4 consequências da praga de camundongos na Austrália

A praga do rato na Austrália não surgiu do nada. Se você quiser saber a extensão desse fenômeno, aqui estão as chaves para entender sua origem e suas consequências.
4 consequências da praga de camundongos na Austrália

Última atualização: 28 Junho, 2021

A Austrália, com sua incrível biodiversidade e magníficas paisagens, passou por uma série de catástrofes nos últimos anos que ameaçam seriamente o equilíbrio dos seus ecossistemas. A última delas está sendo uma praga devastadora de camundongos que devasta tudo em seu caminho.

Dada a perplexidade da população com essa série de eventos, é necessário aprofundar as causas que deixaram a Austrália nesse ponto crítico. Como tudo na natureza, os desequilíbrios que ocorrem no ambiente geralmente têm consequências ampliadas e em cadeia.

Austrália: uma série de infortúnios catastróficos

A Austrália é uma das maiores vítimas do aquecimento global: os últimos 40 anos foram os mais quentes da história desse país. Essa persistência de altas temperaturas favoreceu as secas, que por sua vez levaram aos famosos incêndios.

Os desertos cobrem 44% da superfície territorial do país. As temperaturas são amenas na maior parte do ano, no inverno não costumam cair abaixo dos 18º C, e os ventos fortes se combinam com o escasso regime de chuvas para criar o ambiente perfeito para os incêndios.

Na Austrália, o período entre janeiro e março é conhecido como a “temporada de incêndios”.

Durante a pandemia iniciada em 2020, imagens de bombeiros retirando coalas de florestas em chamas viralizaram nas redes. E os dados desses incêndios são desanimadores:

  • 80 000 quilômetros quadrados foram devastados, principalmente florestas que eram a última barreira de contenção para a desertificação. Para se ter uma ideia, essa área é um pouco maior do que a extensão da Irlanda.
  • Mais de 1 bilhão de animais afetados. Como resultado dessa destruição de habitats, 327 espécies de animais e plantas estão em perigo crítico de extinção, 244 delas endêmicas do país.
  • 400 megatoneladas de CO2 emitidos na atmosfera. A fumaça dos incêndios pôde ser vista da Argentina e do Chile. Em imagens de satélite, era possível observar o fogo arrasando todo o país.

As chuvas posteriores aos incêndios, embora tenham ajudado os bombeiros do país, também geraram grandes enchentes e inundações. As causas disso se resumem no fato de que todo o terreno tinha sido devastado pelo fogo, já que a proteção contra deslizamentos de terra proporcionada pela vegetação tinha desaparecido praticamente por completo.

 

Um incêndio na Austrália.

As chuvas e a praga de camundongos

Depois de se recuperar dos incêndios e das inundações, as chuvas de verão permitiram que as plantações finalmente prosperassem. No entanto, isso também criou as condições ideais para que os camundongos (Mus musculus) se proliferassem, o que levou à próxima catástrofe na Austrália: uma praga de camundongos que assola os campos.

Camundongos fêmeas podem dar à luz de 8 a 12 filhotes por ninhada. Isso, somado ao fato de sua gestação durar de 22 a 24 dias, permite que cada camundongo fêmea dê à luz cerca de 300 indivíduos por ano. Em condições favoráveis e sem predação, a taxa reprodutiva desses animais se traduz em um crescimento exponencial e inevitável da população.

No momento, a praga de camundongos está fora de controle. Especialistas afirmam que, se o problema não for resolvido, os roedores poderão começar a ser encontrados nas cidades. Com a chegada do inverno, eles buscariam refúgio no ambiente urbano.

Como a infestação de ratos prejudica a Austrália?

Um número tão grande de animais não tem impacto apenas nas lavouras que eles arrasam: a invasão do espaço de residências e fazendas também tem consequências que devem ser consideradas. A seguir, você encontra algumas das mais importantes.

1. Contaminação de alimentos

A presença de camundongos em depósitos de alimentos e grãos é um grave problema de contaminação, principalmente por fezes e urina, e até por cadáveres que podem se decompor escondidos entre os alimentos. Por outro lado, o acúmulo de corpos de camundongos é um perigo para a saúde pública.

2. A principal consequência da praga de camundongos: plantações arrasadas

Como era de se esperar, as grandes massas de camundongos destroem campos de cereais e outros alimentos em seu caminho. Hortas e fazendas particulares não são exceção, pois foram divulgados vários depoimentos de pessoas afirmando terem encontrado esses roedores mordendo os pés de galinhas e outros animais durante a noite.

3. Aumento nos casos de leptospirose

Essa zoonose, causada pela bactéria Leptospira interrogans, é transmitida por via fecal-oral quando os camundongos urinam em alimentos ou depósitos de água, que posteriormente serão consumidos pelos humanos. Os sintomas variam de acordo com a gravidade da doença, desde um quadro semelhante a uma gripe até insuficiência renal e hemorragia pulmonar.

4. Problemas em residências particulares devido à praga de camundongos

O impacto nos lares humanos causado por essa infestação de camundongos é diverso. Já foram documentados apagões devido a cabos roídos e mordidas graves em pessoas, até mesmo dentro de hospitais. E muitos avisam que o cheiro dos milhares de cadáveres amontoados nos cantos é insuportável.

 

Exemplo de espécies de roedores.

As medidas tomadas até o momento para controlar a praga de camundongos, baseadas em armadilhas, são insuficientes. Por outro lado, o uso de iscas tóxicas é um perigo para outros animais, por isso seu uso é restrito por enquanto. As previsões dizem que esse fenômeno pode durar até 2 anos.

Essa cadeia de catástrofes é a pura imagem das consequências das mudanças climáticas. Embora a Austrália já esteja trabalhando para recuperar tudo o que perdeu, é tarefa de toda a humanidade evitar que esses infortúnios se repitam no resto do globo.

Pode interessar a você...
Demônio da Tasmânia retorna à Austrália continental após 3.000 anos
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Demônio da Tasmânia retorna à Austrália continental após 3.000 anos

O demônio da Tasmânia retorna à Austrália após ser encurralado por vários fatores em uma pequena ilha durante milhares de anos.