Balantidiose em porcos

dezembro 22, 2019
A falta de higiene nos criadouros causa a balantidiose em porcos, cujo sintoma mais comum é uma diarreia crônica alternada com constipação.

A balantidiose em porcos é uma doença infecciosa causada pelo protozoário Balantidium coli. Esse parasita unicelular infecta porcos com frequência, mas também pode afetar seres humanos, cavalos, ratos e primatas não-humanos.

Causas da balantidiose em porcos

A balantidiose nos porcos é causada pela ingestão de cistos de Balantidium coli, os quais se dissolvem e invadem a parede do intestino grosso, o que provoca úlceras nos animais.

Esses parasitas eliminam posteriormente os cistos pelas fezes, que são levados pelo alimento. Ao chegar ao exterior, se eles são ingeridos, podem contaminar porcos ou outros mamíferos, e inclusive podem resistir um tempo no ambiente sob as condições adequadas.

Em geral, a balantidiose ocorre em criadouros onde a higiene é deficiente e onde a água pode estar contaminada. A mesma causa pode provocá-la no homem, por meio de alimentos ou água contaminados com fezes de suínos ou outros mamíferos infectados pela balantidiose.

Criação de porcos

Sintomas da balantidiose em porcos

A balantidiose em porcos se caracteriza por uma diarreia crônica que se alterna com constipação. Também podem ser expelidas fezes mucosas com sangue e inclusive haver cólicas, ainda que muitos casos sejam assintomáticos, ou seja, não provoquem sintomas.

Os porcos normalmente aparecem com o períneo manchado de fezes, portanto, é complicado diferenciar essa de outras doenças sem um diagnóstico específico, que consiste em fazer um teste parasitológico nos animais, realizado pelo veterinário.

Esse teste consiste em analisar uma amostra no microscópio, o que deveria mostrar a presença de cistos nas fezes. Os veterinários são capacitados para distinguir esses protozoários de outros organismos e aplicar o tratamento adequado.

Tratamento

A doença é tratada com antibióticos como as tetraciclinas, na dose recomendada pelo veterinário. É importante destacar que a água contaminada com material fecal é a principal causa da balantidiose. Assim, é importante ter medidas especiais de higiene com ela.

O ideal é que o veterinário determine exatamente qual é o agente etiológico da doença, já que, em muitos casos, o tratamento de diarreia por parte dos pecuaristas pode consistir em repetir tratamentos anteriores com restos de medicamentos.

Essa prática é totalmente contraindicada, já que ela não é eficaz porque pode causar resistência a antibióticos, um problema cada dia mais comum no qual a administração irregular de fármacos antibióticos no gado leva uma grande parte da culpa.

Em geral, a balantidiose é uma doença leve que diminui a produção da criação, mas que não representa um grande perigo para a vida do animal. Um tratamento específico e eficaz colocará um fim na balantidiose em porcos.

Ao mesmo tempo, é necessário tomar um cuidado especial no manuseio para não contrair essa doença, já que ela é uma zoonose.