Citologia vaginal em cadelas: conheça o exame

Maio 14, 2018
Este é o procedimento mais aplicado para verificar o estado reprodutivo das cadelas.
citologia vaginal em cadelas consiste em um método simples e eficaz que permite avaliar as células do epitélio vaginal. Sua importância tem crescido ao longo do tempo em medicina veterinária. Isso porque é uma técnica de baixo custo e fácil de executar. Dessa forma, ela permite resultados rápidos e completos.

Para que serve a citologia vaginal?

A citologia vaginal ou swab vaginal é o procedimento mais aplicado para verificar o estado do sistema reprodutivo das cadelas. Apesar de ser antigo, é o preferido graças ao seu notável alcance, praticidade, rapidez e custo.

Como um estudo preventivo, geralmente é utilizado para descartar variações hormonais e garantir a boa saúde das células epiteliais. Também é eficaz para analisar o ciclo estral ou o cio de fêmeas sexualmente ativas.

Cadela amamentando seus filhotes

Por meio de diagnóstico, a citologia vaginal em cadelas permite detectar inflamações, infecções e neoplasias do trato reprodutivo. Sua eficácia pode ser comparada à de uma análise de progesterona no sangue.

Como é feita a citologia vaginal?

citologia vaginal em cadelas é de fácil execução e pode ser feita por qualquer profissional veterinário especializado. Essa é apenas uma das suas vantagens mais notáveis ​​em comparação com técnicas mais sofisticadas ou complexas.

O estudo consiste em introduzir um cotonete limpo – de preferência esterilizado – na vagina da fêmea. Cuidados devem ser tomados para guiar corretamente o cotonete até a região dorsal ou causal da vagina, evitando tocar sua área central.

Muitos profissionais preferem pré-umedecer o cotonete em solução salina. Isso favorece a adesão celular e diminui o desconforto do animal.

Ao chegar ao ponto apropriado e introduzir o material suavemente, o profissional deve sentir a região e retirar o cotonete. Então, será necessário passar o mesmo cotonete na folha previamente preparada.

Cão e bom veterinário: como escolher

Posteriormente, as células epiteliais devem ser analisadas ao microscópio para descobrir a condição do sistema reprodutivo da cadela.

As células do epitélio vaginal

Quando realizada corretamente, este exame deve permitir observar e avaliar as seguintes células do epitélio vaginal:

  • Células parabasais: sua forma é arredondada, com tamanhos uniformes, e destacam-se por ter um núcleo grande. Elas são observadas em grande número em cadelas que não atingiram a puberdade. Mas também podem ser observadas nas fases diestro e anestro (ver explicação mais abaixo).

O profissional deve ser capaz de diferenciá-las das células neoplásicas, para evitar um falso diagnóstico.

  • Células intermediárias: são parabasais maiores, quase duplas, na verdade. Elas são caracterizadas por um aumento no citoplasma, mas não no núcleo. O “grande núcleo” típico das parabasais desaparece. Quando a fêmea atinge o período de cio, o citoplasma das células intermediárias geralmente apresenta tons pálidos de azul acinzentado.
  • Células superficiais: são células grandes, com um pequeno núcleo e abundante citoplasma. Nele se destacam as dobras e irregularidades. Quando a fêmea atinge idades mais avançadas, as células superficiais são caracterizadas pela ausência de um núcleo.
  • Células basais: são muito pequenas e uniformes, com formato quase redondo e quantidade escassa de citoplasma. São conhecidas como precursoras de células parabasais, que marcam o período de cio em fêmeas. Raramente podem ser observadas em uma citologia vaginal.

O ciclo reprodutivo das cadelas e seus estágios citológicos

Durante suas vidas, as cadelas experimentam vários estágios de seu ciclo reprodutivo: proestro, estro, diestro e anestro. As lâminas obtidas da citologia vaginal nos permitem descobrir essas diferentes fases e detectar anomalias.

Cadela e filhotes
  • Proestro: é caracterizado pela maturação folicular e aumento dos níveis de estradiol no sangue. Isso gera uma imagem citológica rica em células parabasais e intermediárias, mas pobre em células superficiais. Alguns eritrócitos ou neutrófilos também podem estar presentes. Normalmente, o plano de fundo dessa imagem deve ter um matiz azul muito fraco.
  • Estrose a fêmea atingiu o período de estro, a imagem citológica deve ser composta de 90% a 100% por células superficiais. A presença de neutrófilos na lâmina geralmente indica inflamação do epitélio.
  • Diestrodurante esse período, a diminuição das células superficiais é observada. A imagem citológica “ideal” é composta de 50% a 60% por células superficiais e outros 40% a 50% por células parabasais e intermediárias. Nesse período, neutrófilos e eritrócitos podem reaparecer.
  • Anestrosua imagem citológica é caracterizada pela abundância de células parabasais e intermediárias. Muitas vezes, bactérias e alguns neutrófilos são detectados. Com a chegada da “terceira idade”, a citologia vaginal em cadelas revela escassas células superficiais sem núcleo.
Recomendados para você