Como tratar o estresse em seu cão?

julho 9, 2018
Os cães podem apresentar um excesso de nervosismo e medo por várias razões, que devem ser conhecidas antes de se iniciar qualquer tratamento. Em qualquer caso, a paciência do proprietário será vital para aliviar estas condições.

Cães podem sofrer de estresse como os seres humanos, mas em muitos casos eles são confundidos com nervosismo ou hiperatividade. É importante diferenciar o estresse em seu cão de outras questões que podem estar afetando sua saúde. Como detectar e tratar o estresse canino?

Como detectar sinais de estresse em seu cão

Quando você está passando por uma situação estressante em sua vida, é provável que você transmita o mesmo estresse para o seu cão. Os cães são muito empáticos, então percebem o humor de seus donos e tendem a adotar os mesmos sentimentos de nervosismo, tristeza, euforia, etc.

  • Uma alteração na rotina que o animal está acostumado pode desencadear o estresse em seu cão. A chegada de um novo animal de estimação, um movimento, uma viagem, a morte de um dos seus proprietários, solidão, poucos exercícios e nenhuma brincadeira, são as causas mais comuns.
  • Um cão estressado tem sintomas que alertam os proprietários sobre sua condição. O cão está nervoso, se assusta facilmente com movimentos ou barulhos altos e late sem parar. Ele pode adotar comportamentos obsessivos, como se lamber excessivamente.
  • Um cão saudável passa cerca de 16 horas dormindo. Se, por outro lado, você vê que o seu cão está tendo dificuldades para relaxar, dormir ou que fica inquieto, é outro sinal de que ele está sofrendo de estresse.
Cão dormindo

Comportamento estranho e agressivo

  • O estresse em seu cão pode ser a origem do comportamento agressivo dele em relação às pessoas ou outros animais. Dependendo da personalidade do cão, ele pode estar com medo e mais tímido que o normal.
  • Um dos comportamentos mais frequentes em cães estressados ​​é que eles começam a se aliviar em casa ou em lugares estranhos, quando estavam acostumados a fazer fora. Isso ocorre porque o estresse desencadeia uma dose extra de adrenalina na corrente sanguínea.
  • Para liberar esse excesso de adrenalina, o cão pode recorrer a outros cães, independentemente do sexo, outros objetos ou as pernas das pessoas. Não o faz por desejo de acasalar, mas como forma de aliviar a tensão.
  • Apatia, indiferença e anorexia também são sinais de que o estresse em seu cão é muito alto e pode acarretar riscos à sua saúde. Nestes casos, atenção médica urgente é necessária.
Cão estressado

Como tratar o estresse canino

Se o seu cão tem um ou vários dos sinais e sintomas anteriores, você terá que tomar algumas das seguintes medidas para aliviar o estresse do seu animal de estimação, o que trará tranquilidade e bem-estar para ele. Naturalmente, recomenda-se ir ao veterinário, que indicará outros tratamentos específicos.

  • Se o estresse em seu cão foi causado pela chegada de um novo animal de estimação, devemos evitar excluí-lo do ambiente habitual. Também não é bom deixar o novo membro compartilhar os brinquedos, pratos, bebedores, cama, etc. Todos devem ter seus próprios pertences.
  • É bom incluir o que é chamado de “caminhada olfativa” nos passeios. Isto é, deixar o cão guiar o dono e não o contrário. Desta forma, o cão estimula seu sentido mais desenvolvido, o sentido do olfato, enquanto explora o terreno livremente.
  • Para relaxar, liberar a tensão, o medo e conseguir o sono necessário, você pode envolver o cachorro em um cobertor. Essa prática é chamada de “pressão mantida” e é usada por treinadores caninos.

Brincadeiras e remédios naturais

  • Você tem que escolher brincadeiras que estimulem a atividade mental do seu cão, como esconder um objeto para ele trazer de volta. Outra questão a ser considerada é que geralmente se pensa que se deve brincar com o cachorro até que ele esteja exausto, para que isso elimine o estresse. Na verdade, isso o excita e exacerba ainda mais o nervosismo.
  • Para complementar as medidas acima, existem remédios caseiros conhecidos por suas propriedades relaxantes, como a camomila, tília e a erva de São João. Estas bebidas podem ser administradas em conjunto com as refeições ou diretamente na boca do animal.
  • Aromaterapia, florais de Bach e outras preparações homeopáticas naturais não causam dependência ou possuem contraindicações. Elas são aplicadas em gotas nas coleiras, cobertores ou na cabeça do cão.

A coisa mais importante ao lidar com o estresse em seu cão é tratá-lo com paciência e afeto. Devemos evitar gritos e agressões físicas, além de exclusão e abandono. O cão percebe o interesse de seu dono e certamente saberá como agradecer, acalmando o seu nervosismo e mostrando-se alegre e carinhoso.