Conheça o lobo ibérico

· novembro 23, 2018
É uma espécie de canídeo que vive em grupos e que, infelizmente, está em perigo de extinção. O problema tem a ver com a pecuária extensiva, que limita seu habitat.

O lobo ibérico (Canis lupus signatus) é provavelmente o animal mais representativo da fauna ibérica. Este canídeo selvagem é um dos caçadores mais habilidosos, graças a sua estratégia de caçar em grupo.

Como é um lobo ibérico?

Uma das características do lobo ibérico é que ele é menor que muitos de seus primos. Esta subespécie de lobo é de tamanho médio, e não excede 50 quilos de peso.

Já as subespécies americanas e russas podem chegar a 80 quilos.

Além disso, lobo ibérico possui alguns pontos característicos que permitem diferenciá-lo de outras subespécies de lobos.

Por exemplo, apresenta manchas escuras na cauda, ​​lombo e nas pernas, que são o que dão nome às espécies em latim e que são únicas para cada indivíduo.

Qual é o comportamento do lobo ibérico?

Este animal vive em grupo. O comportamento de uma alcateia de lobos é simples e, na realidade, a existência do lobo alfa é um mito, especialmente nas subespécies ibéricas.

Normalmente, as alcateias de lobos ibéricos são grupos familiares. São compostos por um macho e uma fêmea reprodutores e os seus filhotes, entre os quais podem existir diferentes ninhadas.

A verdade é que os lobos têm uma vida emocional bastante complexa, apesar de sua reputação de predadores impiedosos.  lobos ibéricos

Onde vive o lobo ibérico?

No passado, o lobo ibérico vivia em toda a Península Ibérica, sem muitas limitações. No entanto, nos últimos 50 anos, sofreu uma enorme perseguição que o levou a entrar em perigo de extinção.

Graças a algumas pessoas, como o famoso Felix Rodriguez de la Fuente, o lobo ganhou uma reputação melhor e foi protegido em muitas áreas da Espanha, recuperando antigos territórios.

Atualmente, a maior população de lobos na Europa Ocidental está localizada na Sierra de la Culebra, uma cadeia montanhosa onde vive um grande número de lobos.

Este animal também habita em León, Astúrias e Galizae e até começa a ser visto em Ávila, Madri e no País Basco. 

A população de lobos que vive em Serra Morena é considerada praticamente extinta, e está totalmente isolada.

Qual é o estado de conservação do lobo ibérico?

Esta é uma questão complicada, uma vez que, dependendo de que lado do rio Douro nos colocamos, o lobo pode ser caçado livremente ou, ao contrário, está protegido.

O número de lobos que atualmente habitam a Península Ibérica é desconhecido. Os últimos censos datam da década de 1980, quando havia mais de 2.000 exemplares. Atualmente, estima-se que haja perto de 3.000.

lobo ibérico

A verdade é que não parece que hoje o lobo esteja em perigo de extinção. Entretanto, em algumas partes da Espanha, sua população ainda é pequena.

O ideal seria realizar um censo independente e confiável o mais rápido possível, para que possamos saber definitivamente o número de lobos que existem.

Conflito entre o gado e o lobo ibérico

Uma das principais razões pelas quais a conservação do lobo está em perigo é devido à coexistência com o gado e com outras espécies, como o urso pardo.

A verdade é que a maioria dos produtores de gado que vivem em regiões montanhosas ainda não se adaptou à presença do lobo.

Medidas preventivas, como o uso do instinto de guarda do cão mastim e a utilização de cercas, podem garantir alguma segurança.

Esses métodos são os que mais respeitam o bem-estar dos animais e os ecossistemas. Mas aumentam os custos dos fazendeiros e colocam em risco a produção agrícola extensiva.

O melhor a fazer seria o consumidor começar a preferir produtos orgânicos e sustentáveis de áreas onde há lobos.

Isso poderia ajudar os agricultores a enfrentar o perigo do lobo e criar uma melhor convivência entre eles.

Hoje há um conflito muito polarizado: alguns pedem a total proteção do lobo ibérico, sem apoiar a criação de animais. Mas isso poderia ser perigoso para muitas espécies relacionadas. Já outras pessoas preferem apoiar a caça indiscriminada do lobo, que pode resultar em um grave risco de extinção.