As bandagens mais úteis na clínica de aves

04 Dezembro, 2020
O uso de bandagens é uma prática comum na clínica de aves. Neste artigo, vamos explicar o essencial sobre esse assunto.

As bandagens são uma prática comum na clínica veterinária. Especificamente, no tratamento de aves, o uso desse procedimento terapêutico deve ser feito com especial cuidado, pois existe a possibilidade de incapacitar permanentemente a ave para o voo. Se você tiver interesse em saber quais são as bandagens mais úteis na clínica de pássaros, continue lendo.

A arte da bandagem na clínica de aves

Uma boa bandagem deve ser sempre colocada de maneira confortável: com firmeza, mas não apertada, em nenhuma circunstância. E deve ser posicionada de forma a evitar dores ou sofrimentos desnecessários aos tecidos afetados.

O maior sucesso de uma bandagem será dar proteção e suporte à área lesada, sem machucá-la.

Com a bandagem, é possível imobilizar a área afetada, evitando movimentos indesejados. Também ajuda a proteger as feridas cirúrgicas, evitando sua contaminação e as mantendo limpas. Além disso, evita o ressecamento do tecido e proporciona isolamento térmico.

As bandagens também evitam que os animais se machuquem. No caso das aves, é comum que elas biquem as cicatrizes ou tecido necrótico. Elas podem até mesmo se automutilar.

Por fim, as bandagens ajudam a manter os curativos ou cateteres no lugar e fornecem pressão localizada para evitar sangramento ou inchaço.

Como fazer uma bandagem?

Uma boa bandagem geralmente consiste em três camadas:

  • Uma primeira camada de curativo, em contato com a ferida. Evita que o ressecamento e promove a cicatrização.
  • Uma segunda camada de ataduras para “acolchoar” a ferida e evitar golpes diretos. Absorve exsudatos, dá suporte e imobiliza a área.
  • E uma terceira camada para segurar as outras e mantê-las firmes. Fornece a pressão necessária para prevenir edema e sangramento.

Antes de colocar a bandagem

Depois de cuidar da ferida, devemos providenciar os materiais necessários para proceder ao curativo. Com o intuito de minimizar o estresse que podemos gerar à ave, é melhor contar com uma ajuda durante o processo e realizá-lo o mais rápido possível.

Durante a aplicação da bandagem

Não é recomendado apertar demais. Se forem utilizadas várias camadas, certifique-se de que a camada externa cubra completamente as outras, pois o pássaro tenderá a puxar os fios da bandagem de pano para soltá-la, o que vai destruir todo o trabalho.

Caso se trate de uma bandagem de uma das extremidades, é preciso garantir que a posição do membro esteja adequada para evitar danos subsequentes às articulações ou aos músculos.

Depois de enfaixar

Recomenda-se monitorar constantemente a condição da bandagem e trocá-la com a frequência necessária de acordo com a ferida.

Uma bandagem mal colocada ou que permanece por mais tempo do que o necessário pode causar problemas nas articulações e a perda permanente do tônus ​​muscular.

Em pássaros, é especialmente perigoso danificar as penas de voo ou o ligamento do patágio. Mesmo assim, na maioria dos casos, será necessária fisioterapia para que o animal volte ao seu estado anterior.

Se o animal ficar internado por um período de tempo, recomenda-se o uso de algum tipo de material isolante para evitar que o curativo fique manchado ou molhado.

As bandagens mais úteis na clínica de aves

  • Bandagem em bola: para superfícies plantares com pododermatite.
As bandagens mais úteis na clínica de aves
Fonte: F Daut E. Wrap it up. Bandaging techniques for wildlife patients. Virginia: Wildlife Center of Virginia
  • Interdigital: usada para feridas plantares, mas deixa os dedos expostos, permitindo a sustentação do membro.
Interdigital
Fonte: F Daut E. Wrap it up. Bandaging techniques for wildlife patients. Virginia: Wildlife Center of Virginia
  • Robert Jones: para fraturas da parte distal das patas, danos ao jarrete ou feridas localizadas nessas áreas.
Robert Jones
Fonte: F Daut E. Wrap it up. Bandaging techniques for wildlife patients. Virginia: Wildlife Center of Virginia
  • Bandagem em 8: para fraturas nas asas localizadas além do cotovelo, luxações do cotovelo ou carpo e feridas nessas áreas. Não deve ser usada para fraturas do úmero, a menos que combinada com a bandagem presa ao corpo para evitar o movimento da asa danificada.
Bandagens em 8
Fonte: F Daut E. Wrap it up. Bandaging techniques for wildlife patients. Virginia: Wildlife Center of Virginia
  • Bandagem da asa no corpo: para fraturas e luxações do úmero, ossos da cintura escapular ou para qualquer queda anormal e inexplicável da asa.
Bandagem da asa no corpo
Fonte: F Daut E. Wrap it up. Bandaging techniques for wildlife patients. Virginia: Wildlife Center of Virginia
  • Talas: normalmente indicadas para fraturas das patas em aves pequenas, que não envolvam o fêmur.
Talas
Fonte: F Daut E. Wrap it up. Bandaging techniques for wildlife patients. Virginia: Wildlife Center of Virginia
  • F Daut E. Wrap it up. Bandaging techniques for wildlife patients. Virginia: Wildlife Center of Virginia;.