Cuidando de um gato esterilizado

A rápida recuperação nesses casos depende dos cuidado prestados aos gatos recém-esterilizados. Como tutor, você deve ficar de olho neles e evitar atividades que exijam um esforço extra.
Cuidando de um gato esterilizado

Última atualização: 25 Agosto, 2021

Os cuidados exigidos por um gato recém-esterilizado são simples, embora dependam da saúde geral de cada felino. De qualquer modo, os profissionais veterinários recomendam a realização de uma série de cuidados específicos e gerais para cuidar desses animais no pós-operatório. Aqui vamos te contar quais são eles!

Lembre-se de que a esterilização felina é um procedimento simples, cotidiano e comum, por isso as chances de a vida do seu animal ser colocada em risco são muito baixas. Na verdade, acontece o contrário: com a esterilização, você e o seu gato vão se beneficiar, pois você deixará de contribuir para a superpopulação (evitando ninhadas indesejadas) e ele deixará de contrair determinadas doenças ou ficar exposto a outros perigos.

Como são os primeiros dias após esterilizar um gato?

Depois da esterilização, é normal notar fraqueza, tontura e até náusea no gato. O mais aconselhável é deixar o animal repousar e superar os sintomas associados ao efeito da anestesia. Contudo, é preciso monitorá-lo e mantê-lo sempre à vista. Isso identificará se ele apresenta sangramento, falta de ar, gengivas pálidas ou febre. Nesse caso, é fundamental levá-lo ao pronto-socorro.

Agora, dentro do que é normal, de acordo com publicação da Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra Animais (ASPCA), existem sintomas como leve sangramento na área da ferida, depressão ou “mau humor”, perda de apetite, vômitos, instabilidade ao caminhar e calafrios. Eles são transitórios e começarão a desaparecer com os dias.

É provável que o gato – ou seus companheiros – queiram lamber a ferida pós-operatória. Nesses casos, é melhor colocar o colar elizabetano no gato e separá-lo do resto dos animais de estimação da casa.

 

O derrame pleural em gatos pode ser muito sério.

Cuidados gerais com um gato esterilizado

Além de considerar esses sintomas normais e de alerta, há outra série de cuidados necessários para um gato castrado que você deve conhecer. Entre eles estão os seguintes:

  • Descanso do gato: o descanso que o gato deve ter após a esterilização consiste em evitar atividades que exijam esforço extra, como pular de ou para lugares muito altos ou brincar com brutalidade com outros animais de estimação. O objetivo é evitar sangramentos internos ou afrouxamento dos pontos externos, se houver.
  • Banho: é apropriado e aconselhável não dar banho no gato durante o processo de recuperação, evitando assim possíveis infecções. É preciso ter muito cuidado com essa atividade, principalmente se levarmos em conta que os gatos se movem muito durante ela e podemos acabar machucando sua ferida.
  • Curativos: o veterinário ou especialista vai orientar especificamente sobre como fazer os curativos. Também fornecerá instruções sobre o antisséptico ou produto apropriado para fazer isso sem ferir a pele do gato.
  • Passeios ao ar livre: as aventuras dos nossos gatos em ambientes abertos devem ser cancelados até a aprovação do veterinário. O ideal é retornar ao profissional cerca de 10 a 15 dias após a intervenção, para que ele avalie a evolução do felino e especifique esses tipos de questões.
  • Convivência com outros animais: nos primeiros dois dias, a anestesia pode deixar o gato inquieto ou de mau humor, causando desconforto em seus companheiros. Se você notar uma atitude negativa, é melhor deixá-lo sozinho em uma sala.

Alimentação para gatos recém esterilizados

Entre os cuidados com um gato esterilizado também está incluída a alimentação. Durante o primeiro e o segundo dias após a cirurgia, é normal que o felino fique sem apetite ou até vomite após ingerir sua comida habitual. Caso o animal fique muitos dias sem comer e não demonstre interesse por seu prato preferido, é melhor consultar o veterinário.

Os especialistas apontam que os gatos esterilizados aumentam voluntariamente a ingestão de alimentos em 20%. Por isso, é conveniente monitorar sua alimentação e oferecer sempre a opção mais balanceada de agora em diante. Esse aumento gera, em alguns casos, sobrepeso ou obesidade.

Para evitar isso, existem algumas recomendações que você pode pedir ao veterinário. Embora o comum seja reduzir a quantidade de ração que era dada antes do procedimento, isso não é recomendado. A razão é que pode ocorrer um desequilíbrio no metabolismo do animal, desencadeando problemas ou deficiências de vitaminas, minerais ou proteínas.

O profissional poderá recomendar uma mudança de ração por outra mais completa especializada em gatos esterilizados. Ele também pode sugerir a compra de um comedouro interativo que obriga o animal a comer mais lentamente, entre outras opções.

Tranquilidade dos gatos recém-esterilizado

A tranquilidade que você proporciona ao seu gato recém-esterilizado também faz parte desses cuidados essenciais. O animal deve encontrar um ambiente que lhe permita se recuperar fisicamente e que se adapte às mudanças que começará a ter.

Durante os primeiros dias, é melhor preparar uma caixa de transporte ou um cômodo mais reservado, pois suas pupilas ficam muito sensíveis devido à anestesia. Também é recomendável evitar expor o animal a ruídos ou sons altos que possam impedi-lo de descansar. Aos poucos, o gato vai saindo desse espaço e recuperando sua vida diária.

 

Um gato com ascite no veterinário.

Lembre-se de que desde o primeiro momento em que um gato é esterilizado, começam a ser notadas alterações hormonais e, portanto, de comportamento. Esse é o maior benefício da esterilização para os gatos e muitos até deixam para trás práticas como a marcação inadequada. De fato, alguns tutores afirmam que seus bichanos se tornam mais afetuosos e calmos. Se esse for o seu caso, aproveite muito os ronronados deles.

Pode interessar a você...
Devo castrar meu cão? Vantagens e inconvenientes
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Devo castrar meu cão? Vantagens e inconvenientes

É possível que você já tenha pensado na castração de seu animal de estimação. Qual a resposta para a pergunta “devo castrar meu cão”?



  • Uribe Sarmiento, F. F., Prada Delgado, Y. F., Rodríguez Barajas, B. S., & Bayona Sánchez, J. A. (2018). Métodos de esterilización en caninos y felinos; revisión de literatura (Doctoral dissertation, Universidad Cooperativa de Colombia, Facultad de Ciencias de la Salud, Medicina Veterinaría y Zootecnia, Bucaramanga).
  • Baciero, G. (2015). La alimentación después de la esterilización.
  • Jeusette, I., & Romano, V. (2000). Gatos esterilizados. Research reports, 1-4.
  • Aisabucha Baldeón, G. D. R., & Muñoz Delgado, P. M. (2011). Campaña de esterilización para erradicar la sobrepoblación canina y felina en barrios marginales del sur de Guayaquil a través de la fundación FADA (Bachelor’s thesis, Guayaquil: ULVR, 2011.).
  • Post, C., Para, O., & Perro, S. (2021). Cuidados Post Operatorios Para Su Perro. American Society for the Prevention of Cruelty to Animals (ASPCA).