Cores da pelagem do cavalo

No cinema, nas fotografias e em materiais de todos os tipos, podemos observar uma grande variedade de pigmentação em relação à pelagem dos cavalos... Do que essas cores dependem?
Cores da pelagem do cavalo

Última atualização: 08 Julho, 2020

Se há algo complexo de estudar no mundo dos animais, é a cor do pelo dos cavalos. Os estudos de Mendel sobre genética e outros avanços no campo ajudaram bastante, mas conhecer e nomear a pelagem do cavalo pode ser uma questão complexa.

Simplesmente, precisamos lidar com muitas informações para dominar esse assunto. Existem muitas terminologias científicas e também nomes vulgares que são usados ​​no mundo equestre. Para dizer a verdade, em cada país são registrados nomes diferentes para descrever as misturas de cores.

A pelagem do cavalo: uma breve explicação da questão genética

Como todos sabemos, a aparência de cada animal depende da mistura genética obtida após o processo de procriação selvagem ou domésticaO problema com os cavalos é que a variedade fenotípica é realmente extensa. Embora possa não parecer, é mais fácil estudar isso de uma perspectiva genética do que recorrendo às terminologias do campo.

A primeira coisa que devemos saber é que existem cores base do pelo: preto, marrom e vermelho. Essas cores de base são afetadas na mistura genética por meio de dois pigmentos:a eumelanina e a feomelanina.

A eumelanina é o pigmento para as cores preto e marrom. Por sua vez, a feomelanina tem a ver com a pigmentação vermelha ou amarelada. A variabilidade ocorre porque todos os exemplares têm ambos os pigmentos.

A pelagem do cavalo: uma breve explicação da questão genética

Além disso, essa variedade de cores se manifesta de maneira diferente no pelo e na crina. Por isso, podemos observar que a cauda e a crina têm uma cor e o restante da anatomia do animal tem outra.

A pelagem diluída

Nem todos os equídeos herdam uma cor base. A variedade na pelagem do cavalo resulta do efeito dos genes de diluição nas cores baseAs variações são muitas, porque existem cinco tipos diferentes de diluições, que funcionam nas três cores base.

Esses genes são os seguintes: creme (Cr), dun (D), prata (Z), champanhe (Ch) e pérola (Pr). A partir daqui, cada diluição tem suas próprias regras e possibilidades de mudanças.

Por exemplo, a diluição prateada tem cerca de cinco variações possíveis identificáveis. Por sua vez, a champanhe tem quatro variações possíveis e a pérola pelo menos três. A diluição da pérola é a que possui mais variantes, com oito possibilidades e, por fim, temos o creme, com quatro.

Padrões de pelagem

Além disso, a existência de padrões de pelagem acrescenta outra diferença entre cada exemplar. Nós estamos nos referindo a formações pontuais nas quais as cores são apresentadas dependendo da distribuição das pelagens.

Um equivalente seria o que acontece aos gatos quando eles têm manchas, listras, pelos mistos ou uniformes. Algo semelhante ocorre com os cavalos.

Padrões de pelagem

A princípio, existem cinco padrões de branco, que são os principais. São os seguintes: oveiro (duas ou três manchas coloridas), leopardo (malhada), tordilho (áreas brancas e cinza), ruano (tons mistos) e rabicano (marrom com mancha branca).

Deixando isso de lado, há outros padrões que foram identificados ao longo do tempo. Eles consistem na presença de pelos mais escuros que cada cor base. Aqui também se destacam algumas das diluições muito especializadas: entre elas, temos pangas, sootygiraffe, encaracolado, variações sem pelos, etc.

Apelidos da pelagem do cavalo

Como a criação de cavalos ocorre no campo, cada país tem nomes para nomear os diferentes tipos de pelagem. Eles continuam sendo usados ao longo do tempo, dentro do mundo da ciência que estuda os equinos.

É importante destacar que esses nomes fazem parte do jargão diário em áreas rurais e nas fazendas. Portanto, aprender todos pode ser muito difícil, devido ao grande número de variações possíveis. Um exemplo é o cavalo baio, caracterizado por ter um revestimento castanho-amarelado.

Na Argentina ou no Chile, por exemplo, o equino de cor vermelho-escuro é conhecido como colorado. O popular mouro se refere aos cavalos escuros que ficam cinzentos com a idade. Poderíamos encontrar mais de 30 nomes em um único país, portanto, seria difícil aprender a distinguir cada pigmentação.

Portanto, o mais lógico é tentar entender os processos genéticos que ocorrem em cada exemplar. Isso serve para estudar a sua cor base e a possível diluição que deu origem à sua variação específica. Se você quiser determinar com certeza qual é a pelagem do seu cavalo, essa é a melhor maneira de descobrir.

Pode interessar a você...
Por que a pelagem da zebra é listrada?
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Por que a pelagem da zebra é listrada?

A pelagem da zebra torna este animal inconfundível. As listras pretas e brancas que a caracterizam são muito admiradas pelos seres humanos.