Conheça Cassidy, um gatinho que voltou a andar graças às novas tecnologias

Conheça Cassidy, um gatinho que voltou a andar graças às novas tecnologias

Última atualização: 19 Agosto, 2017

Quem diria que um bosque de Langley seria o cenário de uma incrível história de superação e sobrevivência. Dessa vez, o super-herói não foi um humano, mas sim um pequeno gato com muita fome de viver. Seu nome é Cassidy e sua história comoveu milhões de pessoas. As novas tecnologias operaram um milagre na sua vida.

Cassidy nasceu em uma floresta localizada na Columbia Britânica, a oeste de um dos países mais frios do mundo: o Canadá. Acredita-se que, no começo, esse gato tenha nascido como o restante da população de rua que existe na área. Mas por causa de uma grave infecção, perdeu suas duas patas traseiras.

Fazendo um cálculo simples, as probabilidades de um pequeno felino bebê sobreviver sem dois membros em um frio bosque eram praticamente nulas. Mas Cassidy superou todas as expectativas e conseguiu sobreviver durante nove semanas até ser resgatado por uma pessoa.

Foi apenas o começo de uma bela história que comoveu as redes sociais e quem ama os animais.

As novas tecnologias salvam vidas

A falta que fazia suas duas patas traseiras lhe impedia de agir com a conhecida sagacidade felina para caçar alguma presa que lhe servisse de alimento.

Cassidy era um alvo fácil e não tinha a mínima possibilidade de se esconder, correr ou tentar se defender.

São inúmeros os animais que morrem nas mãos de caçadoresmesmo contando com todas as quatro patas e a experiência necessária para escapar. Felizmente, Cassidy nunca teve um infeliz encontro. E se teve, soube se manter a salvo.

Quando ele foi encontrado, de fato, foi tão surpreendente que ele nem sequer conseguia se mexer. Estava moribundo e desnutrido, mas, inexplicavelmente, sobreviveu.

O que aconteceu depois

Logo que ficou sabendo do que ocorreu, a fundação Tinny Kittens se encarregou do pequenino gato de rua. Trata-se de uma fundação canadense que se dedica ao resgate de gatos de rua. Eles têm um abrigo e também fazem serviço de esterilização para evitar a superpopulação dessa espécie animal.

Quando Cassidy chegou à fundação, pesava não mais do que 500 gramas e se encontrava em estado de saúde bastante delicado.

Foi quando Shelley Roche, fundadora da Tinny Kittens, teve a brilhante ideia de pedir ajuda pelas redes sociais. Seu pedido era algo fora do comum: montar uma estrutura que possibilitasse a mobilidade do pequeno gato.

Literalmente, ela pediu através do Facebook ajuda para criar “uma tipoia ou cadeira de rodas” para o pequeno gato. A resposta também veio de um lugar inesperado.

A curiosidade devolveu a vida ao gato

Quem respondeu ao chamado foi Isaiah Walker e Josh Messmer. Não se trata de cientistas nem ativistas, mas sim de dois jovens de 17 anos de idade que cursavam o décimo segundo período do ensino médio da Colúmbia Britânica.

Eles entraram em contato com Shelley e começaram a trabalhar em um design de qualidade para resolver o problema de mobilidade do pequeno Cassidy. Com a ajuda do computador, das novas tecnologias, de uma impressora 3D e de sua engenhosidade, construíram um protótipo com rodas que pode fazer a realidade parecer um milagre.

Depois de alguns ajustes, o dispositivo já estava pronto e só faltava adestrar o gato sortudo a andar por conta própria usando o protótipo. No começo não foi fácil, mas com exercícios e prática, ele conseguiu fortalecer suas patas dianteiras e pôr mãos à obra.

Tecnologia a serviço dos nossos animais de estimação

Hoje em dia, existem muitas invenções tecnológicas criadas, exclusivamente, para beneficiar os nossos animais domésticos. Uma das que vale a pena destacar é uma coleira inteligente que nos permite medir a pulsação, a respiração e detectar possíveis doenças em nossos animais de estimação. A ideia é que os veterinários possam realizar check-ups a longa distância mediante esse dispositivo e responder a tempo.

Além disso, foram criadas coleiras localizadoras, comedouros automáticos e até um tradutor de latidos, assim como foram inventados uma infinidade de apps úteis para atender os nossos animais favoritos.

E isso é só o começo. Espera-se que, com o aprimoramento da inteligência artificial presente nas novas tecnologias, seja possível o emprego delas no adestramento e no acompanhamento dos felinos e caninos em um futuro próximo.

Todos nós, que amamos os animais, ficamos felizes se as novas tecnologias também forem empregadas para melhorar a vida de nossos animais de estimação.

Fonte da imagem principal: www.lasexta.com