Comprimidos para desparasitar o seu cão

· setembro 24, 2018
Desparasitar é de suma importância para preservar a saúde os cães, pois os parasitas podem causar muitas e muito graves doenças.

As desparasitações internas e externas são essenciais para oferecer uma medicina preventiva adequada aos nossos melhores amigos. Atualmente, existem muitas coleiras, sprays e comprimidos para desparasitar o seu cão. Por isso, é importante saber escolher com segurança e consciência.

A seguir, vamos comparar os principais métodos de desparasitação para cães disponíveis no mercado. No entanto, devemos lembrar que a adoção de hábitos de higiene reforçados também é essencial para prevenir os parasitas.

Além disso, o tratamento antiparasitário deve ser acompanhado por escovações e revisões periódicas da sua pele e pelo. Durante o verão, os cães com pelagem abundante podem sofrer com o calor e com a proliferação de ectoparasitas. Por isso, uma ida ao pet shop para tosa também pode ser recomendada.

Os parasitas e seus riscos para a saúde

Os parasitas que podem afetar os nossos cães se dividem em duas grandes subcategorias: os endoparasitas e os ectoparasitas. Os endoparasitas, como seu nome indica, vivem no interior do organismo animal. De maneira geral, esses organismos se alojam no trato intestinal dos cães, onde encontram nutrientes em abundância.

Os endoparasitas podem ter o corpo plano, como as tênias e as cestodas, ou, cilíndricos, como a lombriga. Os primeiros sintomas se manifestam através de transtornos gastrointestinais, como diarreias ou vômitos. Quando não são tratados rapidamente, podem provocar anemia, obstruções intestinais e até alterações neurológicas.

Os ectoparasitas, por sua vez, são mais comuns nos cães e afetam a pele que reveste a parte exterior do seu organismo. Entre os principais representantes temos: as pulgas, os carrapatos, os piolhos e os ácaros. Além disso, os mosquitos podem ser considerados parasitas temporários ou oportunistas.

médico examinando parasitas no cão

Esse tipo de parasita costuma atuar como vetor de numerosas e severas doenças. A saliva das pulgas pode provocar intensa coceira, reações alérgicas e erupções cutâneas. Além disso, os mosquitos são os principais vetores da leishmaniose e da filariose.

Os carrapatos podem provocar prurido e dermatite, além de transmitirem patologias graves, como a erliquiose e a babesiose. Se não for tratada rapidamente, uma infestação por carrapatos pode chegar a ser letal para o animal.

Comprimidos para desparasitar e sua forma de atuação

Antes de escolher um produto específico ou optar por uma marca, é importante entender como atuam os diferentes métodos de desparasitação. Os comprimidos para desparasitação são ministrados por via oral e logo passam para o trato digestivo dos cães. A dose recomendada para cada animal vai depender do seu peso, idade e estado de saúde.

As pipetas, as coleiras e os sprays são administradas via trans-dérmica e alcançam a corrente sanguínea depois de ter sido absorvidos pela pele. Se optarmos por esses métodos, devemos nos certificar de que são capazes de eliminar os parasitas e não só afugentá-los.

Atualmente, muitos optam por comprimidos mastigáveis para eliminar e prevenir os ectoparasitas. Cada vez mais o tratamento evolui e se torna mais eficaz.

O princípio ativo desses produtos (Afoxolaner) é absorvido pelo aparelho digestório e alcança a corrente sanguínea. Em seguida, espalha-se pelos tecidos do corpo e provoca a morte dos ectoparasitas por meio da superexcitação do seu sistema nervoso.

cão tomando comprimido

Com que frequência preciso desparasitar o meu cão?

A frequência da desparasitação vai depender fundamentalmente da idade e do estado de saúde de cada animal. Os filhotes devem começar o tratamento para parasitas internos nas suas primeiras semanas de vida. Depois de alguns meses, o veterinário vai recomendar o início da desparasitação externa com produtos específicos para filhotes.

Nos cães adultos, os comprimidos para desparasitar internamente costumam ser administrados a cada três ou seis meses. A frequência da aplicação do tratamento preventivo para ectoparasitas vai depender do alcance do produto utilizado.

Alguns comprimidos mastigáveis nos oferecem proteção por 90 ou 120 dias, enquanto que as pipetas costumam ser aplicadas a cada um ou dois meses. Esses prazos vão depender também do tamanho do animal, raça, etc.

A validade das coleiras antipulgas e antiparasitas varia entre três e oito meses, dependendo do fabricante e do produto. Entre os mais recomendáveis para cães encontramos a Scalibor, uma coleira de ação ampla que repele carrapatos, pulgas, piolhos e mosquitos.

Sempre é preciso lembrar a importância de contar com o acompanhamento do médico veterinário nas desparasitações do seu cão. O profissional vai poder nos orientar sobre os produtos mais indicados para o animal e as novidades disponíveis. Além disso, as consultas a cada seis meses vão ser essenciais para controlar o bom estado de saúde do nosso melhor amigo.