Cuidados necessários para manter o bem-estar dos elefantes

Manter o bem-estar dos animais em cativeiro é uma tarefa complicada. Portanto, devemos levar em consideração algumas das estratégias para conseguir fazer isso com os elefantes.
Cuidados necessários para manter o bem-estar dos elefantes

Última atualização: 22 Fevereiro, 2021

Um programa de reprodução em cativeiro de grandes mamíferos tem muitos componentes, cada um deles contribui para o bem-estar dos elefantes, nesse caso. Como se costuma dizer, a melhor estratégia para evitar problemas de saúde (físicos, psicológicos ou sociais) é a prevenção.

Por isso, o objetivo da criação deve ser sempre proporcionar uma experiência ambiental que atenda a todas as necessidades primárias do animal em cativeiro.

Os aspectos mais importantes desses programas de criação incluem a compreensão da espécie de uma perspectiva fisiológica, social e psicológica. A partir de então, é necessário decidir quais são os cuidados essenciais em cada um desses setores.

Cuidado para manter o bem-estar dos elefantes a partir de uma perspectiva fisiológica

A seguir, falaremos sobre algumas das necessidades fisiológicas mais importantes dos animais em cativeiro.

Cuidados com a alimentação

Comida e água são alimentos básicos e, às vezes, considerados óbvios em programas de reprodução em cativeiro. Apesar disso, está comprovado que uma alimentação adequada é fundamental para o bem-estar dos animais.

A alimentação excessiva pode ser um dos problemas mais graves para qualquer animal em cativeiro, por isso o desenvolvimento de uma dieta adequada é essencial para evitar o sobrepeso e a obesidade. Se possível, é apropriado combinar essa dieta saudável com exercícios físicos.

O exercício físico: um componente necessário

Outra forma de controlar as calorias dos animais em cativeiro é a atividade física. Naturalmente, quanto mais ativo um elefante for, mais calorias ele vai queimar. Portanto, para manter um elefante com peso adequado, o gasto calórico deve ser igual à ingestão calórica. 

Um elefante se exercitando

Os níveis de atividade podem ser aumentados de várias maneiras. Se assumirmos que caminhar é a principal atividade consumidora de energia, estimular isso deve ser o principal método de promover o exercício.

Para isso, a ração pode ser distribuída (ou melhor ainda, escondida) por todo o recinto. Assim, além do movimento, é possível estimular a busca pelo alimento, uma das melhores fórmulas de enriquecimento ambiental.

Incluir elefantes em diferentes faixas etárias também incentiva a atividade física no rebanho.

O espaço e o bem-estar dos elefantes

Tem havido muito debate sobre o tamanho apropriado dos recintos para elefantes. No entanto, não existem dados científicos publicados que determinem um valor ideal para garantir sua saúde e bem-estar.

Os céticos afirmam que, na natureza, os elefantes viajam até 80 quilômetros por dia. Esse poderia ser um bom argumento para concluir que esses animais só deveriam ser mantidos livres.

A realidade é que os elefantes viajam na natureza para encontrar recursos, mas se as fontes de alimento e água forem abundantes e próximas, eles não sairão de um ambiente muito mais limitado.

A quantidade de esforço diário que um elefante faz não é fixa, pois depende da disponibilidade de recursos. Portanto, em cativeiro, onde comida e bebida são garantidas, as necessidades de movimento são reduzidas.

Com isso em mente, o espaço de que cada elefante precisa não pode ser determinado com base em suas necessidades em liberdade. Outros parâmetros, como o sucesso reprodutivo, o tônus muscular, a ausência de artrite ou o peso devem ser levados em consideração.

No fim, não é tanto sobre o tamanho do recinto, mas sobre como os elefantes o usam.

Cuidados com a pele e os pés

Na natureza, os elefantes cuidam da pele tomando banho regularmente, cobrindo-a com poeira e lama e esfregando-se contra árvores e pedras. Em cativeiro, a pele requer a mesma atenção.

Isso pode ser realizado fornecendo opções ambientais no recinto para que os elefantes façam a mesma coisa que fariam na natureza. Caso isso não seja possível, é possível recorrer à intervenção humana, utilizando, por exemplo, banhos e esfoliantes.

Ao cuidar dos pés, não se pode esquecer que eles são projetados para sustentar animais de tamanho considerável. Portanto, é um aspecto essencial para o bem-estar dos elefantes em cativeiro .

O bem-estar dos elefantes a partir de uma perspectiva social

Talvez os aspectos mais críticos e frequentemente menos considerados da criação de elefantes sejam suas necessidades sociais. Embora possa parecer o contrário, os elefantes são animais sociais e familiares. Vamos ver suas dinâmicas divididas por sexo.

Fêmeas

As mulheres passam toda a vida se dedicando ao cuidado dos jovens e à manutenção de sua unidade familiar. Portanto, um aspecto crítico em cativeiro é dar a elas a oportunidade de reprodução e criação. Infelizmente, isso nem sempre é possível.

Machos

Os machos, por sua vez, têm necessidades muito diferentes. Em liberdade, eles abandonam (ou são expulsos) do grupo familiar à medida que se aproximam da maturidade sexual. Na verdade, eles passam até 95% de suas vidas sozinhos.

Apesar disso, é muito comum vê-los formando um grupo com outros machos, com os quais competem pelas fêmeas. Isso representa um desafio em cativeiro porque, embora os machos não anseiem por companhia, eles precisam de desafios competitivos.

Fornecer uma estrutura social apropriada contribui significativamente para o bem-estar dos elefantes.

O bem-estar dos elefantes a partir de uma perspectiva psicológica

Os elefantes são os animais com o maior cérebro do mundo e têm uma das estruturas sociais mais complexas. Por isso, eles precisam de um ambiente capaz de estimulá-los e desafiá-los o suficiente para prevenir problemas de comportamento como:

  • Letargia.
  • Estereotipias.
  • Agressão contra colegas ou cuidadores.

Na natureza, os elefantes estão constantemente tomando decisões e precisam de opções, como ser capaz de escolher com qual parceiro ficar, o que fazer e quando fazer. O enriquecimento ambiental deve incluir:

  • Água para tomar banho, refrescar-se e brincar.
  • Lama e poeira para cuidar da pele.
  • Sombra para se proteger do sol e dos insetos.
  • Itens para jogar.
  • Superfícies para se coçar.

Um elefante usa sua tromba para tomar banho.

Como vimos, manter um elefante em cativeiro é um desafio logístico para qualquer cuidador. Apesar disso, em condições adequadas, esses grandes mamíferos podem sobreviver por muitos anos em cativeiro.



  • Fowler M, Mikota S. Biology, Medicine, and Surgery of Elephants. Hoboken: John Wiley & Sons; 2008.