Cavalo-marinho: um “pequeno cavalo” no mar

· agosto 10, 2018
Fisicamente, pode-se dizer que este animal é uma espécie que mistura características de diversos animais. É um peixe que tem a cabeça e o focinho de um cavalo. A cauda preênsil de um macaco. A bolsa de um canguru. Além disso, os olhos têm mobilidade independente, como os de um camaleão. Por fim, esse animal habita as águas tropicais quentes.

Seu nome científico (Hippocampus) é a junção de dois termos gregos: hippos – que significa cavalo – e kampos, que significa monstro marinho. Neste artigo, vamos contar tudo sobre o cavalo-marinho, um animal realmente fascinante.

Características do cavalo-marinho

Com mais de 50 espécies conhecidas, o cavalo-marinho é um peixe muito diferente dos outros. Para começar, seu corpo se move “verticalmente” como se estivesse parado. Além disso, esse animal se impulsiona com a barbatana dorsal (nas costas) e usando as barbatanas peitorais (atrás da cabeça) para auxiliar.

Em vez de ter uma barbatana anal como os outros peixes, o cavalo-marinho tem uma cauda preênsil enrolada como uma espiral. Isso lhe permite agarrar-se a plantas e corais subaquáticos.

Além disso, há outras características dessa espécie. O cavalo-marinho é coberto com uma espécie de “armadura” de anéis ou placas grossas. Também, esses animas podem mimetizar as algas através da mudança de cor. Isso é essencial para fugir dos predadores. Afinal, esse animal de no máximo 30 centímetros de comprimento – as menores espécies têm apenas 14 milímetros – nada lentamente.

Por sua vez, sua respiração é através de brânquias. Ele se comunica com os outros através de “cliques” que produz movendo a cabeça; como se fosse um cavalo. Além disso, esses animais têm narinas que filtram a água.

Habitat e alimentação do cavalo-marinho

O cavalo-marinho habita águas tropicais rasas, com temperaturas quentes e mornas. Normalmente, ficam entre corais, tanto no oceano Atlântico como no Indo-Pacífico e no Mar Vermelho.

Alimentação do cavalo-marinho

Quanto à sua dieta, os cavalos-marinhos são predadores de pequenos invertebrados. Assim, eles dependem de seus olhos com mobilidade independente para reconhecerem as presas. O focinho alongado e o movimento rápido da cabeça permite que eles “suguem” o alimento e o engulam por inteiro, já que não têm dentes.

Como o seu estômago é muito pequeno, esse animal tem que consumir grandes quantidades de comida quase todo o tempo.

Reprodução do cavalo-marinho

Sem dúvida, uma das razões pelas quais o cavalo-marinho é mais conhecido em todo o mundo é por causa de sua reprodução. Afinal, ela contraria o que é costumeiro em outras espécies.

Tudo começa da seguinte maneira: quando a temperatura da água aumenta, um macho e uma fêmea executam uma dança cerimonial. Nela, eles acabam entrelaçando suas caudas. Então, após 20 minutos, a fertilização ocorre de forma externa.

Reprodução do cavalo-marinho

A partir daí, começa a diferente e extraordinária forma de reprodução dessa espécie.

A fêmea transplanta os ovos para a “barriga” do macho afim de que se desenvolvam e fiquem bem protegidos. Todo este processo dura apenas seis segundos. A intenção é assegurar a monogamia genética. A ninhada é o resultado da união desses dois seres apenas.

A gestação pode durar entre 10 dias e 6 semanas, dependendo da espécie de cavalo-marinho e da temperatura do mar. Quando passa o tempo necessário, o macho agarra seu rabo a algum objeto no fundo do oceano. Depois disso, ele contrai o corpo para libertar os filhotes. O parto pode demorar várias horas. Além disso, os filhotes são idênticos aos seus pais. Entretanto, nascem com 11 milímetros de comprimento, no máximo.

Durante os primeiros dias, esses bebês – cada ninhada pode ter entre 10 e 400 – entram e saem da bolsa da barriga do pai de acordo com a existência de algum perigo ou não.

Sem dúvida, o cavalo-marinho é uma mistura de vários animais ao mesmo tempo.  A cabeça e o focinho de um cavalo, os olhos do camaleão, a bolsa na barriga como a do canguru e cauda preênsil como a do macaco… Além de tudo, esse animal se move ereto como uma pessoa, sustentado por uma coluna vertebral.