5 causas de câncer em cães e como evitar essa doença

O termo "câncer" desperta medo e rejeição em partes iguais na sociedade em geral. Infelizmente, é um tópico que também deve ser abordado no mundo dos animais de estimação de vez em quando.
5 causas de câncer em cães e como evitar essa doença

Última atualização: 03 novembro, 2021

O termo “câncer” não gera rejeição injustificada. Todos nós conhecemos alguém que já sofreu com esse problema ou que infelizmente não conseguiu lidar com ele, pois é, sem dúvida, o conjunto de doenças mais comum e problemático em países de alta renda, superado apenas pelos distúrbios cerebrovasculares. Você conhece as causas do câncer em cães?

Segundo estudos, a incidência de todos os tipos de câncer juntos em canídeos é estimada em quase 100 casos por 10 000 cães/ano. As doenças malignas mais comuns no Canis lupus familiaris são tumores de mama, linfomas não Hodgkin e cânceres de pele. Se você quiser saber mais sobre esse grupo de doenças e suas causas, continue lendo.

O que é o câncer em cães?

O câncer segue a mesma premissa em todos os vertebrados, sejam eles humanos, cães, gatos ou baleias. Conforme indicado pelo National Cancer Institute, esse termo descreve doenças nas quais existe um grupo de células anormais que se multiplicam de forma incontrolável e invadem os tecidos próximos.

Esse crescimento descontrolado da linhagem celular atípica se deve a mutações genéticas em seu núcleo, que em geral alteram a taxa de crescimento e a mortalidade das células afetadas. Por não seguirem os padrões normais de senescência e divisão, elas crescem demais e geram uma massa palpável, conhecida como tumor.

No entanto, é importante destacar que nem todos os cânceres geram tumores (leucemia) e que nem todos os tumores são cancerígenos. Quando o crescimento da massa tecidual é autolimitado e não há risco de migração para outros tecidos (metástase), falamos de um tumor benigno.

A incidência de tumores benignos é 10 vezes maior em cães do que em gatos. Os canídeos são propensos a apresentá-los.

 

Surto de câncer nas paredes celulares.

5 causas de câncer em cães

Em muitos casos, é impossível encontrar uma causa específica do câncer em cães. Esse grupo de patologias é favorecido por um amálgama de fatores, como a velhice, algumas doenças prévias, o ambiente e certas mutações hereditárias. A seguir, vamos explorar os desencadeadores mais comuns.

1. Predisposição genética

A raça golden retriever é o melhor exemplo de que, em alguns casos, o câncer é herdado. Sem muitos detalhes, 70% dos cães dessa variedade acabam morrendo de 2 tipos de neoplasias malignas: hemangiossarcoma e linfoma. Estudos genéticos demonstraram que certas mutações no genoma da raça favorecem a expressão de tumores em longo prazo.

Pode-se especular que a maior incidência de câncer em algumas raças puras se deve ao cruzamento cromossômico de indivíduos ao longo do tempo. A reprodução de cães próximos na árvore genealógica acarreta esse tipo de riscos, já que a criação seletiva às vezes favorece o estabelecimento de patologias muito negativas na prole.

2. Idade

Conforme indicado pelo site MSD Veterinary Manuals, a idade pode desempenhar um papel essencial como uma das causas do câncer em cães. Até 50% dos cães com mais de 10 anos correm o risco de apresentar um tumor maligno, embora até metade das neoplasias sejam tratáveis e tenham bom prognóstico.

Uma diminuição da eficácia do sistema imunológico poderia explicar parte dessa tendência.

3. Exposição a carcinógenos

Todos nós conhecemos os efeitos nocivos do cigarro, pois é fácil reconhecer que até 50% dos fumantes acabam morrendo por causa do seu vício. No entanto, às vezes nos esquecemos dos fumantes passivos não humanos que habitam a casa, como os cães e os gatos.

De acordo com o site VCA Hospitals, a incidência de tumores nasais em cães que são fumantes passivos aumenta em 250% em comparação com aqueles que vivem em ambientes saudáveis. E eles não são os únicos, pois os felinos têm o dobro do risco de desenvolver linfomas se seus responsáveis forem fumantes.

4. Causas hormonais

Em vários modelos animais, foi demonstrado que o excesso de estrogênio circulante pode promover o desenvolvimento de câncer de mama. Em cães, por exemplo, as chances de uma fêmea apresentar esse tipo de câncer é de 26% se ela tiver passado por 2 cios diferentes. No caso de castração antes do primeiro estro, a probabilidade é reduzida para 0,5%.

5. Azar ou um conjunto de todos os fatores acima mencionados

Infelizmente, a maioria das causas de câncer em cães permanece desconhecida. Essa patologia é multifatorial e muito difícil de explicar devido a um estressor específico e, portanto, também é difícil preveni-la. De qualquer modo, estima-se que em humanos 80-90% dos cânceres são evitáveis, uma vez que muitos estão ligados ao consumo de cigarro e a um estilo de vida pouco saudável.

Embora os cães não consumam cigarros nem bebam álcool diretamente, eles podem ser expostos a agentes cancerígenos involuntariamente, como a fumaça do cigarro, inseticidas, compostos tóxicos e muitos outros elementos prejudiciais. Além disso, pode-se esperar que a obesidade e o sedentarismo promovam o desenvolvimento de neoplasias, assim como acontece em humanos.

Como evitar o desenvolvimento de cânceres em cães?

Fontes já citadas estimam que 1 em cada 4 cães terá câncer em algum momento de sua vida, e esse percentual aumenta para 50% se passarmos dos 10 anos de idade. Embora às vezes esse grupo patológico tão problemático chegue sem avisar, há algumas medidas que podem ser tomadas para minimizar o risco. Dentre elas, destacamos as seguintes:

  1. Esterilização: a esterilização demonstrou ser um método efetivo para reduzir o risco de câncer de mama em fêmeas e de câncer testicular em machos, entre muitas outras condições.
  2. Desparasitação: em modelos animais, foi demonstrado que a inflamação constante de um tecido promove o aparecimento de câncer. Portanto, evitar parasitas, bactérias e vírus que podem causar danos aos órgãos em longo prazo é fundamental para minimizar o risco de neoplasias.
  3. Ambiente saudável: não fumar no mesmo cômodo que cães e gatos é essencial para evitar que os animais de estimação desenvolvam câncer orofaríngeo, pulmonar ou nasal a longo prazo.
  4. Evitar o estresse: o estresse de longo prazo suprime o sistema imunológico, o que favorece o aparecimento de doenças. É necessário que seu cão se sinta confortável o tempo todo.

 

Evidentemente, a recomendação mais importante é visitar o veterinário regularmente e sempre que notar algo estranho no animal. As causas do câncer em cães não podem ser elucidadas em muitos casos, mas se as massas tumorais forem detectadas precocemente, o prognóstico é sempre mais positivo.

Pode interessar a você...
Cães com câncer: como controlar a dor dos animais
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Cães com câncer: como controlar a dor dos animais

Cada cão pode experimentar a dor de uma maneira única e sua intensidade varia de acordo com o tipo de tumor e o organismo do animal. Em seguida, di...