Bob, um gato de rua

· julho 2, 2017

Se você estiver andando pelos bairros de Londres e se deparar com um homem carregando um gato no ombro, não se surpreenda. Certamente, trata-se de James Bowen e seu “parceiro” Bob. A história tão peculiar de como uma pessoa com vícios e um gato de rua salvaram um ao outro, se tornou um best-seller e até tem a sua versão cinematográfica. Aqui, nós vamos lhe contar alguns dos detalhes mais interessantes.

A história de um jovem viciado que foi salvo por um gato de rua e vice-versa

Tudo começou em 2007, quando Bowen, um viciado em drogas de cerca de trinta anos que sobrevivia tocando guitarra na rua, encontrou na porta de seu apartamento um gato ruivo. Era um dia frio e o animal aceitou de bom grado o convite para entrar. Na verdade, era o que ele estava procurando.

Foi então quando o jovem percebeu que o gatinho estava ferido. Sem demorar e sem preguiça, levou-o para a Sociedade Protetora dos Animais e gastou o pouco dinheiro que tinha em antibióticos para curar o gato de rua.

Pouco tempo depois, o gato, já restabelecido, começou a seguir o músico quando ele saía de casa. Até que um dia ele embarcou no ônibus que o jovem pegava para ir até Covent Garden, onde trabalhava.

Quando um gato de rua entrou na vida de um jovem viciado em drogas que sobrevivia tocando guitarra em um bairro de Londres, o destino de ambos mudou.

Bob e James, um espetáculo

Foi assim que o já batizado Bob começou a acompanhar seu amigo humano em suas apresentações de música. A mera presença do animalzinho chamava a atenção dos transeuntes. Mas, como você já percebeu, não era um gato “comum e habitual”, e era costume que Bowen terminasse cada canção com um toque de mão e pata com o gatinho.

A verdade é que o jovem passou a ganhar em horas o dinheiro que juntava em uma semana. Logo, as imagens do gato com lenço carregado no ombro do músico, ou lhe fazendo companhia enquanto ele tocava guitarra, começaram a viralizar na Internet.

Mais tarde, fizeram um artigo sobre eles na revista local Islington Tribune. E não demorou para aparecer em suas vidas um agente literário que propusesse contar a história.

Das ruas para as livrarias e o cinema

Até então Bowen, que tinha conseguido ficar longe das drogas, escreveu o romance “Um gato de rua chamado Bob”, onde ele descreve em detalhes como o encontro com o felino mudou — salvou — sua vida.

O livro logo se tornou um best-seller (foram vendidas mais de um milhão de cópias) e ultrapassou as fronteiras do Reino Unido. Na verdade, ele foi traduzido para trinta idiomas. E também teve sua versão adaptada para crianças.

A essa altura, era lógico que tão peculiar história da vida real fosse transformada em filme. Em 2016, estreou o filme dirigido por Roger Spottiswoode, e com Luke Treadaway no papel de Bowen. E quem vocês acreditam que interpretou Bob? Pois, ele mesmo, é claro. O gatinho se tornou uma estrela de cinema.

Abaixo, você pode assistir ao trailer do filme.

É sempre bom que os gatos nos escolham

Com a situação econômica resolvida, homem e gato não perderam seus truques. Geralmente ainda podemos vê-los andando pelas ruas de Londres. Bowen se tornou colaborador de diversas ONGs e até recentemente estava vendendo o The Big Issue, um jornal para ajudar desabrigados. E Bob sempre o acompanhava montado em seu ombro. Se estava frio, o gatinho ostentava um dos muitos lenços que lhe eram dados diariamente.

A verdade é que esta história, se não fosse verdadeira, teria que ser inventada. A vida sempre dá uma nova oportunidade se você souber como usá-la.

Portanto, se qualquer dia descobrirmos que um gato lhe escolhido, não o ignore. Você não pode nem imaginar todo o bem que o seu destino pode te reservar, se você decidir aceitar sua proposta. Atreva-se a descobrir.

Fonte: Facebook de James Bowen e um gato de rua chamado Bob