Burro: características, comportamento e habitat

dezembro 15, 2017

Há burros em quase todas as partes do mundo: eles são utilizados especialmente como animais de carga. No entanto, sob a pele destes primos dos adorados cavalos, escondem-se animais extraordinariamente doces e inteligentes. Hoje contaremos a você tudo sobre o burro.

Características físicas

Os burros pertencem à família dos equinos, isto é, são “parentes” dos cavalos, mas também dos rinocerontes.

No entanto, são de menor tamanho que seus primos. Um burro adulto costuma medir entre 90 e 140 cm em cruz, ainda que existam raças mais altas. O burro catalão, que ultrapassa os 1,60 m, por exemplo. Pesam em torno de 250 kg. Vivem entre 15 e 20 anos, ainda que já tenha sido documentado exemplares que chegaram a viver 40 anos.

As cores dos burros variam entre todas as tonalidades de cinza, desde o branco absoluto até o preto. Também há variações de todas as cores pardas. Há raças totalmente brancas ou pretas, mas o habitual é que tenham uma variação de todos estes tons.

Burro marrom

Autor: Matthew Paulson

Tem uma crina curta, e orelhas muito grandes em proporção ao corpo. Podem mover as orelhas em muitas direções e as usam para se refrescar.

Características etológicas

O burro atual é descendente dos asnos selvagens que habitavam a África. Foi domesticado há, mais ou menos, 6 mil anos, quando começou a ser utilizado como animal de carga. São animais resistentes, capazes de sobreviver em ambientes quentes e com pouca água, como o deserto. Têm dificuldade de viver em lugares frios.

Os burros são animais herbívoros e gostam de uma faixa de alimentos mais ampla que o resto de herbívoros. No entanto, preferem ervas e feno aos arbustos lenhosos. Gostam muito das hortaliças e precisam de menos comida em comparação a outros animais de seu mesmo tamanho.

Aproveitam muito bem a água de todas as plantas que comem, por isso a bebem pouco e se permitem não beber de fontes de água que lhes pareçam pouco limpas.

Comportamento dos burros

Os burros são extremamente dóceis e complacentes. Na atualidade, quase todos eles são usados como animais de carga e cumprem seu trabalho diligentemente, apesar de que muitas vezes o fazerem sob condições muito duras ou sem possibilidade de descanso. São animais resistentes que suportam condições de vida e trabalho que, para outros, seria impossível.

Os preconceitos ao redor do burro transformaram seu nome em um insulto, mas, na verdade, eles são animais muito inteligentes e espertos. Seus movimentos são lentos e parece que eles nunca têm pressa, mas quando lhes é dada a oportunidade, demonstram ser muito dispostos e capazes de resolver problemas complexos.

Além disso, têm uma grande memória, o que lhes permite lembrar de lugares e rotas por onde seguiram há tempos.

É difícil irritar um burro, mas, se contrariado, pode se defender dando fortes coices com as patas de trás. Há casos em que, quando não puderam atacar com as patas de trás, eles se defenderam mordendo. Mas estes casos são exceções, já que eles são animais muito dóceis e nada agressivos ou irritáveis.

Eles também têm a fama de serem teimosos. E é verdade que, quando não querem fazer algo, é muito difícil convencê-los. Mas isto se deve mais a o fato de serem animais cautelosos, e que podem ter percebido um certo perigo na postura de quem está lhes dando ordens.

Habitat

Há burros no mundo todo. Os primeiros foram domesticados no norte da África, mas se espalharam por todo o planeta, graças à sua extraordinária personalidade e força. São especialmente comuns nos países quentes.

Podemos encontrar exemplares no Sul e no oeste da Europa, em quase toda a Ásia e espalhados por toda a África. Também há muitos na América do Sul. A metade dos existentes hoje vivem na Ásia, espalhados entre a China, o Afeganistão e a Índia. Na América, os países onde há mais burros são o México e a Colômbia. Na Espanha, estão localizados especialmente na Andaluzia, mas desaparecem com muita rapidez.

Burro parado

Dizem que já não há mais asnos selvagens. Os que vivem em liberdade atualmente são descendentes dos asnos domésticos abandonados ou que fugiram, e que se acostumaram a viver sem os humanos.

Salvar a espécie

Na Europa, principalmente na Espanha, a população de burros tem decaído até quase a extinção. As quatro raças próprias espanholas estão em perigo. A isto se soma que muitos são vítimas de maus-tratos ou abandono, como denunciam as notícias todos os anos depois de algumas das romarias mais importantes. Por isso, estão surgindo abrigos ou santuários dedicados unicamente a eles. Estas organizações resgatam, recolhem e cuidam de burros que têm tido uma vida ruim e lhes proporcionam uma melhor.

Os burros são animais excepcionais, resistentes e muito inteligentes. Propagaram-se por todo o mundo graças a sua força e docilidade. Graças a eles, a cultura popular européia está cheia de refrões, fábulas e contos sobre burros.