Os elefantes são animais sociais

fevereiro 28, 2020
Muitas espécies de animais decidem viver em grupos, considerando o que é mais conveniente para a sua sobrevivência. Este costuma ser um sinal de inteligência.

Os elefantes são animais sociais, e isso significa que são seres altamente interativos com outros membros da sua espécie. Isso é possível porque eles são animais tremendamente inteligentes e capazes de criar uma sociedade reconhecível na manada.

A inteligência dos elefantes

Na psicologia animal, a inteligência é a capacidade de resolver problemas. Isso é visto na natureza pela presença de animais em ambientes muito variados, o que mostra que eles conseguiram superar os problemas de sobrevivência e reprodução.

O conceito humano de inteligência nos faz olhar mais para a capacidade de resolver problemas complexos, e não para simples desafios evolutivos. Não percebemos que, no reino animal, a inteligência é a capacidade de se adaptar às mudanças.

Os elefantes são animais sociais

Por que os elefantes são considerados seres inteligentes?

Sabemos que os elefantes são animais de vida longa, que viajam muito durante a vida e têm um sistema nervoso central altamente desenvolvido logo após o nascimento. Essas são todas as características que geralmente estão associadas à capacidade de resolver problemas. Outros fatores a serem considerados são:

  • Sua capacidade de lidar com ferramentas, tanto na natureza quanto em cativeiro. Ela está associada a uma maior aptidão cognitiva e à capacidade de superar desafios. Por exemplo, eles utilizam a tromba para descascar a casca das árvores ou escolher as melhores folhas.
  • A consciência de si mesmos. Foram realizados experimentos nos quais um elefante foi colocado na frente de um espelho e ele o usou para encontrar comida escondida.
  • A memória. Os elefantes sempre foram reconhecidos como animais com boa memória. Eles aprendem rapidamente e armazenam conhecimento para usá-lo no futuro.

Todos esses dados devem ser levados em consideração ao se aproximar de um elefante. Como seres inteligentes, eles são capazes de resolver qualquer situação considerada potencialmente perigosa.

Os elefantes são animais sociais

Estrutura familiar e aprendizado

Os elefantes têm uma estrutura familiar formada por um grupo de fêmeas com uma matriarca à frente, que geralmente é o maior exemplar da manada. Os grupos formados não são excessivamente numerosos.

Por exemplo, o elefante-da-savana (Loxodonta africana) e o elefante-asiático (Elephas maximus) formam grupos de 8 a 12 indivíduos. O elefante-da-floresta (Loxodonta cyclotis) forma grupos ainda menos numerosos, geralmente com apenas uma fêmea e seus filhotes.

Família de elefantes

Dentro do núcleo familiar, as jovens do sexo feminino são consideradas parteiras. Dessa forma, ajudam os filhotes a aprender, enquanto se beneficiam dessa relação. Mas se há alguém que influencia esse aprendizado, é a matriarca. Por ser a fêmea mais velha, o resto das fêmeas imita o seu comportamento e o ensina aos filhotes.

Os elefantes são animais sociais: hierarquia entre grupos familiares

Nos grupos formados por fêmeas, a idade, o tamanho e o parentesco afetam o status de cada uma delas. Como tendem a permanecer no mesmo grupo do nascimento à morte, formam laços muito fortes.

Normalmente, a matriarca é a principal fonte de memória do grupo, o que ajuda na sobrevivência.

O instinto maternal dos elefantes

Os filhotes nascidos de fêmeas dominantes tendem a sobreviver melhor do que o resto. E isso parece acontecer porque as próprias fêmeas têm preferência na escolha dos alimentos, o que melhora a qualidade do seu leite.

E o que acontece com os machos?

Os machos se afastam do grupo de origem quando se tornam adolescentes. Normalmente, eles são vistos formando grupos de jovens do sexo masculino com brigas contínuas com o objetivo de melhorar seu status social.

Quando os machos atingem 18 a 20 anos de vida, são fisicamente maiores que as fêmeas e se tornam candidatos ideais para a reprodução.

Elefantes de um grupo

Aqui entra em jogo um período típico dos elefantes machos, o ‘must. Este período é caracterizado por um comportamento altamente agressivo, acompanhado por um aumento dos hormônios reprodutivos. Geralmente ocorre no inverno.

Esses machos no período de ‘must’ são reprodutivamente dominantes e têm uma maior probabilidade de acasalar com as fêmeas. Se não houver o período de ‘must’, as outras características dominantes são o tamanho e a idade.

  • Fowler M, Mikota S. Biology, Medicine, and Surgery of Elephants. Hoboken: John Wiley & Sons; 2008.