Cavalo Tarpan: origem e características

O cavalo tarpan é provavelmente o ancestral mais recente dos equídeos domésticos de hoje. Aqui você pode aprender mais sobre ele.
Cavalo Tarpan: origem e características

Última atualização: 06 Outubro, 2021

Se você quiser encontrar esse equídeo cara a cara, infelizmente não conseguirá. O cavalo tarpan é uma raça selvagem extinta que habitou as florestas e estepes da Europa até o século XIX. Especula-se que possa ser o ancestral dos cavalos modernos que hoje são conhecidos no continente europeu.

Também se sabe que os equídeos habitaram esse continente há mais de 20 mil anos (quase 40 mil), graças às pinturas rupestres no norte da Espanha e no sul da França. O tarpan era usado por todos os povos do Mediterrâneo oriental, das tribos celtas aos gregos, e neste artigo você poderá conhecê-lo melhor.

Origens do cavalo tarpan

O cavalo tarpan é uma raça extinta de equinos. Especula-se que seja o ancestral direto das raças mais leves conhecidas hoje, mas não foram encontrados vestígios que pudessem ser estudados para confirmar essa hipótese. O cavalo que mais se assemelha ao tarpan é o przewalski, uma raça eurasiana menor e mais robusta do que o cavalo doméstico.

Essa raça era quase impossível de domar. Os fazendeiros que viviam perto desses cavalos os perseguiam e matavam, pois eles devastavam as plantações e frequentemente atraíam éguas domésticas, fazendo com que fugissem. Essa perseguição terminou com o último cavalo tarpan em 1879, enquanto em 1887 o último dos que restaram em cativeiro morreu.

O cavalo tarpan foi descrito pela primeira vez pelo naturalista e químico alemão Johann Friedrich Gmelin em 1769, mas ele não lhe deu um nome científico. Depois de muita discussão,decidiu-se chamá-lo de Equus ferus ferus.

Algumas raças são semelhantes ao tarpan.
Algumas raças atuais são semelhantes ao tarpan.

A reconstrução da raça

Após a sua extinção, várias pessoas tentaram “reconstruir” essa raça, fazendo cruzamentos de cavalos domésticos com cavalos selvagens até ficarem com um aspecto semelhante ao do tarpan. Em 1936, Tadeusz Vetulani deu origem à raça konik polski, muito semelhante em aparência aos tarpans originais, exceto pela crina em forma de pincel e marcas listradas nos pés.

Os irmãos Heck também tentaram recriar a espécie no zoológico de Munique. Essa raça artificial foi chamada de “cavalo de Heck” e espécimes vivos ainda são encontrados hoje.

Características do cavalo tarpan

O cavalo tarpan era pequeno em estatura, cerca de 136 centímetros na cernelha e cerca de 150 de comprimento. Sua cabeça era grossa e seu pescoço curto e reto. A pelagem era espessa e forte, ondulada, mais longa no inverno e marrom-clara. As pernas, a crina e a cauda eram mais escuras que o resto do corpo, com marcas listradas nas patas e uma faixa dorsal (marcas comuns em raças primitivas).

As descrições físicas do tarpan variam de acordo com a área e o pesquisador, pois havia muitos híbridos na natureza graças aos cavalos domésticos que escapavam e se reproduziam com eles.

Originalmente, o cavalo tarpan habitava toda a Europa Oriental e o que hoje é a parte europeia da Rússia. Em seguida, espalhou-se para a estepe florestal do oeste da Sibéria e do Cazaquistão, alcançando a moderna Ucrânia no século XIX, bem como Polônia, Bielorrússia e Lituânia.

Como outros cavalos selvagens, o tarpan habitava áreas arborizadas, pastagens baixas, planícies e estepes. Nesses nichos, ele podia se alimentar da matéria vegetal de que precisava e correr para lugares seguros em caso de ataque.

Tipos de tarpans

As diferentes condições ambientais que o tarpan enfrentou em sua extensa área de distribuição deram origem a duas variantes da raça: a da estepe e a das zonas arborizadas. A seguir, você poderá conhecer suas características.

O tarpan das estepes

O tarpan das estepe habitava o sul da Rússia, tanto em planícies quanto em florestas abertas e claras. Seu pelo tinha uma tonalidade acinzentada em todo o espectro, em alguns casos com tons amarelados. Uma grande linha negra descia por suas costas e as patas eram escuras.

A crina da variante da estepe, pequena e muito abundante, era semelhante à crina das zebras. Tinha perfil côncavo e cabeça pesada, com orelhas alongadas e olhos relativamente pequenos para o tamanho da cabeça. A altura média de sua cernelha era de 130 centímetros.

Esse equino estava adaptado para sobreviver em climas extremos, com temperaturas abaixo de 20 graus no verão, graças à sua pelagem espessa e grande resistência física. Ele passava até 12 horas pastando, procurando as melhores ervas perto de áreas úmidas.

O lugar onde se diz que existia o maior número de tarpans era o distrito russo de Taurida. Nesse local, entre 1851 e 1866, os últimos tarpans das estepes foram mortos por caçadores e camponeses da área.

O tarpan da floresta

Essa variante do cavalo tarpan habitou as florestas das latitudes mais ocidentais da Europa Central, especialmente na Polônia e na Alemanha. Foi extinta no início do século XX, especificamente em 1919, quando os últimos exemplares em cativeiro foram entregues aos fazendeiros. Por esse motivo, a genética do tarpan foi diluída na do konik, a raça de cavalos domésticos da época.

Em meados do século XIX, o tarpan da floresta já estava extinto na natureza graças à caça indiscriminada.

Postula-se que o tarpan da floresta seja o ancestral de várias raças pequenas de cavalos atuais, como os pôneis konik, exmoor e dulmen. Traços genéticos também foram encontrados em outras raças que vivem em semiliberdade na Europa Central. Até hoje, essas raças estão sendo usadas para terminar a tarefa de criar um cavalo fenotipicamente idêntico ao tarpan.

A imagem de cavalos selvagens povoando planícies e florestas é cada vez mais rara. Ironicamente, um dos lugares mais seguros para eles é Chernobyl, onde cavalos przewalski podem ser vistos vivendo na selva. Talvez, com o tempo, seja possível voltar a ver cavalos livres em lugares menos perigosos.

Pode interessar a você...
Cavalo brumby: habitat e características
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Cavalo brumby: habitat e características

O cavalo brumby vagueia pelas pastagens da Austrália. É pequeno e robusto, e o governo quer controlar sua população. Saiba mais aqui!



  • Bernáldez-Sánchez, E., & García-Viñas, E. (2019). The equids represented in cave art and current horses: a proposal to determine morphological differences and similarities. Anthropozoologica54(1), 1-12.
  • Pasicka, E. (2013). Polish Konik Horse–Characteristics and historical background of native descendants of tarpan. Acta Sci. Pol. Med. Vet12, 25-38.
  • Heck, H. (1952). The Breeding-Back of the Tarpan. Oryx1(7), 338-342.