Cobra-papagaio (Corallus caninus): cuidados em cativeiro

Por causa de sua pele brilhante e sua personalidade calma, a cobra-papagaio é um dos répteis mais populares mantidos como animal de estimação exótico.
Cobra-papagaio (Corallus caninus): cuidados em cativeiro

Última atualização: 11 Fevereiro, 2021

A cobra-papagaio ou periquitamboia (Corallus caninus) é uma espécie de cobra não venenosa muito apreciada pelos entusiastas desses animais. Graças à sua criação em cativeiro, bem como ao seu cuidado em zoológicos, anos e anos de manutenção permitiram que os cuidados mínimos da espécie se tornassem bem conhecidos.

Assim como acontece com qualquer outro réptil da família, o calor, a luz e o terrário são fatores-chave para que esse animal cresça e viva com conforto. Porém, antes de adquirir uma cobra-papagaio, algumas informações prévias devem ser levadas em consideração para que as leis internacionais não sejam descumpridas. Depois disso, contaremos tudo o que é necessário para cuidar desse animal em cativeiro.

Considerações preliminares

Para ser vendida como animal de estimação, às vezes a cobra-papagaio é retirada do seu ambiente natural. Infelizmente, essa captura é a principal ameaça para a espécie.

De acordo com dados da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), 2365 indivíduos foram retirados da Guiana (principal país onde a espécie é encontrada) nos últimos anos para serem vendidos como animais de estimação em outros países fora do Brasil, onde o seu comércio é totalmente ilegal.

A cobra-papagaio está incluída no Apêndice II da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestres Ameaçadas de Extinção (CITES). Isso significa que a sua venda internacional é regulamentada. Conforme dissemos, tanto a sua captura quanto a sua criação e comercialização são proibidas no Brasil.

Se você quiser ter esse animal como animal de estimação, é preciso se certificar de que ele tenha sido criado em cativeiro e que o país onde o tutor mora permite a sua posse legal. Comprar um desses animais retirados do seu ambiente natural é não apenas uma questão ética, mas também um crime em certas regiões.

Cobra-papagaio

Cuidados da cobra-papagaio em cativeiro

A cobra-papagaio precisa, acima de tudo, de um ambiente muito estável no que diz respeito a umidade, temperatura e ventilação. Além disso, é um animal que gera poucos resíduos, pois troca de pele duas vezes ao ano e defeca a cada dois meses, de acordo com o tipo e a quantidade de alimento.

Como deve ser o terrário da cobra-papagaio?

O terrário ideal para uma cobra-papagaio adulta deve ter pelo menos um metro de comprimento e de largura e outro metro de altura. Esses animais são arbóreos durante o dia. Ao longo das horas de luz, a cobra-papagaio se enrosca nos galhos altos e descansa. Por outro lado, durante a noite, ela se move ativamente pelo assoalho do terrário.

Para espécimes jovens, um terrário de vidro de 100 litros é o suficiente, mas, conforme forem crescendo, será necessário transferi-los para espaços maiores. Esses animais geralmente atingem um comprimento próximo a 2 metros, embora se conheça exemplares que chegaram a quase 3 metros na idade adulta.

É muito importante levar esse fator em consideração. A cobra-papagaio é um animal grande, por isso, se não houver a possibilidade de oferecer um recinto adequado para ela quando atingir a idade adulta, é melhor não adquirir um exemplar.

Por causa do seu comportamento arborícola, o terrário deve conter vários troncos grossos e resistentes colocados em diferentes alturaspara facilitar o descanso da cobra. Além disso, pelo menos um desses troncos deve ficar apoiado dentro do espaço destinado para o banheiro, por motivos que veremos mais adiante.

Quanto ao substrato, ele pode ser composto por folhas de jornal ou revestimentos laváveis ​​para répteis. Embora sejam mais fáceis de limpar, não ajudam a cobra durante a muda de pele. Assim, é melhor colocar um substrato composto por humo e folhas secas. Quando a cobra for mudar de pele, mover-se sobre o substrato vai ajudá-la a se livrar da pele antiga.

Parâmetros ambientais dentro do terrário

A cobra-papagaio é originária de regiões tropicais e, por isso, gosta de calor e umidadeNo entanto, o calor excessivo pode incomodá-la. O ideal é projetar um terrário onde o animal possa se mover se precisar de mais frio ou mais calor.

Dessa forma, é interessante colocar uma manta de aquecimento na parte superior do terrário. O ar quente tende a subir enquanto o ar frio desce. Desse modo, se a cobra estiver com frio, ela vai subir até os galhos altos e se, caso contrário, ela sentir calor, descerá até os galhos baixos ou até o assoalho.

A temperatura deve ser constante, mantida a 27°C durante o dia e a 21°C durante a noite. Para isso, ter um termômetro e instalar ventiladores é fundamental para manter esse equilíbrio dentro da instalação.

Para definir o período de luz-escuridão, é possível instalar uma lâmpada comum que não produza calor e controlá-la com um temporizador. O dia deve ter 12 horas e a noite outras 12. Em relação à luz ultravioleta, embora não seja imprescindível, se quisermos que o animal fique com a pele tão bonita e luminosa quanto possível, é melhor colocá-la.

Por fim, o nível de umidade deve ficar entre 60% e 70%. Para verificar a umidade do terrário, é possível instalar um higrômetro. Uma vez que nas florestas de origem dessas cobras chove todos os dias, será necessário borrifar o terrário com água diariamente ou então instalar um nebulizador.

Essa cobra se hidrata através das suas escamas ou bebe as gotas de água que ficam nas paredes do terrário. Da mesma forma, geralmente se dirige à área do banheiro para se hidratar ou defecar. Para facilitar e incentivar a cobra a usar o banheiro, deve-se colocar um galho que termine dentro do próprio recinto com água, conforme falamos no início.

Entre as nebulizações, deve-se permitir que o terrário seque por completo. Isso porque o excesso de umidade pode causar o aparecimento de fungos no terrário, bem como infecções na pele da cobra.

Como alimentar uma cobra-papagaio

O melhor alimento para a cobra-papagaio em cativeiro é o rato. Esse alimento pode ser obtido por meio de criadores na internet ou em lojas físicas especializadas. O alimento vem congelado e assim deve permanecer até ser oferecido à cobra, quando deve ser previamente descongelado.

Para alimentar a cobra-papagaio, é necessário saber sua idade e sexo. As fêmeas adultas comem um rato médio (entre 150 e 175 gramas) a cada 3 semanas. Os machos têm o mesmo padrão de alimentação, mas o rato deve ser menor (entre 75 e 125 gramas).

A alimentação deve seguir esse padrão porque, acima de tudo, nunca devemos alimentar uma cobra-papagaio em excesso. Esses animais devem ser magros para que possam escalar os troncos facilmente. Uma vez que a cobra tiver sido alimentada três vezes, ela não deve receber alimentos novamente até que tenha defecado.

Cobra-papagaio

Como você verá, ter uma cobra-papagaio como animal de estimação pode não ser muito trabalhoso, com exceção da necessidade de ter um terrário grande e de manter a temperatura e a umidade. A única coisa indispensável para manter essa espécie é nunca adquiri-la de um fornecedor desconhecido que possa ter traficado um espécime retirado do seu ambiente natural.

Pode interessar a você...
Descubra a ilha das cobras
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Descubra a ilha das cobras

A ilha das cobras é um laboratório da natureza, onde a adaptação é palpável. Esse local encerra um experimento evolutivo interessante.