Apresentar o bebê ao seu animal de estimação

· maio 4, 2018

O animal nunca deve se sentir deslocado pela presença de um novo membro da família; se isso acontecer, ele tenderá a ter comportamentos destrutivos, e um acidente ou mal-entendido poderá ocorrer, mas isso pode ser evitado com o nosso empenho e supervisão. Apresentar o bebê ao seu animal de estimação é algo muito importante.

Ainda há muitas pessoas que abandonam seus animais de estimação ou que procuram novas famílias para eles quando descobrem que um novo bebê está chegando à casa: essas pessoas não sabem que os animais são uma ótima companhia para as crianças pequenas. Como as primeiras impressões são importantes, falaremos sobre como apresentar o bebê ao seu animal de estimação.

Seu animal de estimação sabe que um bebê está chegando

O primeiro fato que devemos ter em mente é que seu animal de estimação sabe que há um bebê a caminho. Na verdade, já foi provado que os cães sabem que uma mulher está grávida antes dela mesma.

Os animais são muito observadores e têm uma capacidade olfativa que os humanos não possuem. Tanto o seu cão quanto o seu gato sabem que há um bebê em desenvolvimento; eles sentem o cheiro nas mudanças hormonais e percebem que o corpo da gestante muda pouco a pouco.

Portanto, não é estritamente necessário apresentar o bebê ao seu animal de estimação, uma vez que ele já sabe que haverá uma nova pessoa em sua casa. No entanto, é uma boa ideia tomar certas precauções para que a nova situação de convivência seja boa para todos.

Mulher grávida com cachorro

As mudanças quando o bebê chega

A chegada de um bebê muda a vida de seus pais e também a dos animais de estimação; muda até mesmo antes de o bebê nascer. Durante as últimas semanas antes do nascimento, ele quase sempre estará acompanhado em casa e poderá, até mesmo, fazer mais caminhadas e brincadeiras do que o habitual.

Então, de um momento para o outro, ele ficará sozinho em casa por longas horas enquanto o resto de sua família fica no hospital. Esses tipos de alterações podem causar muitos problemas comportamentais e estresse, assim como também comportamentos destrutivos ou latidos excessivos.

Para evitar que o animal se sinta sozinho por muito tempo, pode ser uma boa ideia pedir a um amigo ou a alguém da família que o visite. Se é um filhote, alguém terá que levá-lo para passear e brincar, assim como continuar com suas outras rotinas.

Outro conselho que geralmente é dado é a necessidade de implementar as novas regras da casa antes que o bebê nasça: se ele não puder entrar em um dos cômodos, por exemplo, devemos ensiná-lo a ficar fora deste local com algumas semanas de antecedência. Desta forma, as mudanças serão graduais e será mais fácil para os animais aprendê-las.

Cuidados para apresentar o bebê ao seu animal de estimação

Mesmo que o seu animal de estimação saiba que um bebê logo chegará à família, não devemos negligenciar o tempo dedicado às apresentações. Cães e gatos não devem querer prejudicar um membro de sua família, mas um acidente pode ocorrer e isso deve ser evitado.

Bebê com filhotes de cachorro

Para fazer uma apresentação com segurança, lembre-se:

  • A apresentação deve ser feita em um momento de tranquilidade, sem despertar o animal de uma soneca, por exemplo. Espere até ele estar à vontade e relaxado. Se estiver nervoso, será mais fácil ocorrer um acidente.
  • Se o seu animal de estimação não quiser se apresentar, dê espaço a ele. Ele já sabe que há um novo membro na família; você não precisa pressioná-lo para se aproximar.

Que seu animal de estimação continue sendo importante

Com toda a atenção e tempo que você precisa para dedicar a um bebê, pode ser que o tempo que você costumava passar com o seu animal de estimação sofra alterações. No entanto, os animais querem manter suas rotinas e eles amam a nossa atenção.

Mesmo que o bebê demande muito tempo, faça o possível para que o seu animal de estimação não fique de lado. Brinque igualmente com o seu gato e não deixe que as caminhadas de seu cão diminuam; procure a ajuda de amigos ou de familiares para que seu animal possa continuar aproveitando seu tempo de lazer.

Para todos os animais de estimação, mesmo que não sejam cães ou gatos, o conselho é o mesmo: ajudá-los a se sentirem amados e importantes. Se você falhar neste ponto, é provável que apareçam problemas comportamentais para chamar sua atenção: é melhor dar a ele o que ele precisa antes de ele ter que lutar para isso.

Bebê com cachorro

Sempre com supervisão

Mesmo que seu animal de estimação esteja amando seu bebê e o tenha recebido com alegria, lembre-se de que você deverá sempre supervisionar os momentos que eles forem passar juntos. Pode haver acidentes ou mal-entendidos entre os dois, acidentes estes que são evitáveis.

Por exemplo, muitos gatos querem dormir ao lado dos bebês e, às vezes, sentam em cima deles, dentro do berço ou acidentalmente os atingem com suas caudas. Algo semelhante acontece com os cães, que podem querer se aproximar do novo membro da família e podem arranhar ou babar neles por um descuido.

Mesmo quando a criança crescer, sempre será preciso supervisionar as interações com os animais de estimação, para a segurança de todos. Sempre ajude o animal a relaxar se ele se sentir sobrecarregado, proporcionando para ele um ambiente tranquilo, onde pulos ou arranhões possam ser evitados devido à animação de seu pet.

Os animais sabem quando há uma gravidez e reconhecem o novo membro da família antes dele nascer. Apesar disso, ao apresentar o bebê ao seu animal de estimação, a segurança não deverá ser negligenciada e deveremos monitorar as interações entre todos para evitar acidentes ou mal-entendidos.