Cuidar de um gato com hepatite

maio 9, 2019
A alimentação é especialmente importante para um gato com hepatite, devendo ter um baixo teor de gordura.

Os animais podem sofrer de diferentes doenças, semelhantes às dos seres humanos. Uma das doenças que temos ‘em comum’ com os nossos animais de estimação afeta o fígado. Neste artigo, vamos contar como cuidar de um gato com hepatite, para que ele possa enfrentar esta situação da melhor maneira possível.

Gato com hepatite?

Como primeiro passo, seria bom explicar como a hepatite se desenvolve nos gatos. Sem nos estendermos demais, você deve saber que esta doença é uma inflamação do fígado que tem diferentes causas, incluindo:

  • Lipidose hepática (acumulação de tecido gorduroso no fígado)
  • Colangiohepatite felina (inflamação dos ductos biliares por bactérias)
  • Hepatite autoimune ou idiopática
  • Tumores hepáticos

É muito importante que você leve o seu gato ao veterinário o mais rápido possível se identificar um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Apatia
  • Pouca vontade de se mover
  • Fraqueza geral
  • Ficar sem se alimentar por mais de 24 horas
  • Comportamentos estranhos
  • Miar sem motivo
  • Barriga inflamada
  • Ficar sem beber água por mais de um dia

O profissional fará um exame geral e coletará sangue para determinar o diagnóstico. O tratamento indicado pelo médico veterinário deverá seguir de mãos dadas com o cuidado que o dono for oferecer ao animal.

Como cuidar de um gato com hepatite

Como cuidar de um gato com hepatite

Se o quadro for grave, o veterinário recomendará que o gato fique internado pelo menos por algumas horas, para que ele seja tratado e hidratado. Quando ele começar a se sentir um pouco melhor – isso ainda não significa que ele já esteja curado da hepatite – ele receberá permissão para voltar para casa.

É aí que os donos devem estar comprometidos e prestar muita atenção ao que o animal possa precisar. Não é necessário ficar ao lado do animal de estimação o dia todo; mas se deve oferecer tudo que ele possa precisar na nossa ausência.

A alimentação de um gato com hepatite é o maior ‘problema’ já que, devido à doença, ele não quer comer nada, nem mesmo beber água. É fundamental ser paciente mas, ao mesmo tempo, insistente para que o animal ingira algo.

Você pode tentar oferecer um pouco de ração úmida e pastosa – as que vêm em sachês ou latas – ou até mesmo comida caseira que o veterinário tenha aprovado como, por exemplo, atum, patê, queijo, iogurte, etc. Tente oferecer um pedaço pequeno de frango assado, pois isso certamente vai abrir o seu apetite.

O objetivo para o dono é o de fazer com que o gato coma, mesmo que você tenha que ficar meia hora na frente dele com uma colher na mão. Tenha em mente que, como o seu fígado está prejudicado, os alimentos permitidos devem ser todos aqueles que tenham um baixo teor de gordura.

A alimentação de um gato com hepatite

Caso o veterinário autorize, você também pode dar certas ervas medicinais; assim, elas serão responsáveis por estimular o apetite do gato com hepatite. Quais são elas? Boldo, alcachofra, dente de leão, alfafa e cúrcuma, por exemplo.

Além disso, alguns donos de animais optam por tratamentos alternativos, como os florais de Bach, por exemplo. De fato, esses medicamentos são à base de ervas naturais e podem incluir castanheira-portuguesa, salgueiro, madressilva ou maçã silvestre. Uma outra opção é a homeopatia; você pode consultar um homeopata especialista em animais de estimação.

Descanso

O descanso é um dos melhores incentivos para um gato com hepatite (ou com qualquer outra doença considerável). Portanto, devemos oferecer as melhores condições em casa: uma cama confortável, abrigo, um lugar tranquilo para descansar, etc.

Na medida do possível, temos que deixá-lo sozinho durante a maior parte do dia, para que o animal possa se recuperar. Se ficarmos incomodando-o continuamente, mesmo que seja na tentativa de fazer com que ele se sinta melhor, isso pode ser contraproducente.

Não podemos nos esquecer de que os gatos são muito sensíveis e delicados neste aspecto: eles não gostam de ser interrompidos, de ser carregados no colo ou de ser obrigados a fazer determinadas coisas. Portanto, respeite o seu animal de estimação sem deixar de lado os cuidados principais; desta forma, será mais fácil que ele fique curado da doença e assim possa continuar a viver feliz como fazia até agora.

Edwards, M. (2004). Felina Cholangiohepatitis. CE.