7 curiosidades sobre o dunnart

O dunnart é um pequeno marsupial predador com hábitos noturnos que vive nas áreas desérticas da Austrália. Devido aos seus hábitos naturais, há muitos dados que podem passar despercebidos pela maioria das pessoas.
7 curiosidades sobre o dunnart
Cesar Paul Gonzalez Gonzalez

Revisado e aprovado por o biólogo Cesar Paul Gonzalez Gonzalez.

Última atualização: 10 dezembro, 2022

Os marsupiais são um dos grupos mais peculiares do reino animal. Caracterizam-se por apresentar um marsúpio, que é um tipo de bolsa localizada na barriga do animal que é usada para incubar seus filhotes. Como se isso não bastasse, há uma grande variedade de espécimes, desde os grandes, como os cangurus, até os pequenos, como o dunnart.

Embora pareça muito com um camundongo, o dunnart é na verdade um pequeno marsupial que pertence ao grupo Dasyuridae. De fato, isso significa que está relacionado a outras espécies famosas, como gatos marsupiais ou até demônios da Tasmânia. Continue lendo e descubra outras curiosidades sobre a dunnart.

Quem é o dunnart?

Apesar de sua aparência, o dunnart não pode ser considerado um rato ou camundongo, pois não está relacionado a roedores. Medem em média 25 centímetros de comprimento e pesam cerca de 70 gramas. São bastante peludos e a maioria exibe cores cinzentas ou castanhas.

Além disso, o dunnart também possui uma cauda que varia de comprimento dependendo da espécie em questão. Essa característica é importante, pois muitos dos exemplares acumulam seus recursos (gordura) nessa estrutura. Graças a essa estratégia, eles são capazes de sobreviver quando a comida é escassa em seu habitat.

Dunart por um lado
Sminthopsis murina.

Fatos pouco conhecidos sobre o dunnart

Além de ser uma espécie carismática, pequena e peculiar, esse marsupial preserva alguns outros dados sobre sua biologia. Conheça abaixo algumas curiosidades do dunnart.

1. Existem várias espécies

O termo “dunnart” é usado para nomear todas as espécies que são agrupadas sob o gênero Sminthopsis. Atualmente, existem mais de 20 tipos diferentes de dunnart, além de vários registros de restos fósseis. Um dos espécimes mais populares é o dunnart de cauda grossa, que tem uma ampla distribuição na Austrália.

2. Estão mais intimamente relacionados aos gatos marsupiais

O dunnart e os gatos marsupiais são animais relacionados. Ambos fazem parte do grupo Dasyuridae, que se caracteriza pelo fato de todos os seus membros serem carnívoros e possuírem dentes bem adaptados ao consumo de carne. É claro que ainda existem alguns problemas com a classificação taxonômica desse grupo, o que significa que ela poderá ser modificada no futuro.

3. Têm visão tricromática

Em geral, a maioria dos mamíferos tem uma visão dicromática que percebe apenas uma gama de cores composta por tons de verde e azul. No entanto, uma das curiosidades mais interessantes do dunnart é que ele possui visão tricromática. Isso significa que ele percebe as cores verde, azul e amarelo, algo semelhante ao que os humanos “observam”.

4. São capazes de entrar em torpor para economizar recursos

O habitat natural do dunnart é geralmente composto por ambientes áridos com climas extremos, razão pela qual desenvolveu diferentes estratégias para lidar com isso. Um deles é o estado de torpor diário, que consiste em reduzir ao mínimo sua taxa metabólica e sua temperatura corporal. Graças a isso, o consumo de energia (nutrientes) diminui e o animal é capaz de sobreviver em caso de escassez de recursos.

5. Chega a dormir com suas presas

Os ambientes desérticos são um dos habitats mais difíceis de conquistar. Isso se deve ao fato de que durante o dia a temperatura sobe para mais de 40 graus Celsius, enquanto à noite cai para cerca de 2 graus abaixo de zero. Por causa disso, o dunnart tende a dormir em pequenos esconderijos no subsolo, onde até deixa outros pequenos animais se esconderem para se aquecer.

Esse comportamento curioso faz com que alguns roedores se aproximem e durmam com ele. No entanto, esses animais são presas naturais para algumas espécies de dunnart, então eles precisam acordar mais cedo para fugir e salvar suas vidas.

6. Têm um processo de gestação curto

O dunnart exibe um dos processos de gestação mais curtos do reino animal. Enquanto o da maioria dura um ou vários meses, este pequeno marsupial tem um período de gestação de cerca de 13 dias. Excepcionalmente, o dunnart de cara listrada (Sminthopsis macroura) precisa apenas de 9 dias.

7. Vivem relativamente pouco

Devido ao seu tamanho e por ser uma presa fácil para muitos outros predadores, o dunnart tem uma expectativa de vida bastante curta. Embora seja verdade que isso depende muito da espécie em questão, em geral, esse marsupial pode viver de 15 meses a 5 anos.

Dunnart na areia
Sminthopsis murina.

Como você pode ver, o dunnart é um pequeno animal que guarda muitas curiosidades sobre sua vida natural. Apesar de seu tamanho, desenvolveu estratégias incríveis que superam em muito os animais maiores. Este é mais um exemplo de como a natureza pode ser incrível e variada.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Selwood, L., & Woolley, P. A. (1991). A timetable of embryonic development, and ovarian and uterine changes during pregnancy, in the stripe-faced dunnart, Sminthopsis macroura (Marsupialia: Dasyuridae). Reproduction, 91(1), 213-227.
  • Ebeling, W., Natoli, R. C., & Hemmi, J. M. (2010). Diversity of color vision: not all Australian marsupials are trichromatic. PLoS One, 5(12), e14231.
  • Stannard, H. J., McAllan, B. M., & Old, J. M. (2014). Dietary composition and nutritional outcomes in two marsupials, Sminthopsis macroura and S. crassicaudata. Journal of Mammalogy, 95(3), 503-515.
  • Withers, K. W., White, D. H., & Billingsley, J. (2000). Torpor in the carnivorous marsupial Sminthopsis macroura: effects of food quality and quantity. In Life in the Cold (pp. 127-137). Springer, Berlin, Heidelberg.
  • Tyndale-Biscoe, Hugh (2005). Vida de los marsupiales. Publicación CSIRO. ISBN 0-643-06257-2.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.