Braco de San Germain

· maio 31, 2018
Braco de San Germain: um cão caçador, mas de família

O braco de San Germain é uma raça histórica, seus predecessores são da época de Luís XV. É um cão ideal tanto para a caça como para a companhia. Hoje daremos mais detalhes sobre esse curioso exemplar.

Braco de San Germain

O braco de San Germain surgiu no século 19, como uma raça mista entre bracos ingleses e franceses. Nos últimos séculos, seus antepassados ​​acompanharam monarcas e outros membros da alta sociedade francesa. Acredita-se que esses sejam os cães que aparecem nas pinturas de Luís XV.

São cães da região de Saint Germain, em Laye, França. Além disso, eles têm excelentes qualidades como caçadores e possuem um temperamento muito dócil. Sua fama surgiu em meados do século 19, quando a raça começou a aparecer em exposições por toda a França.

O boom da raça durou até 1915, quando diferentes grupos e associações da Europa começaram a registrar as características da mesma. A raça perdeu ligeiramente sua função como caçadora, em troca de se tornar mais ambivalente, em benefício de ser um melhor animal de companhia.

Aspectos físicos

São cães de tamanho médio a grande, robustos e atléticos; bem como energéticos e adaptáveis a qualquer tipo de situação e terreno. A seguir, mais a respeito de suas características:

  • Eles medem de 54 a 64 centímetros de altura, pesam entre 19 e 26 quilos.
  • Eles têm uma cabeça grande, apresentando os mesmos aspectos de outros bracos.
  • Seu focinho tem o mesmo comprimento de seu crânio, e termina em um nariz largo e rosa, enquanto os lábios superiores cobrem os inferiores facilmente, sem apresentar manchas pretas. Além disso, embora sua boca seja muito forte, com dentes sólidos, eles têm uma mordida bastante leve.
  • Seus olhos são médios e de cor dourada, o que proporciona um visual bastante harmônico para esse cão. Por outro lado, as orelhas são no nível dos olhos e, como em outros bracos, são caídas.
  • Seu corpo é robusto, musculoso e dá lugar a um peito muito definido, com um esterno ligeiramente em protrusão. Quando ele está em repouso, pode-se apreciar toda a musculatura do animal.
  • A cauda é longa, começando bastante grossa e terminando em um ponto.

Vale destacar que eles também têm uma estrutura óssea robusta, o que os torna adequados para o trabalho que fazem; isso considerando também seus membros longos e fortes.

Quanto ao seu andar, a caminhada do braco de San Germain apresenta um trote, leve, elegante e sustentado, apesar do físico forteAo caçar, o galope é muito enérgico e constante, e se adapta a qualquer terreno que encontrar, sem problemas.

Além disso, são cães com pelos curtos, mas não muito finos, brancos com manchas laranjas. Normalmente, são as orelhas e as costelas que apresentam a cor laranja.

Temperamento

Eles são cães bastante amigáveis, apesar de serem projetados para caça. Eles também são obedientes e carinhosos com seus mestres, embora sejam tímidos com estranhos. Eles não requerem uma grande carga de treinamento, graças à sua inteligência.

Quanto ao seu comportamento na vida familiar, o braco de San Germain é apropriado, desde que seja providenciado o cuidado necessário para manter sua condição física. Cães dessa raça também são recomendados para as famílias rurais.

Como eles são muito inteligentes, eles têm grandes habilidades sociais para se relacionarem com outros cães e humanos. Um cão ideal para correr em dias ensolarados, ou para caminhar em uma tarde no parque ou, ainda, em locais sem muita agitação.

Saúde, cuidados e doenças

O braco de San Germain é uma raça bastante resistente a muitas doenças comuns em cães. No entanto, pode sofrer alguns transtornos graves se não forem tomados os devidos cuidados a tempo, como a displasia de quadril e outros problemas nas articulações.

Certas regiões da pele, como as orelhas e outros locais delicados do animal, devem ser limpos para evitar o acúmulo de umidade e a proliferação de fungos nocivos para o animal. Uma lavagem suave, uma vez por semana, é suficiente para remover os pelos mortos de sua pelagem.

Como um cão de campo, deve-se prestar atenção à possível aparição de parasitas, tais como carrapatos e, também, a outros elementos que podem afetar o animal, como espinhos ou pedras nas almofadinhas de suas patas.