Comportamento de um cão não esterilizado

A esterilização traz algumas mudanças benéficas aos nossos animais de estimação, mas sempre há dúvidas. Portanto, neste artigo vamos falar sobre como o comportamento de um cão não esterilizado pode variar.
Comportamento de um cão não esterilizado

Última atualização: 11 Dezembro, 2020

Se tivermos um cachorro em casa, a esterilização pode ter passado pela nossa cabeça em algum momento. Contudo, esse procedimento pode levantar uma série de dúvidas. Por exemplo, se após a cirurgia nosso bichinho ainda vai se comportar como um cão não esterilizado. Se você tiver dúvida, pode se interessar por este artigo.

Castração e esterilização em cães

Antes de falar sobre as consequências e mudanças que nossos cães vivenciam após esse tipo de intervenção, vale lembrar as diferenças entre os dois. Quando um cão não esterilizado é submetido a qualquer um dos procedimentos, o resultado final é a perda de fertilidade e a prevenção de descendentes “indesejados”. No entanto, as técnicas cirúrgicas são diferentes.

A esterilização é o procedimento menos invasivo para o nosso cão, e a sua intervenção é realizada nos órgãos sexuais. Dessa forma, o animal ficará estéril, mas seu comportamento e instinto de acasalamento não desaparecerão.

Por outro lado, a castração é uma técnica mais complexa, em que as gônadas – ovários ou testículos – são totalmente removidas. Isso, além de garantir a esterilidade do animal, diminui a produção de hormônios sexuais e, portanto, os possíveis problemas comportamentais decorrentes.

Castração e esterilização em cães

Um cão esterilizado é mais calmo?

Existem numerosos estudos que apoiam a esterilização e a castração. Além dos benefícios já relatados, esse tipo de intervenção reduz o risco de desenvolver doenças relacionadas: câncer de útero, tumores de próstata ou doenças semelhantes. No entanto, existem algumas crenças ou falsos mitos em torno dessas práticas.

Você já pode ter ouvido que os animais estéreis ficam um temperamento cada vez mais calmo. Isso não é inteiramente verdade, e é importante enfatizar que o tipo de comportamento que pode ser modificado é aquele relacionado aos hormônios sexuais.

Dessa forma, alguns comportamentos agressivos ou relacionados à atividade sexual serão menos frequentes: agressividade entre machos ou gravidez psicológica nas fêmeas, por exemplo. O comportamento que o cão adquiriu com o aprendizado – ou aquele que é determinado por fatores genéticos – não vai mudar.

Um cão esterilizado é mais calmo?

Também é frequentemente afirmado que um cão não esterilizado será “mais saudável” em termos de peso. É verdade que as alterações hormonais levam a alterações no metabolismo e que isso pode levar a um apetite mais voraz.

Contudo, com uma alimentação adequada – você pode consultar o seu veterinário a esse respeito – e exercícios diários, um cão esterilizado não vai necessariamente ganhar peso em excesso.

Como será a aparência de um cão não esterilizado?

Depois de esclarecer os benefícios e falsos mitos das técnicas de esterilização canina, devemos saber que – com raras exceções – um cão não esterilizado terá um comportamento semelhante a um cão castrado. A única exceção será em relação ao comportamento determinado pelos hormônios sexuais. Alguns exemplos desses comportamentos podem ser:

  • Marcação territorial de machos com urina, seja em casa ou na rua.
  • Agressão entre machos devido à competição para acasalar.
  • Cio, que às vezes pode levar à fuga para seguir o rastro de uma fêmea.

Como já dissemos, o temperamento que o cão desenvolveu – e aquele imposto por seu material genético – não mudará muito se decidirmos não esterilizá-lo.

Portanto, se você estiver pensando em prosseguir com o procedimento e ainda tiver dúvidas, o mais responsável é reunir o máximo de informações possível e se informar com profissionais veterinários. Seu cão permanecerá o mesmo grande companheiro em qualquer uma das situações.

Pode interessar a você...
O ciclo reprodutivo dos gatos
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
O ciclo reprodutivo dos gatos

É muito importante saber sobre o ciclo reprodutivo dos gatos, se tivermos um como animal de estimação. Desta forma, podemos lidar bem com isso.



  • Dias, R. A., Baquero, O. S., Guilloux, A. G. A., Moretti, C. F., de Lucca, T., Rodrigues, R. C. A., … & Ferreira, F. (2015). Dog and cat management through sterilization: implications for population dynamics and veterinary public policies. Preventive veterinary medicine122(1-2), 154-163.
  • Kutzler, M., & Wood, A. (2006). Non-surgical methods of contraception and sterilization. Theriogenology66(3), 514-525.
  • Tepsumethanon, V., Wilde, H., & Hemachudha, T. (2005). Intratesticular injection of a balanced zinc solution for permanent sterilization of dogs. J Med Assoc Thai88(5), 686-9.