5 animais que comem mosquitos

Causadores de muitas mortes por doenças, os mosquitos são considerados uma praga. Porém, a sábia natureza tenta gerar um equilíbrio com os animais que os comem.
5 animais que comem mosquitos

Última atualização: 10 Abril, 2021

Independentemente do país, todos têm um pequeno inimigo em comum: os mosquitos. A expectativa de vida desses insetos não é superior a 6 meses, mas eles são uma das maiores pragas do mundo, já que as doenças que propagam alimentando-se de sangue já causaram milhares de mortes. No entanto, a natureza tenta criar um equilíbrio com os animais que comem mosquitos.

A dieta desses seres vivos inclui esses insetos devido ao seu fácil consumo na fase inicial de vida e porque, como predadores, também possuem um tamanho pequeno que em alguns casos os impede de se alimentar de animais maiores. Abaixo, você encontrará 5 espécies que se alimentam desses invertebrados.

1. Sapos e rãs

Talvez alguns dos mais conhecidos animais que comem mosquitos sejam as rãs (Ranidae) e os sapos (Bufonidae). A crença comum é que esses anfíbios são a resposta para controlar pragas de mosquitos. No entanto, nenhuma espécie demonstrou ter sua dieta baseada apenas nesses invertebrados.

Existem algumas espécies de sapos que se alimentam de larvas de Aedes aegypti, mas não garantem seu controle de reprodução, devido ao espaço muito reduzido onde as larvas podem se desenvolver.

Ter um sapo em seu jardim não garante a redução de mosquitos, pois retirá-lo de seu habitat natural só aumentará suas chances de morrer. A dieta alimentar desses anfíbios inclui insetos ligeiramente maiores, como formigas ou vermes, e os girinos também costumam se alimentar de larvas de mosquitos.

Um sapo em um fundo branco.

2. Libélulas

Libélulas (Anisoptera) são outro dos insetos que se alimentam de mosquitos e outros invertebrados voadores menores. Foi observado que uma libélula pode caçar entre 30 e 100 mosquitos por dia. No entanto, essa conquista não é suficiente para saciar seu apetite.

A libélula precisaria de uma enorme quantidade de energia para capturar mais de 3000 mosquitos por dia. Com essa hipótese, a população de mosquitos seria bastante reduzida, mas é uma possibilidade muito remota. Portanto, é claro que esse caçador mortal também deve procurar outros tipos de presas.

A libélula ataca com uma ilusão ótima que faz sua vítima acreditar que ela é estática, quando na verdade está se movendo em grande velocidade.

Libélulas são animais que comem mosquitos.

3. Aranhas

As teias de aranha são uma das armadilhas naturais mais eficazes para capturar esses irritantes insetos. Como os mosquitos adultos passam a maior parte do tempo pousados na vegetação, uma grande possibilidade de comida se abre para as aranhas. No entanto, é importante notar que as aranhas que não tecem teias também se alimentam de mosquitos.

Espécies como a aranha Pholcus phalangioides e a aranha de jardim – inofensiva para o homem – são alguns dos exemplares que ajudam a reduzir a proliferação de mosquitos. Por isso, é recomendável não atacá-las, pois sua presença ajuda a evitar que os mosquitos transmitam doenças como zika ou dengue.

Por outro lado, a espécie Paracyrba wanlessi se alimenta principalmente de mosquitos, assim como a Evarcha culicivora. A única diferença é que a segunda espécie escolhe os mosquitos pelo conteúdo de seu sangue, enquanto a primeira é indiferente a esse parâmetro ou ao estágio de crescimento do mosquito.

Ambas as aranhas adoram se alimentar do mosquito Anopheles, que transmite a malária.

As aranhas são animais comedores de mosquitos.

4. Bagre e peixes da família Gerreidae

Esses peixes, apesar de não serem esteticamente muito valorizados, têm um papel muito importante no consumo das larvas de mosquitos. Quando a fêmea põe seus ovos na água e eles começam a se desenvolver, esses peixes e outras espécies entram para se alimentar dos filhotes de mosquitos.

Se você tiver um lago ou uma fonte em seu jardim, é aconselhável adicionar um ou 2 peixes de água doce, já que muitas das espécies típicas de lago se alimentam desses invertebrados. Além de ser sua principal fonte de alimentação, um desses animais pode ajudar a reduzir a presença de mosquitos em sua casa.

Outra alternativa seria adicionar nesses espaços aquáticos culturas da bactéria Bacillus thuringiensis israelensis, que atacará diretamente as larvas e não afetará os peixes ou as plantas.

O peixe-gato é um dos animais que comem os mosquitos.

5. Morcegos

Esse é um dos animais que mais consome mosquitos. No caso dos morcegos que se alimentam apenas de insetos – mais conhecidos como morcegos insetívoros – estima-se que em uma noite possam capturar mais de 3000 mosquitos. O voo rápido desses mamíferos permite que eles peguem vários indivíduos em único um voo de um ponto a outro.

Por isso, é recomendável não atacar morcegos benignos, cuja tarefa é equilibrar os ecossistemas e reduzir a população dessas pragas. É preciso esclarecer que nem todos os morcegos se alimentam de sangue, outros ainda comem frutas e não afetam a saúde humana.

O morcego é um dos animais albinos.

Como você pôde ver, poucos animais comem mosquitos. Na natureza, às vezes não compensa consumir esses pequenos invertebrados, pois é gasta mais energia em sua perseguição do que se obtém com sua digestão.

Da mesma forma, seres vivos que comem mosquitos são uma enorme ajuda para equilibrar a população desses irritantes insetos. Lembre-se de que a melhor estratégia para acabar com a presença deles em sua casa é eliminar qualquer possibilidade de água parada onde suas larvas podem ser depositadas. Você também pode contar com uma fumigação responsável.

Pode interessar a você...
Doenças que os mosquitos transmitem
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Doenças que os mosquitos transmitem

As picadas dos mosquitos são incômodas e nos deixam marcas vermelhas que podem infeccionar ao coçar. Você sabia que existem doenças que os mosquitos transmitem através de suas picadas? Neste texto lhe contaremos quais são.



  • Tolle, M. A. (2009). Mosquito-borne diseases. Current problems in pediatric and adolescent health care, 39(4), 97-140.
  • Enserink, M. (2008). A mosquito goes global.
  • Ghosh, A., Chowdhury, N., & Chandra, G. (2012). Plant extracts as potential mosquito larvicides. The Indian journal of medical research, 135(5), 581.