Como alimentar e cuidar de um cão desnutrido?

Alimentar e cuidar de um cão desnutrido pode parecer um ato altruísta e bem-intencionado, mas há muitas coisas a se considerar antes de acolher um cão de rua.
Como alimentar e cuidar de um cão desnutrido?

Última atualização: 22 Julho, 2021

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), atualmente mais de 200 milhões de cães estão em estado de abandono. Só nos Estados Unidos, 3,3 milhões de cães são acolhidos por abrigos a cada ano. Você sabe como alimentar e cuidar de um cão desnutrido?

Aqui vamos mostrar a linha de ação que você deve seguir caso queira acolher um cão desnutrido que vive na rua. Não perca!

Sintomas de desnutrição em cães

Os cães devem comer de 2 a 3 vezes ao dia. Apesar de cada animal ser um mundo em termos metabólicos e anatômicos, a necessidade calórica do canídeo pode ser calculada usando a seguinte fórmula:  0,56 megajaules (MJ) x quilograma0,75

Seguindo essa operação matemática, um canídeo de 10 quilos exigirá cerca de 3,15 megajoules por dia, o equivalente a cerca de 750 quilocalorias. Animais maiores precisarão de uma ingestão calórica constante mais alta, até 2.200 quilocalorias. As necessidades nutricionais individuais dos animais também podem ser calculadas com conversores online gratuitos.

Se um cão não receber os requisitos dietéticos mínimos durante certo período de tempo, ele começará a mostrar sinais de desnutrição. Dentre eles, destacamos os seguintes:

  • Alterações nas fezes: em um estado normal, as fezes de um cão devem ser semiconsistentes e marrons, sem corpos estranhos ou muco. Qualquer anormalidade fecal do animal que se estabeleça por mais de 48 horas pode indicar um desajuste intestinal por desnutrição, e outros motivos.
  • Perda de peso: se as costelas forem perceptíveis na caixa torácica do animal, provavelmente ele está desnutrido.
  • Mau hálito: os cães não são reconhecidos por seu senso particular de higiene, por isso é normal que seu hálito ou aroma geral seja um pouco forte. De qualquer modo, se esses odores estiverem pútridos e insuportáveis, são certamente um sinal de desnutrição e doenças associadas.
  • Inatividade: se um animal não recebe as calorias necessárias para manter sua taxa metabólica basal (TMB), ele reduzirá suas atividades em todos os sentidos.

 

Um cachorro com um cobertor na rua.

A pele em desnutrição

Um dos principais indícios de desnutrição em cães é o mau estado da pele. Conforme indicado pelo site VCA Hospitals, um cão adulto deve consumir 30% de proteína e 15% de gordura no que diz respeito à sua dieta alimentar. Se esses parâmetros não forem atendidos, começará a apresentar sinais epidérmicos que podem ser observados a olho nu.

Com o tempo, um cão desnutrido perderá pelo, apresentará acúmulo de escamas epidérmicas na superfície da pele, feridas abertas e muito mais. Se um cão estiver perdendo pelo constantemente e os fios estiverem fracos e ralos, ele provavelmente está sofrendo de uma deficiência nutricional ou de outra condição crônica.

Alimentando e cuidando de um cachorro desnutrido

Se você encontrar um cachorro magro na rua, com manchas na pele, problemas óbvios e sem coleira, o mais normal é presumir que ele foi abandonado e está em perigo. No entanto, isso não significa que você deva pegá-lo no colo e levá-lo diretamente para casa.

Um cão perdido e desorientado pode vir até você em busca de afeto, mas também pode ser agressivo e ter doenças. Além disso, você tem que se certificar, por todos os meios possíveis, de que o animal realmente não tem um tutor e deixar que as autoridades e os veterinários administrem a situação.

A adoção de um cão de rua deve ser realizada dentro da legalidade em todos os casos.

Em primeiro lugar, você deve ter em mente que cuidar de um cão desnutrido só ocorrerá depois que ele receber assistência veterinária. Por exemplo, o cão pode ter parasitas intestinais ou ter uma doença bacteriana.

Quando o animal come pouco, seu sistema imunológico fica deprimido, por isso é fácil desenvolver infecções secundárias. Todas essas condições devem ser tratadas por um veterinário, embora seja possível que a abordagem farmacológica continue em casa.

Assim que tiverem desaparecido os possíveis gatilhos diretos da desnutrição, o veterinário irá preparar uma dieta específica para o animal, a fim de que ele ganhe peso de forma saudável e contínua. Como já dissemos, o ideal é que 30% da dieta do canídeo seja proteína pura, 15% de gordura e no mínimo 20% de carboidratos.

A dieta vai depender de cada caso, de acordo com as necessidades nutricionais do animal.

 

Alimentando e cuidando de um cão desnutrido.

Uma responsabilidade comum

Alimentar e cuidar de um cão desnutrido não é necessário se as pessoas não abandonarem os animais. Como já dissemos, mais de 200 milhões de cães no mundo não têm tutores, número que no caso dos gatos se reduz a 70 milhões, embora seja igualmente astronômico. É preciso conscientizar a população de que o abandono continua sendo um grave problema social.

Antes de adotar um cão, pense em suas necessidades e exigências, tanto financeiras quanto rotineiras e emocionais. Se você acha que não terá tempo suficiente a longo prazo ou que seu dia a dia é muito agitado, é melhor não colocar uma vida sob sua responsabilidade e esperar por um momento melhor.

Pode interessar a você...
Abandono de animais: como acabar com uma situação insustentável
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Abandono de animais: como acabar com uma situação insustentável

Segundo um estudo da Fundação Affinity, em 2016 foram recolhidos 104.447 cães e 33.335 gatos abandonados, só na Espanha. Em 2015, os números foram ...