a diabetes em gatos

A nutrição tem um papel essencial não apenas para controlar a diabetes nos gatos, mas também para preveni-la. Nos felinos, o ganho de peso reduz a sensibilidade à insulina. Dessa forma, manter o gato no seu peso correto reduz o risco de diabetes.

A alimentação de qualquer gato deve estar de acordo com:

  • O peso ideal. A porção de ração diária deve se ajustar ao peso ideal do gato, não ao peso atual dele, especialmente se ele estiver obeso ou muito magro. Essa quantidade é calculada em gramas por quilogramas de peso e aparece indicada nas embalagens de ração. No entanto, se você tiver dúvidas, pode esclarecê-las com o seu veterinário.
  • A idade do animal. Os requisitos energéticos de um filhote de poucos meses não são os mesmos daqueles de um gato adulto ou idoso. Assim, uma quantidade elevada de ração muito calórica, como pode ser o requisito dos filhotes, pode, por outro lado, provocar obesidade em um gato adulto.
  • O estado sexual. Alguns machos tendem a engordar uma vez que tenham sido castrados; para eles, existem as rações especializadas para gatos castrados.
  • A presença de doenças. Para certas doenças, como a doença renal, é aconselhável manter um controle dietético especial. A ração desses animais deve, portanto, ter uma composição específica, com a ausência ou a presença de ingredientes que ajudam a manter um estado de saúde favorável diante da doença.

A L-carnitina é adicionada à composição de muitas rações, já que ajuda a manter o peso, reduz o tecido adiposo e previne a obesidade que, como falamos anteriormente, aumenta o risco de diabetes em gatos.

Alimentação dos gatos

Como deve ser a alimentação para prevenir ou tratar a diabetes?

As dietas para prevenir ou tratar a diabetes se focam em reduzir o peso corporal para evitar a obesidade e diminuir os níveis de glicose no sangue, já que o pâncreas não funciona corretamente, ou seja, não produz insulina que regule a glicose da forma esperada.

  • São dietas ricas em proteínas.
  • Pobres em gorduras.
  • Com um baixo teor de carboidratos. Os cereais menos refinados e com um índice glicêmico baixo, como a cevada e o milho, por exemplo, provocam uma glicemia menor do que outros cereais, como o arroz.
  • Com maior teor de fibras. A fibra tem um papel importante no controle da glicose, porque torna a absorção de glicose no organismo mais lenta. Além disso, alguns tipos de fibra, como o psyllium, também tornam mais lentas a digestão e a absorção dos carboidratos.
  • Contêm um menor fornecimento de amido, o que é benéfico, já que isso representa um menor nível de glicose no sangue.
  • Axonveterinaria.net Importancia de la dieta en la diabetes mellitus felina.
  • Affinity-petcare. Diabetes en gatos: manejo y posibles consecuencias.
  • Fidalgo, L. E., Rejas, J., Ruiz de Dopegui, R., Ramos, J. J.Patología Médica Veterinaria. Salamanca, Kadmos, 2003.
  • Mª Luisa Palmero. Certificada Medicina Felina ESVPS. Acreditada Medicina Felina AVEPA. Gattos Centro Clínico Felino. Diabetes Felina. Actualización en el diagnóstico y tratamiento.