5 animais com o sentido de audição mais desenvolvido

A audição é essencial para muitos seres vivos, pois os ajuda a se localizar no ambiente tridimensional de forma eficaz.
5 animais com o sentido de audição mais desenvolvido

Última atualização: 26 Março, 2021

O ouvido é um órgão sensorial que permite aos seres vivos que o apresentam perceber os sons. Graças a ele, a audição é possível, ou seja, a captura das ondas sonoras presentes no ar e sua posterior tradução em informações relevantes, que serão interpretadas pelo cérebro.

A estrutura comum em muitas doa aparelhos auditivos do reino animal é o tímpano, uma membrana elástica, semitransparente e cônica que possui capacidade vibratória. Em geral, para que um ser vivo seja capaz de ouvir, ele deve ter um tímpano, uma câmara auditiva cheia de ar e certos órgãos para detectar os estímulos auditivos.

As aves, os mamíferos, os répteis, os anfíbios e alguns insetos são capazes de ouvir. No entanto, a maneira como o som é percebido e o alcance da audição são drasticamente diferentes entre os táxons. Para exemplificar essa diversidade auditiva, vamos apresentar nas linhas seguintes os 5 animais com o sentido de audição mais desenvolvido.

Quais são os animais com melhor audição?

Antes de mergulhar nesse curioso mundo, convém usar o ser humano como referência. Nossa espécie é capaz de capturar frequências de 20 a 20 000 hertz (Hz), mas a audição fica mais confortável em faixas entre 2000 e 5000 Hz. Com esses dados em mente, apresentamos os 5 animais com o sentido de audição mais desenvolvido.

1. Morcegos

Os morcegos não são cegos – eles usam seu aparelho visual para várias atividades – mas a audição é, sem dúvida, o sentido mais desenvolvido desses mamíferos alados. Esses animais geram um ultrassom na laringe e o emitem pelo nariz ou pela boca, em uma frequência imperceptível para muitos seres vivos.

A faixa de frequência usada pelos morcegos varia de 10 000 a 100 000 Hz, acima da capacidade auditiva de humanos e muitos outros mamíferos. Graças a esse sistema de detecção ultrassônica, o morcego é capaz de ecolocalizar insetos tão pequenos quanto um mosquito em movimento.

2. Cetáceos

Os cetáceos usam a ecolocalização de maneira semelhante aos morcegos. Por exemplo, os golfinhos emitem uma série de cliques na forma de rajadas de impulsos sonoros e obtêm informações do ambiente a partir dos ecos que retornam a eles. Esse biosonar é extremamente útil, especialmente em ambientes aquáticos turvos que impedem a visão.

Graças a esse sofisticado sistema de escuta, alguns cetáceos podem perceber sons a até 20 quilômetros de distância.

3. Corujas

Como são principalmente noturnas, as corujas devem ser guiadas por seus sentidos de visão e audição para voar no escuro. Deve-se notar que muitas espécies de corujas têm suas orelhas posicionadas assimetricamente no crânio – uma mais alta que a outra – de forma que uma delas percebe o som mais primeiro.

Graças aos seus ouvidos assimétricos e a essa escuta direcional, muitas aves noturnas são capazes de triangular com precisão a posição de suas presas. Além disso, as corujas não sofrem de perda auditiva à medida que envelhecem, pois são capazes de regenerar as células do ouvido interno.

4. Elefantes

Os elefantes têm uma audição extraordinária, que lhes permite ouvir sons em frequências 20 vezes mais baixas do que nós, os humanos. Além disso, seus ouvidos desempenham um papel muito importante além da audição.

Esses paquidermes geralmente vivem em ambientes escaldantes e, portanto, precisam de mecanismos fisiológicos para poder dissipar o excesso de calor que acumulam em seus organismos. O grande tamanho de suas orelhas é essencial para esse processo, pois aumenta drasticamente a superfície de troca corporal dos elefantes sem comprometer sua morfologia.

Os elefantes e o sentido da audição.

5. Mariposas

Comparadas aos humanos e outros seres vivos, as mariposas conquistaram o mérito de serem os animais com o sentido de audição mais desenvolvido do mundo. Esses lepidópteros alados são capazes de perceber frequências de até 300 000 Hz, um valor astronômico em comparação com 20 000 Hz no caso dos humanos.

Os pesquisadores ainda não sabem ao certo o porquê dessa notável especialização evolucionária. De qualquer forma, estima-se que possa ter surgido em resposta às pressões adaptativas do ambiente, especificamente, devido à capacidade de caça dos morcegos.

Como esses mamíferos alados são capazes de perceber frequências extremamente altas, as mariposas podem ter desenvolvido um sentido de audição ainda melhor para se comunicar sem atrair a atenção de seus predadores. Sem dúvida, estamos diante de um mecanismo evolucionário fascinante.

Mariposa: o animal com o sentido da audição mais desenvolvido.

Apresentamos 5 animais com audição excepcional, mas eles não são os únicos que se destacam entre os seres que contam com uma audição sensível. Cada táxon responde às demandas do meio de maneiras específicas e, em muitos casos, a acuidade auditiva pode significar a diferença entre a vida e a morte na natureza.

Pode interessar a você...
A surdez em cães e gatos… O que podemos fazer?
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
A surdez em cães e gatos… O que podemos fazer?

Como diagnosticar e tratar a surdez nos animais de estimação. O que podemos fazer para tornar a vida melhor para nossos cães e gatos?



  • Spangler, H. G. (1988). Moth hearing, defense, and communication. Annual review of entomology, 33, 59-81.
  • Jones, G., & Siemers, B. M. (2011). The communicative potential of bat echolocation pulses. Journal of Comparative Physiology A, 197(5), 447-457.
  • Jones, G., & Holderied, M. W. (2007). Bat echolocation calls: adaptation and convergent evolution. Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences, 274(1612), 905-912.