Cuidando de cães com Zika vírus

· novembro 23, 2018
Existindo a possibilidade mais remota de infecção entre cães e pessoas, a prevenção baseada no uso de repelentes e aromáticos é essencial. Mas é melhor não visitar as áreas tropicais onde os mosquitos portadores do Zika vírus são comuns.

Não se sabe muito sobre a Zika, uma doença transmitida pela picada de um mosquito, mas é necessário tomar precauções se viajarmos para determinados países. Mas, o que acontece com os animais de estimação? Neste artigo, nós contaremos tudo o que você deve saber sobre como cuidar de cães com o zika vírus.

Zika vírus: dados importantes

Como primeiro passo, é essencial ter informações sobre o Zika vírus, que pode afetar qualquer pessoa.

De acordo com os dados mais recentes, alguns animais também podem apresentar a doença.

Embora tenha aparecido recentemente na mídia, essa doença surgiu nos anos 40, em Uganda. Naquela época, foi minimizado, pois a maioria das pessoas não apresentava sintomas.

Mais recentemente, investigou-se a incidência da picada de um mosquito infectado em humanos.

Os sinais de infecção são febre, conjuntivite, enxaquecas, dores musculares e articulares, bastante semelhantes às de um resfriado forte.

Com um tratamento médico específico, a recuperação é bem-sucedida na grande maioria dos casos.

No entanto, o problema surgiu quando mais e mais pessoas foram infectadas.

Posteriormente, uma teoria científica afirmou que o vírus da Zika poderia causar defeitos congênitos, como a microcefalia. É por isso que a doença se tornou uma ameaça para mulheres grávidas.

Cães podem ter Zika?

No momento, não sabemos muito sobre o vírus e nem por que ele se espalha tão rapidamente.

O mosquito pica sem distinção a uma pessoa ou a um primata. Por isso, também podemos pensar que ele pode transmitir a doença a um animal de estimação e isso, por sua vez, vir a infectar seus donos.

No entanto, não existem estudos que demonstrem a transmissão do Zika vírus entre os mamíferos. 

Mesmo no caso do macaco rhesus – que habita a floresta ugandense – que pode ser infectado mais rapidamente devido ao contato com o mosquito, não há evidências de que ele possa transmitir a doença a outros animais.

Mosquito transmissor do vírus da Zika

É importante não entrar em pânico diante da possibilidade de que nosso cachorro seja picado pelo inseto, nem ignorar os animais de rua por medo de contrair a doença.

O principal é evitar a proliferação de mosquitos em casa e impedir que nossos animais sejam picados por eles. 

Tenha em mente que eles costumam ‘agir’ durante o dia, então esteja ciente quando for sair ao ar livre com seu animal de estimação. Algumas recomendações:

  1. Utilize repelente de insetos

Diferentes produtos, que são aplicados com um spray muito facilmente, são vendidos para cães e gatos em lojas de animais.

Preste atenção para que o líquido não entre nos olhos ou na boca do seu pet e não use grandes quantidades.

Não é recomendado utilizar repelentes humanos, pois estes podem conter ingredientes que são tóxicos para a pele do animal ou se eles se lamberem.

Você pode até mesmo preparar seu próprio repelente de insetos com duas gotas de óleo de citronela, duas gotas de lavanda e uma xícara de água. 

Coloque em um spray e borrife no animal, bem como em sua cama e nos ambientes onde seu animal de estimação costuma ficar. Você também pode usá-lo em sua pele!

picadas de mosquitos em cães

  1. Ter plantas aromáticas em casa

Se você tem um jardim ou quintal, procure ter plantas que evitem a aproximação de mosquitos – e de outros insetos.

Indicamos não só a citronela ou lavanda, mas também a hortelã, orégano, manjericão e alecrim. Além disso, muitos deles podem ser usados ​​para cozinhar… e dar um aroma delicioso a sua casa!

  1. Não deixe água parada

O mosquito Aedes aegypti – como outras espécies – deposita seus ovos na água limpa e parada. As larvas se desenvolvem nesses espaços, por isso é muito importante removê-las.

Por exemplo, se você tiver um contêiner que tenha acumulado a água da chuva, o bebedouro do cachorro ou até mesmo pratinhos de vasos, você deve limpá-los muito bem.

Finalmente, evite viajar para lugares onde há muitos casos de Zika, especialmente áreas tropicais e de selva. 

Cães com o vírus ainda não foram detectados, mas melhor prevenir e não levá-los a essas áreas, para evitar o contágio.