5 subespécies de tigres

· agosto 2, 2018
Similar em características físicas e comportamento, estes grandes felinos estão, em muitos casos, em perigo crítico de extinção.

Dentro da família dos felinos, o gênero Panthera tigris está localizado apenas no continente asiático. É o maior predador carnívoro do mundo – junto com o leão – e no total existem cinco subespécies de tigres. Você gostaria de conhecê-las? Neste artigo nós os detalhamos.

Quais são as subespécies de tigres?

Enquanto eles são muito semelhantes entre si, em termos de pelagem, hábitos e dieta, cada uma das subespécies de tigres tem suas próprias características.

Dos seis que existem hoje, esses cinco são os mais distribuídos. O restante é da subespécie Amoy, provavelmente extinto em liberdade.

  1. Tigre de Sumatra

Com uma população selvagem de 500 indivíduos, o tigre de Sumatra – foto que abre este artigo – está em perigo crítico de extinção.

Ele vive apenas nesta ilha da Indonésia, tanto nas florestas como nas planícies, nas terras baixas e nas montanhas.

É o menor dos tigres atuais: os machos medem pouco mais de dois metros e pesam cerca de 120 quilos.

As listras do corpo são mais finas e têm uma juba bem desenvolvida. Por sua vez, ter uma membrana entre os dedos das pernas para nadar.

  1. Tigre da Malásia

Esta é outra das subespécies de tigres em estado crítico de extinção (com cerca de 500 indivíduos em liberdade).

Neste caso, vive em certas áreas da Península Malaia que pertencem à Tailândia e à Malásia.

Tigre da Malásia

O macho de tigre malaio pode atingir 260 centímetros de comprimento e a fêmea é um pouco menor, com cerca de 240 centímetros.

Eles se alimentam de veados, javalis e porcos; embora em alguns casos eles também possam caçar filhotes de ursos, elefantes e rinocerontes.

  1. Tigre da Indochinesa

Também chamado de tigre de Corbett, ele vive no Camboja, Laos, China, Malaca (onde vive com o tigre da Malásia), Birmânia, Vietnã e Tailândia.

A sua população selvagem é de aproximadamente 1.300 espécimes, por isso também está em perigo de extinção.

Tigre da Indochinesa

Os machos pesam pouco menos de 200 quilos e possuem a pelagem um pouco mais escura do que a de outras subespécies de tigres.

É um animal solitário; que se alimenta de ungulados medianos e grandes, como cervos sambar, assim como de javalis e bovinos nativos da Indochina.

  1. Tigre de bengala

Poderíamos dizer que é a subespécie mais conhecida e, também, a mais difundida da Ásia: Índia, Bangladesh (nesses dois países é considerado um animal nacional), Tibete, Nepal, Butão e Birmânia.

No entanto, assim como os outros, está em perigo de extinção.

Tigre de bengala

A pelagem do tigre de Bengala é laranja ou castanha e, devido a uma mutação genética, pode haver espécimes brancos com linhas pretas.

É um dos maiores do gênero, já que os machos excedem três metros de comprimento e atingem 200 quilos de peso.

Eles vivem sós e ficam agrupados com seus filhotes até que estes possam ficar sozinhos. 

A maioria dos filhotes nascem entre fevereiro e maio, após uma gestação de cerca de 100 dias.

As ninhadas podem ser compostas por até seis crias, que nascem de olhos fechados e ficam com a mãe por dois anos.

  1. Tigre siberiano

A última das subespécies de tigres recebe vários nomes: Amur, Cáspio, Persa ou Siberiano.

Ele vive em florestas no extremo Sudeste da Rússia, na fronteira com a China e na região do rio Amur.

Tigre siberiano

Compartilha a taiga com outros grandes predadores, como o lobo, o urso, o leopardo, o lince e o glutão. 

Alimenta-se de ungulados, javalis e cervídeos, como o alce e o cervo sika.

O tigre siberiano está presente na cultura da região, como parte dos escudos de várias cidades (como Vladivostok e Irkutsk).

Além disso, é símbolo de uma equipe de futebol regional e até mesmo serviu como mascote dos Jogos Olímpicos de Seul em 1988.